Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/15187
Title: Efeito de diferentes tratamentos sobre o estresse oxidativo em modelo de hepatotoxicidade induzida por paracetamol em ratos Fischer.
Authors: Pereira, Mariana de Fátima Albuquerque
metadata.dc.contributor.advisor: Silva, Marcelo Eustáquio
Santos, Eleonice Moreira
Keywords: Acetaminofen
Fígado - doenças
Antioxidantes
Stress oxidativo
Óleo de coco
Issue Date: 2019
metadata.dc.contributor.referee: Guerra, Joyce Ferreira da Costa
Figueiredo, Sônia Maria de
Silva, Marcelo Eustáquio
Citation: PEREIRA, Mariana de Fátima Albuquerque. Efeito de diferentes tratamentos sobre o estresse oxidativo em modelo de hepatotoxicidade induzida por paracetamol em ratos Fischer. 2019. 161 f. Dissertação (Mestrado em Saúde e Nutrição) - Escola de Nutrição, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2019.
Abstract: O fígado é o principal órgão envolvido no processo de metabolização de xenobióticos. O fácil acesso a medicamentos como o paracetamol aliado ao desconhecimento da população sobre seus efeitos nocivos ao organismo tem aumentado significativamente o número de intoxicações por esse fármaco. As frutas, óleos e produtos medicinais são conhecidos por possuírem compostos antioxidantes e ou anti-inflamatórios, tais como compostos fenólicos, carotenoides, vitaminas A e E, sesquiterpenos e diterpenos, capazes de atenuar à injúria hepática induzida por paracetamol. Diante disso, o objetivo desse trabalho foi avaliar o efeito de diferentes tratamentos sobre os mecanismos de hepatotoxicidade ocasionados pelo paracetamol em ratos. Foram utilizados ratos machos da linhagem Fischer, com 80 dias de idade, do Laboratório de Nutrição Experimental da UFOP, divididos em 2 experimentos. O primeiro foi realizado para avaliação temporal da injúria hepática usando 2 grupos de 8 animais: Controle (C) e Paracetamol (P), durante 48 horas, no qual amostras de sangue ocular, em diferentes intervalos de tempo, foram coletadas para quantificação das atividades das enzimas alanina e aspartato aminotransferase (ALT e AST). No segundo, os animais foram divididos em 6 grupos de 8 animais: Controle (C), Paracetamol (P), Óleo de Copaíba + Paracetamol (OCOP + P), Óleo de Castanha de Macaúba + Paracetamol (OM+P), Óleo de Coco Extra Virgem + Paracetamol e Suco de Uvaia + Paracetamol (UV+P). O período experimental foi de 1 semana, sendo a água filtrada para C e P (1o ao 7o dia), os pré tratamentos (1o ao 7o dia) e o paracetamol (835mg/Kg no 7o dia), administrados via gavagem orogástrica. No oitavo dia do experimento 2, os animais foram anestesiados e eutanasiados. O sangue, fígado, rim, e coração foram coletados e armazenados em freezer -80oC ou formol. Foram avaliados metabólitos séricos, marcadores do estresse oxidativo, enzimas antioxidantes e perfis histopatológicos. Os resultados do experimento 1 indicaram aumento de AST e ALT no grupo (P) no período de 12 e 24 h, respectivamente, após administração de paracetamol, retornando a níveis basais em 48h. No experimento 2, a intoxicação com paracetamol foi capaz de alterar o perfil lipídico dos animais aumentando LDL e diminuindo o HDL, prejudicar a função hepática aumentando as enzimas ALT, AST e fosfatase alcalina, alterar biomarcadores da função renal aumentando os níveis de creatinina e ureia e reduzir a quantidade de sulfidrilas séricas. Além disso o grupo P aumentou a carbonilação de proteínas e a concentração de glutationa oxidada (GSSG) e reduziu a razão GSH/GSSG. A nível histológico, o grupo P aumentou o percentual de hiperemia, além de aumentar o percentual e o grau de hemorragia e inflamação no fígado. A associação do paracetamol ao óleo de castanha de macaúba (OM+P) auxiliou na melhora do dano oxidativo reduzindo a concentração de GSSG e aumentando a razão GSH/GSSG. O grupo OCOP+P reduziu a atividade de catalase e atuou na redução da carbonilação de proteínas, percentual de esteatose microvesicular e células inflamatórias, assim como, reduziu o número de células comparados à P. O grupo OC+P aumentou os níveis de GSSG, assim como reduziu a razão GSH/GSSG. Por fim, o grupo UV+P demonstrou redução do estresse oxidativo pela diminuição da peroxidação lipídica e redução da carbonilação de proteínas, porém houve aumento de GSSG, diminuindo portanto a razão GSH/GSSG. Histologicamente, o grupo UV+P obteve redução do percentual e grau de hemorragia, percentual de esteatose microvesicular e células inflamatórias. Conclui-se, portanto, que o óleo de castanha de macaúba obteve efeitos benéficos no metabolismo da glutationa, melhorando a capacidade antioxidante prejudicada pelo paracetamol. Demonstrou-se um efeito hepatoprotetor do óleo de copaíba e também efeito anti-inflamatório no fígado. O óleo de coco extra virgem não demonstrou ação antioxidante e efeito hepatoprotetor, não podendo portanto, apontar nenhum efeito benéfico desse óleo nesse modelo. A associação de uvaia com paracetamol teve efeito hepatoprotetor, antioxidante e anti- inflamatório, porém não demonstrou efeito benéfico pela modificação das enzimas antioxidantes endógenas. Dessa forma, mais estudos devem ser feitos utilizando esses pré tratamentos a fim de elucidar melhor os mecanismos de atuação no metabolismo e na injúria hepática causada no modelo de hepatotoxicidade induzida por paracetamol em ratos.
