Ser exposto : a “circulação de crianças” no Termo de Mariana (1737 – 1828).

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2011
Autores
Damasceno, Nicole de Oliveira Alves
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Editor
Programa de Pós-Graduação em História. Departamento de História, Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal de Ouro Preto.
Resumo
Esta pesquisa se insere nas discussões sobre a história do abandono de crianças no Brasil durante os séculos XVIII e XIX. Procuramos entender, através de análises quantitativas e estudos de caso, qual era o significado de ser uma criança exposta nos séculos passados. Para isso, utilizamos como principais fontes os Registros de Receita e Despesa da Câmara Municipal de Mariana e as Listas de Habitantes. Através delas conseguimos perceber a complexidade da “circulação de crianças”, destacando os diferentes padrões dessa prática. Retratamos ainda o papel assistencialista da Câmara local, que pode nos demonstrar o que o abandono representava aos cofres púbicos. Por fim, percebemos que ser abandonado não significava ser um desqualificado social; por vezes, crianças poderiam melhorar a sua representação social ao ser exposta.
Descrição
Palavras-chave
Historiografia, Minas Gerais - história - documentos, Administração municipal - Mariana - MG, Família - Brasil - história, Crianças abandonadas
Citação
DAMASCENO, N. de O. A. Ser exposto : a “circulação de crianças” no Termo de Mariana (1737 – 1828). 2011. 149 f. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2011.