Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/6385
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorPatriota, Rainer Câmarapt_BR
dc.contributor.authorSilva, Márcio Oliveira Souza de-
dc.date.accessioned2016-04-13T14:12:19Z-
dc.date.available2016-04-13T14:12:19Z-
dc.date.issued2015-
dc.identifier.citationSILVA, Márcio Oliveira Souza de. O realismo de Büchner em A morte de Danton: sobre a filosofia de Lukács e a origem do “irracionalismo” alemão. 2015. 152 f. Dissertação (Mestrado em Estética e Filosofia da Arte) - Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2015.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/6385-
dc.descriptionPrograma de Pós-Graduação em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto.pt_BR
dc.description.abstractO objetivo central da dissertação é entender como Lukács pode vir a ter construído a perspectiva apresentada no ensaio O verdadeiro e o fascisticamente falsificado Georg Büchner. Determinado objetivo demanda que sejam demonstrados e explicitados aspectos categoriais e conceitos-chave do pensamento filosófico e estético de Lukács durante a década de 1930. Categorias centrais da ontologia marxiana, como ―trabalho‖, ―teleologia‖ e esfera da práxis (ação), surgem remodelando questões estéticas e o modus operandi com que Lukács compreende a topologia das formas literárias. A partir de então, a ―teoria do reflexo‖ e o caráter objetivo da atividade estética e literária tornam-se pivôs das análises e ensaios da década de 1930. O diagnóstico lukacsiano ainda demonstra como é na Revolução Francesa e nas suas repercussões que surgem o ―irracionalismo‖ e o combate ideológico à razão, plataformas que permitiriam o discurso falsificacionista vir à tona. Sendo Büchner um autor de visão de mundo realista, ele captura e figura de maneira dramática e trágica os bastidores desse processo na revolução.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsabertopt_BR
dc.subjectGyörgy Lukáspt_BR
dc.subjectIrracionalismo - filosofiapt_BR
dc.subjectBuchner, Georgpt_BR
dc.subjectRealismopt_BR
dc.subjectObjetividadept_BR
dc.titleO realismo de Büchner em A morte de Danton : sobre a filosofia de Lukács e a origem do “irracionalismo” alemão.pt_BR
dc.typeDissertacaopt_BR
dc.rights.licenseAutorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 17/02/2016 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.pt_BR
dc.description.abstractenThe central objective of this work is a detail understanding of how Lukács can had built the perspective showed in the essay O verdadeiro e o fascisticamente falsificado Georg Büchner. This objective demands that are demonstrated and explained some categorical aspects and key-concepts of Lukács‘s philosophy and aesthetical though during the decade of 1930. Central categories of marxist‘s ontological, like ―work‖, ―teleologie‖ and praxis‘s sphere (action) became remodeling the aesthetical questions and the modus operandi within Lukács comprises the topology of literary forms. Since this, the ―reflex- theory‖ and the objective character of aesthetical activity and literary became the central of the analyzes and essays of the 1930 decade. The lukacsian diagnosis demonstrate yet how it´s in the French Revolution and in his repercussions that emerge the ―irrationalism‖ and the ideological combat of the reason, the platform of the falsification speech. Being Büchner a realist author, he capture and figured in a dramatic and tragically view the backstage of revolution.-
Appears in Collections:PPGFIL - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_RealismoBuchnerMorte.pdf1,18 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.