metadata.dc.description.abstracten: The liver is the main organ involved in the metabolism process of xenobiotics. Easy access to medications, such as, paracetamol combined with the population's lack of knowledge about its harmful effects on the body has significantly increased the number of intoxications caused by this drug. Fruits, oils and medicinal products are known to have antioxidant and anti-inflammatory compounds, such as phenolic compounds, carotenoids, vitamins A and E, and sesquiterpenes and diterpenes, which may then be able to attenuate paracetamol-induced liver injury. Therefore, the objective of this study was to evaluate the effect of different treatments on the mechanisms of hepatotoxicity caused by paracetamol in rats. Male rats of the Fischer lineage, 80 days old, from the Laboratory of Experimental Nutrition of UFOP, were divided into 2 experiments. The first one was performed for the temporal evaluation of hepatic injury using 2 groups of 8 animals: Control (C) and Paracetamol (P) for 48 hours, in which ocular blood samples at different time intervals were collected to quantify the activities of the enzymes alanine and aspartate aminotransferase (ALT and AST). In the second, the animals were divided into 6 groups of 8 animals: Control (C), Paracetamol (P), Copaiba Oil + Paracetamol (OCOP + P), Macauba Chestnut Oil + Paracetamol (OM + P), Extra Virgin Coconut Oil+ Paracetamol, and Uvaia Juice + Paracetamol (UV + P). The experimental period was 1 week, with water filtered for C and P (1st to 7th day), pre-treatments (1st to 7 th day), and paracetamol (835mg/kg on the 7th day), administered via orogastric gavage. On the eighth day of experiment 2, the animals were anesthetized and euthanized. Blood, liver, kidney, and heart were collected and stored in a -80°C freezer or formaldehyde. Serum metabolites, oxidative stress markers, antioxidant enzymes, and histopathological profiles were evaluated. The results of experiment 1 indicated an increase of AST and ALT in the (P) group in the period of 12 and 24h, respectively, after administration of paracetamol, then returning to basal levels in 48h. In experiment 2, paracetamol intoxication was able to alter the lipid profile of animals by increasing LDL and lowering HDL, impairing liver function by increasing ALT, AST, and alkaline phosphatase enzymes, altering renal function biomarkers by increasing creatinine and urea levels and reduce the amount of serum sulfidryls. In addition, the P group increased protein carbonylation and oxidized glutathione concentration (GSSG) also reduced the GSH / GSSG ratio. At the histological level, the P group increased the percentage of hyperemia, the percentage and the degree of hemorrhage, and inflammation in the liver. The association of paracetamol and macauba chestnut oil (OM + P) helped to improve oxidative damage by reducing GSSG concentration and increasing the GSH / GSSG ratio. The OCOP + P group reduced catalase activity and reduced protein carbonylation, percentage of microvesicular steatosis and inflammatory cells, as well as reduced the number of cells compared to P. The OC + P group increased the levels of GSSG, as well as reduced the GSH / GSSG ratio. Finally, the UV + P group showed reduction of oxidative stress by the reduction of lipid peroxidation and reduction of carbonylation of proteins, however, there was an increase of GSSG, thus reducing the GSH / GSSG ratio. Histologically, the UV + P group obtained a reduction in the percentage and degree of hemorrhage, percentage of microvesicular steatosis and inflammatory cells. It was concluded, therefore, that macauba chestnut oil had beneficial effects on glutathione metabolism, improving the antioxidant capacity impaired by paracetamol. It demonstrated a hepatoprotective effect of copaiba oil and an anti-inflammatory effect in the liver. The extra virgin coconut oil did not show antioxidant action and hepatoprotective effect, therefore, it could not point out any beneficial effect of the extra virgin coconut oil in this model. The association of uvaia with paracetamol had a hepatoprotective, antioxidant, and anti-inflammatory effect, but did not demonstrate a beneficial effect by the modification of the endogenous antioxidant enzymes. Thus, more studies should be done using these pre-treatments in order to better elucidate the mechanisms of action in metabolism and hepatic injury caused in the model of hepatotoxicity induced by paracetamol in rats.
Description: Programa de Pós-Graduação em Saúde e Nutrição. Escola de Nutrição, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/15187
metadata.dc.rights.license: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 31/07/2019 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.
Appears in Collections:PPGSN - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÂO_EfeitoDiferentesTratamentos.pdf4,92 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons