Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/9383
Title: Alta exigência no trabalho e alto risco cardiovascular em funcionários de uma universidade pública.
Other Titles: Job strain and high cardiovascular risk in employees of a public university.
Authors: Xavier, Helena Chaves
Damasceno, Eduardo Caires
Silqueira, Salete Maria de Fátima
Oliveira, Fernando Luiz Pereira de
Pimenta, Adriano Marçal
Keywords: Condições de trabalho
Obesidade abdominal
Estresse psicológico
Fatores de risco
Issue Date: 2017
Citation: XAVIER, H. C. et al. Alta exigência no trabalho e alto risco cardiovascular em funcionários de uma universidade pública. RECOM - Revista de Enfermagem do Centro Oeste Mineiro, v. 7, p. 1-10, 2017. Disponível em: <http://www.seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/1328>. Acesso em: 16 jan. 2018.
Abstract: Estimar a associação entre a alta exigência no trabalho e o elevado risco cardiovascular. Métodos: estudo epidemiológico transversal, desenvolvido com 211 trabalhadores do campus saúde de uma universidade pública do Estado de Minas Gerais. A alta exigência no trabalho foi definida com base no modelo demanda-controle de Karasek, enquanto o elevado risco cardiovascular, a partir do escore de Framingham. A associação entre a alta exigência no trabalho e o elevado risco cardiovascular foi estimada pela Razão de Prevalência (RP) e seu Intervalo de Confiança de 95% (IC 95%), ajustada por potenciais fatores de confusão e calculada por meio da regressão de Poisson. Resultados: a alta exigência no trabalho e o elevado risco cardiovascular estavam presentes em 28,4% e 28,0% dos participantes. Após a análise multivariada, a alta exigência no trabalho manteve-se associada ao elevado risco cardiovascular (RP = 3,67; IC 95%: 1,40-9,59). Conclusão: a prevalência do elevado risco cardiovascular foi alta nos trabalhadores expostos ao estresse psicoemocional no ambiente de trabalho. Portanto, esse achado deve ser considerado nas discussões sobre melhoria da qualidade de vida e na promoção da saúde dos trabalhadores com modificações no processo e nas relações de trabalho.
metadata.dc.description.abstracten: To estimate the association between job strain and high cardiovascular risk. Methods: this was a cross-sectional epidemiological study developed with 211 employees in the health field of a public university in Minas Gerais State, Brazil. The job strain was defined according to the Karasek demand-control model while the risk of high cardiovascular issues was based on the Framingham score. The relationship between job strain and high cardiovascular risk was estimated using the Prevalence Ratio (PR) and its 95% Confidence Interval (95% CI), adjusted for potential confounding factors, and calculated through the Poisson regression. Results: job strain and high cardiovascular risk were present in 28.4% and 28.0% of participants, respectively. After the multivariate analysis, job strain remained independently associated with high cardiovascular risk (PR = 3.67; 95% CI: 1.40-9.59). Conclusions: the prevalence of elevated cardiovascular risk was high among workers exposed to psycho-emotional stress in the workplace. This finding should be considered in new policies regarding the workers’ quality of life and health promotion that may culminate with changes in labor relationships.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/9383
metadata.dc.identifier.uri2: http://www.seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/1328
ISSN: 22366091
Appears in Collections:DEEST - Artigos publicados em periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ARTIGO_AltaExigênciaTrabalho.pdf680,91 kBAdobe PDFView/Open    Request a copy


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.