Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/6422
Title: Flotação de smothsonita e dolomita com oleato de sódio/silicato de sódio : estudos fundamentais.
Authors: Araújo, Ana Carolina Arantes
metadata.dc.contributor.advisor: Lima, Rosa Malena Fernandes
Keywords: Dolomita
Flotação
Issue Date: 2016
metadata.dc.contributor.referee: Souza, Adelson Dias de
Pereira, Carlos Alberto
Citation: ARAÚJO, Ana Carolina Arantes. Flotação de smothsonita e dolomita com oleato de sódio/silicato de sódio: estudos fundamentais. 2016. 150 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Mineral) - Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2016.
Abstract: Neste trabalho estudou-se a separação seletiva por flotação dos minerais smithsonita e dolomita em amostras provenientes da região de Paracatu-Vazante, Minas Gerais/Brasil. Utilizou-se oleato de sódio como coletor e silicato de sódio como depressor. Estudou-se também a influência do sulfeto de sódio na superfície dos minerais e dos cátions (CaCl2, MgCl2 e ZnCl2) provenientes da dissolução destes. Para tal, realizaram-se estudos fundamentais, envolvendo testes de microflotação em tubo de Hallimond modificado e medidas de potencial zeta, variando a concentração dos reagentes e pH do meio. Com base nos estudos de microflotação efetuados em pH 9,5 observou-se que o oleato de sódio possui maior afinidade com a smithsonita (flotabilidade = 97,8 %) em relação à dolomita (flotabilidade = 68,6 %). O silicato de sódio deprimiu a dolomita, a 10,0 mg/L a flotabilidade foi igual a 6,51 %, o que não foi observado para a smithsonita, que obteve 98,4 % de flotabilidade. Porém, o excesso de silicato de sódio (150,0 mg/L) também deprimiu a smithsonita (flotabilidade = 35,8 %). O sulfeto de sódio deprimiu os dois minerais, a 10,0 mg/L a flotabilidade da smithsonita e dolomita foram iguais a 14,6 % e 7,8 % respectivamente. Os cátions Ca2+ e Mg2+ deprimiram a smithsonita, sendo o íon Ca2+ mais efetivo na depressão do mineral em todas as concentrações testadas. Com 1,0x10-3 mol/L as flotabilidades da smithsonita foram iguais a 8,6 % (Ca2+) e 87,9 % (Mg2+). O cátion Zn2+, nas concentrações igual e menor que 1,0x10-5 mol/L, ativou a dolomita, porém, em concentrações maiores que 1,0x10-5 mol/L, deprimiu o mineral. De modo geral, os valores de potencial zeta medidos para os dois minerais tornaram-se menos negativos na presença dos cátions comparados aos valores na ausência deles. Ambos os minerais foram deprimidos quando condicionados com os cátions, seguido de condicionamento com silicato de sódio. Observou-se que os íons em solução influenciam na flotação da smithsonita e dolomita, sendo necessário o controle dos íons para promover a separação seletiva entre os dois minerais.
metadata.dc.description.abstracten: This study aimed to investigate the selective smithsonite and dolomite separation by flotation, using samples from the region of Paracatu-Vazante, Minas Gerais/ Brazil. Sodium oleate was used as a collector and sodium silicate as a depressant. It was also investigated the influence of sodium sulfide on minerals surfaces and cations (CaCl2, MgCl2 and ZnCl2) from their dissolution. To this end, fundamental studies involving microflotation tests in a modified Hallimond tube and zeta potential measurements were carried out, varying the reagents concentrations and the pH. From the microflotation studies conducted at pH 9.5, it was observed that sodium oleate has a higher affinity for smithsonite (floatability = 97.8 %) compared to dolomite (floatability = 68.6 %). The sodium silicate depressed the dolomite, at 10,0 mg/L the floatability reached 6.5 %, which was not observed for the smithsonite, which obtained floatability of 98.4 %. However, the excess of sodium silicate (150.0 mg/L) also depressed the smithsonite (floatability = 35.8 %). The sodium sulphide depressed both minerals, at 10.0 mg/L smithsonite and dolomite floatabilities reached 14.6 % and 7.8 % respectively. Cations Ca2+ and Mg2+ depressed the smithsonite, Ca2+ ion was more effective in mineral depression at all concentrations tested. At 1,0x10-3 mol/L smithsonite flotabilities reached 8.6 % (Ca2+) and 87.9 % (Mg2+). Zn2+ cation at concentrations equal or lower than 1,0x10-5 mol/L activated the dolomite, however, at concentrations higher than 1,0x10-5 mol/L, it depressed the mineral. In general, the zeta potential values measured for minerals become less negative in the presence of cations compared to the values in their absence. Both minerals were depressed when conditioned with cations, followed by conditioning with sodium silicate. It was observed that ions in solution influence the smithsonite and dolomite flotation requiring control ions concentrations to promote selective separation of these minerals.
Description: Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas. Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/6422
metadata.dc.rights.license: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 20/04/2016 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.
Appears in Collections:PPGEM - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_FlotaçãoSmithsonitaDolomita.pdf4,68 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons