Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/9714
Title: O real na filosofia de Charles S. Peirce.
Authors: Franco, Juliana Rocha
Borges, Priscila Monteiro
Keywords: Ontologia
Semiótica
Metafísica
Issue Date: 2015
Citation: FRANCO, J. R.; BORGES, P. M. O real na filosofia de Charles S. Peirce. TECCOGS: Revista Digital de Tecnologias Cognitivas, v. 12, p. 66-91, 2015. Disponível em: <http://www4.pucsp.br/pos/tidd/teccogs/artigos/2015/edicao_12/teccogs12_artigo02.pdf>. Acesso em: 02 fev. 2018.
Abstract: O trabalho buscará, a partir do Realismo de C. S. Peirce, traçar elementos que configuram uma possível ontologia no sistema filosófico de Peirce. Começaremos por trabalhar a noção de real em Peirce mostrando como ela se relaciona com a existência, o possível, e a noção de geral. Em seguida, será apresentada a crítica que Peirce fez ao Nominalismo para mostrar como se constitui seu realismo. Segundo alguns autores, a Virada Linguística, no século XX, foi marcada pela subordinação do ser à linguagem. O Construtivismo, nesse contexto, fomentaria a ideia de que o mundo está contido dentro de nós (Barad, 2003, p. 801). Tal noção tem sido bastante criticada pelo Realismo Especulativo, pois transforma questões ontológicas em questões epistemológicas. Isto é, a busca pelo real foi substituída por questões sobre como acessar o conhecimento, deixando de lado a discussão sobre a realidade ela mesma. Na teoria peirceana, é possível encontrar uma solução interessante para essa questão, pois há nela, ao mesmo tempo, uma teoria metafísica que considera a existência de um certo tipo de realidade e a semiótica que nos indica o modo como representamos e significamos o mundo. Dessa forma, será apresentado um caminho complementar para se fazer uma leitura da ontologia em Peirce, que aborda a noção de objeto e especificamente a noção de objeto dinâmico, evidenciando como Peirce trabalha o problema do acesso ao real na semiótica.
metadata.dc.description.abstracten: From the perspective of Peirce’s realism, the paper gives an account of some ontological elements of Peirce’s philosophical system. After a discussion of Peirce’s notions of the “real” and “reality”, it shows how reality, according to Peirce, relates to existence, possibility, and to generality with comments on Peirce’s critique of nominalism. According to 20th century ordinary language philosophy and the Linguistic Turn of the twentieth century, cognition was conceived as being determined by the language spoken by the cognizing being. Constructivism held that the world is contained within the cognizing minds (Barad, 2003, p. 801). Speculative Realism has been criticizing such positions as logocentric. The reproach of the speculative realists is logocentrism substitutes ontological questions for epistemological ones. Their quest for the real is a quest for a method of investigating knowledge instead of discussing reality as such. In Peirce's theory we find an interesting solution to the issue. On the one hand he is a realist with a metaphysical theory of an extended form of reality, on the other, he is a semiotician, who knows that we can know the world only through signs. Based on Peirce’s semiotics, the authors bring up an ontological discussion of Peirce’s notion of (dynamic) object and shows how Peirce understood the question of the access the real through signs.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/9714
metadata.dc.identifier.uri2: http://www4.pucsp.br/pos/tidd/teccogs/artigos/2015/edicao_12/teccogs12_artigo02.pdf
ISSN: 19843585
Appears in Collections:DECSO - Artigos publicados em periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ARTIGO_RealFilosofiaCharles.pdf232,44 kBAdobe PDFView/Open    Request a copy


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.