Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/7548
Title: Estudo da influência da utilização de medicamentos na qualidade de vida de crianças e adolescentes diagnosticados com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade.
Authors: Lopes, Rafaela Ramos de Oliveira
metadata.dc.contributor.advisor: Veloso, Vanja Maria
Keywords: Disturbio da falta de atenção com hiperatividade
Qualidade de vida
Imipramina
Issue Date: 2016
metadata.dc.contributor.referee: Veloso, Vanja Maria
Bonolo, Palmira de Fátima
Lima, Angélica Alves
Citation: LOPES, Rafaela Ramos de Oliveira. Estudo da influência da utilização de medicamentos na qualidade de vida de crianças e adolescentes diagnosticados com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade. 2016. 108 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) – Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2016.
Abstract: O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é um distúrbio do desenvolvimento bastante discutido nas últimas décadas e acomete de 3% a 6% das crianças em idade escolar no Brasil. Esta situação demonstra a necessidade dos serviços de saúde pública reverem as suas práticas e implantarem ações que possam garantir o diagnóstico precoce e adequado, possibilitando um tratamento e acompanhamento coerentes com as atuais propostas de assistência ao paciente com TDAH. No caso daqueles que fazem uso de medicação controlada, em associação ou não com psicoterapias, a atenção deve ser voltada para os efeitos deste uso na Qualidade de Vida das crianças e adolescentes. Desta forma, o objetivo do presente trabalho foi estudar a influência da utilização de medicamentos na qualidade de vida de crianças e adolescentes diagnosticados com TDAH quando comparada a qualidade de vida de crianças e adolescentes diagnosticados com o transtorno, em tratamento apenas por psicoterapia no Centro de Atenção Psicossocial Infantil - CAPSi do município de Ouro Preto, MG. Para isso foi realizada coleta de dados nos prontuários das crianças e adolescentes acolhidos de 2008 a 2014 totalizando 1.778 pacientes, seguida de uma análise estatística dos dados utilizando os programas Microsoft Office Excel 2007 e IBM SPSS Statistics 20®. Em um segundo momento, a atenção foi voltada para o contato direto com os pacientes, a fim de realizar a aplicação de dois questionários: um abrangendo possíveis Problemas Relacionados ao uso de Medicamentos (PRM), e outro que buscou mensurar e avaliar a Qualidade de Vida das crianças e adolescentes que utilizavam medicamentos para manejo do transtorno, em comparação à Qualidade de Vida daquelas que não utilizavam medicamentos. A ferramenta disposta para tal fim foi a escala PedsQL™ – Pediatric Quality of Life Inventory™ 4.0. Os resultados encontrados mostraram que nos anos de 2008 e 2009, o número de diagnosticados com TDAH em relação ao total de atendidos no CAPSi em cada ano foi superior quando comparado aos anos seguintes. As taxas variaram de 24,5% em 2008 a 9,2% em 2014. A idade média das crianças atendidas foi entre 9 e ~11 anos, sendo a maioria do sexo masculino (78,8%). Foi observada uma variedade de prescrições de medicamentos pertencentes a diferentes classes terapêuticas, sendo a classe dos Antidepressivos a mais prescrita. Foi encontrado alto índice de ocorrência de PRM, sobretudo em adolescentes na faixa etária de 15 a 18 anos. Em relação à Qualidade de Vida, observou-se alta correspondência entre as respostas das crianças e adolescentes, e as dos responsáveis. No caso de crianças e adolescentes que fazem uso de medicação para manejo do TDAH e suas comorbidades, o índice de Qualidade de Vida foi mais alto, ou seja, a qualidade de vida dessas crianças e adolescentes é melhor quando comparada à qualidade de vida de crianças e adolescentes que recebem outros tipos de tratamento para o distúrbio.
metadata.dc.description.abstracten: The ADHD - Attention-Deficit Hiperactivity Disorder is a developmental disorder much discussed in recent decades and affects 3% to 6% of school age children in Brazil. This situation demonstrates the need for public health services to review their practices and implement actions that can ensure early and appropriate diagnosis enabling a consistent treatment and monitorization coherent with the current assistance proposals for patients with ADHD. In the case of those who are on controlled medication combined or not with psychotherapy, the attention should be focused on the effects of this use on the child's quality of life. Thus, this study aimed to analyze the influence of the use of medication in children diagnosed with ADHD on their quality of life compared with the quality of life of children diagnosed with the disorder but treated only with psychotherapy at the Psychosocial Care Center Children and Youth - CAPSi Ouro Preto, Minas Gerais. For this purpose, it was held a data collection from medical records of the children cared during 2008 to 2014, totaling 1,778 patients, followed by a statistical analysis of the data obtained using the Microsoft Office Excel 2007 and the IBM SPSS Statistics 20® programs. In a second phase, attention has been focused on the direct contact with patients in order to achieve the application of two questionnaires: one covering possible problems related to the use of medications (PRM), and the other which sought to measure and evaluate the quality of lives of children who used drugs for management of the ADHD, compared to the quality of life of those who did not use drugs. The tool available for this purpose was the PedsQL ™ scale - Pediatric Quality of Life Inventory ™ 4.0. The results obtained showed that in the years 2008 and 2009, the number of children diagnosed with ADHD in relation to the total treated at CAPSi in each year was higher when compared to the following years. The rates ranged from 24.5% in 2008 to 9.2% in 2014. The average age of the children attended was between 9 and ~ 11 years and the majority were male (78.8%). A variety of prescriptions drugs from different therapeutic classes was observed, where the class of antidepressants was the most commonly prescribed. It was found a high rate of occurrence of PRM, especially in adolescents aged from 15 to 18 years. Regarding the quality of life, high correlation was observed between the answers given by the children and the answers given by those responsible. In the case of children who use medication for the management of ADHD and its comorbidities, the quality of life index was higher, meaning that the quality of life of these children is better when compared to the children who receive other types of treatment for this disturb.
Description: Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas. CIPHARMA, Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/7548
metadata.dc.rights.license: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo autor, 22/03/2016, com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0, que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que seja citado o autor e licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação desta.
Appears in Collections:CIPHARMA - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_EstudoInfluênciaUtilização.pdf2,14 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons