Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/3577
Título: Fenótipos para a síndrome metabólica em trabalhadores de turnos alternantes de uma mineradora na região dos Inconfidentes-MG.
Autor(es): Ambrosim, Ticiana Vazzoler
Orientador(es): Freitas, Silvia Nascimento de
Palavras-chave: Trabalho em turnos
Síndrome metabólica
Inflamação
Indicadores
Fenótipo
Data do documento: 2014
Referência: AMBROSIM, T. V. Fenótipos para a síndrome metabólica em trabalhadores de turnos alternantes de uma mineradora na região dos Inconfidentes-MG. 2014. 111f. Dissertação (Mestrado em Saúde e Nutrição) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2014.
Resumo: Introdução: A síndrome metabólica (SM) tem aumentado sua prevalência não só no Brasil como em todo o mundo. Ela é caracterizada por um conjunto de alterações como, hipertensão arterial, obesidade central, hiperglicemia e dislipidemia. A obesidade, especialmente a obesidade central, está associada a um estado inflamatório relacionado à maior produção de adipocinas e citocinas inflamatórias. Um possível fator de risco para o desenvolvimento da SM é o trabalho de turno alternante, pois trabalhadores de turno alternante possuem dessincronização do ciclo circadiano, que resulta em impactos no comportamento alimentar, no metabolismo e na composição corporal. Objetivo: Investigar o agrupamento dos fenótipos antropométricos, de composição corporal, clínicos e bioquímicos relacionados à SM em trabalhadores de turno alternante de uma mineradora na Região dos Inconfidentes – MG. Métodos: Estudo de caso-controle aninhado a um transversal foi realizado a partir de 174 trabalhadores de turnos alternantes diagnosticados com SM (casos) e de 174 trabalhadores de turno alternantes sem SM (controles) selecionados por meio de um sorteio aleatório simples. Os critérios de diagnóstico da síndrome foram adaptados dos propostos pelo IDF 2005. Foram coletados dados sociodemográficos e comportamentais, e realizadas medidas antropométricas e de composição corporal. Além disso, medições da pressão arterial e exames bioquímicos foram realizados para a investigação de lipídeos séricos, glicemia e marcadores inflamatórios. Os dados foram organizados em um banco de dados e analisados no programa estatístico PASW, versão 17.0. Foram efetuadas análises descritivas, teste KS, Teste T de Student e Man-Whitney U, teste do qui-quadrado de Pearson, e análise fatorial. Adotou-se nível de significância de 5% para verificar a diferença entre os grupos. Resultados: Foi observada nos dois grupos uma maior prevalência de indivíduos não brancos, com mais de oito anos de estudo e que vivem com cônjuje. Entre as variáveis comportamentais, foi encontradas alta porcentagem de atividade física e etilismo e baixa de tabagismo, sem diferenças estatísticas entre os grupos. As médias/medianas das variáveis antropométricas, de composição corporal, clínicas e bioquímicas foram diferentes entre o grupo caso e controle em quase todas as variáveis analisadas, exceto para o colesterol total, HDL colesterol, LDL colesterol, glicemia, tempo de trabalho por turnos, adiponectina e resistina. O grupo dos casos foi o que mostrou maior prevalência de fatores de risco da SM (p<0,05). No agrupamento de fenótipos para a SM, foi observada a formação de 6 fatores: Fator 1 - Obesidade/obesidade central/leptina; fator 2 - pressão arterial/trabalho de turno; fator 8 3 - hipercolesterolemia; fator 4 - resistência à insulina; fator 5 - adiponectina/HOMA-AD e fator 6 - inflamação/obesidade central; os quais foram capazes de explicar 67,51 % da variância total dos dados. Conclusão: Foi observada alta prevalência de fatores de risco para a SM em trabalhares de turnos alternantes. Estes trabalhadores com SM apresentaram maiores valores de média/mediana em todas as variáveis analisadas. A análise fatorial permitiu estabelecer a obesidade, juntamente com a leptina, como o principal fenótipo que caracteriza a SM nesses trabalhadores. Palavras–chave: Trabalho, Trabalho de turno, Trabalho de turno alternante, síndrome metabólica, indicadores de adiposidade corporal, inflamação. __________________________________________________________________________________________
ABSTRACT: Introduction: Metabolic syndrome (MS) has increased its prevalence not only in Brazil but also around the world. It is characterized by a set of alterations as hypertension, central obesity, hyperglycemia and dyslipidemia. Obesity, especially central obesity, is associated with an inflammatory state related to an increased production of adipokines and inflammatory cytokines. A possible risk factor for the development of MS is the alternating shift work because of alternating shift workers have desynchronization of the circadian cycle, resulting in impacts on feeding behavior, metabolism and body composition. Objective: Investigate the clustering of anthropometric, body compositon, clinical and biochemical phenotypes related with MS in alternating shift workers of a mining company in Região dos Inconfidentes - MG. Methods: A nested case-control study was realized from 174 alternating shift workers diagnosed with MS (cases) and 174 alternating shift workers without MS (controls) were selected by random sampling. The syndrome diagnostic criteria were adapted from the proposed by IDF 2005. Sociodemographic and behavioral data were collected, and performed anthropometric and body composition measures. Furthermore, blood pressure measurements and biochemical tests were performed for the investigation of serum lipids, blood glucose and inflammatory markers. The data were organized into a database and analyzed by PASW statistical software, version 17.0. Statistical analyzes were performed using descriptive analysis, KS test, T Student test, Man-Whitney U test, chi-square test, and factor analysis. All tests were performed with a significance level of 5 % to evaluate differences between the groups. Results: It was observed in both groups a higher prevalence of non-white individuals, with more than eight years of study and living with partner. Among the behavioral variables, were found low smoking, and high percentage of physical activity and alcohol consumption, without statistical differences between groups. The mean/median of anthropometric variables, body compisition, clinical and biochemical were different between the case and control groups in almost all variables, except for total cholesterol, HDL cholesterol, LDL cholesterol, blood glucose, shift work time, adiponectin and resistin. The cases group showed higher prevalence of MS risk factors in relation to control group (p <0.05). In the phenotypes association, were found 6 clusters: Factor 1 - obesity/central obesity/leptin, factor 2 - blood pressure/shift work, factor 3 - hypercholesterolemia, factor 4 - insulin resistance, factor 5 - adiponectin/HOMA-AD, and factor 6 - inflammation/central obesity, which were able to explain 67.51% of the total variance. Conclusion: High prevalence of risk factors for MS was 10 observed in alternate shift workers. These workers with MS had higher values mean / median of all variables. Factor analysis allowed establishing obesity, along with leptin, as the main phenotype that characterizes the MS in these workers.
Descrição: Programa de Pós-Graduação em Saúde e Nutrição. Escola de Nutrição, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/3577
Licença: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo autor(a), 16/07/2014, com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 3.0, que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que seja citado o autor e licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação desta.
Aparece nas coleções:PPGSN - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO_FenótiposSíndromeMetabólica.pdf3,81 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciado sob uma Licença Creative Commons Creative Commons