Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/6381
Title: Prevalência da Leishmaniose visceral canina na terra indígena Xakriabá, norte de Minas Gerais, Brasil.
Authors: Rocha, Ana Maria Sampaio
metadata.dc.contributor.advisor: Coelho, George Luiz Lins Machado
Queiroz, Erica Maria de
Keywords: Diagnóstico molecular
Issue Date: 2015
metadata.dc.contributor.referee: Quaresma, Patrícia Flávia
Diniz, Lívia de Figueiredo
Coelho, George Luiz Lins Machado
Citation: ROCHA, Ana Maria Sampaio. Prevalência da Leishmaniose visceral canina na terra indígena Xakriabá, norte de Minas Gerais, Brasil. 2015. 90f. Dissertação (Mestrado em Saúde e Nutrição) - Escola de Nutrição, Universidade Federal de Ouro Preto, Escola de Nutrição, Ouro Preto, 2015.
Abstract: A terra indígena Xakriabá está localizada em área endêmica para a zoonose Leishmaniose Visceral (LV) no norte de Minas Gerais. A LV é uma parasitose relevante, apresentando elevada mortalidade em casos humanos não tratados. Os cães são considerados os mais importantes reservatórios domésticos da LV. O diagnóstico e tratamento precoce dos casos humanos, o controle do inseto vetor e a eutanásia de cães infectados são ações adotadas no controle da doença. Medidas de vigilância e controle da Leishmaniose Visceral Canina (LVC), preconizadas pelo Ministério da Saúde (MS), não tem sido efetivas. Um dos motivos é a permanência de reservatórios caninos nas áreas endêmicas, geralmente por falhas no diagnóstico sorológico, pela demora na retirada sistemática de parte dos cães soropositivos e soroconversão de animais indeterminados não retirados de área contribuindo assim para a manutenção do ciclo da doença. No ano de 2011, os métodos diagnósticos sorológicos para LVC, recomendados pelo MS, eram o Ensaio Imunoenzimático (ELISA) como método de triagem e a Reação de Imunofluorescência Indireta (RIFI) (titulação > 1:40) como teste confirmatório. No entanto, esses testes sorológicos apresentam limitações podendo apresentar taxas subestimadas de infecção (falso-negativos) e resultados sorológicos indeterminados (zona cinza). O objetivo desse trabalho foi determinar as prevalências para LVC por diferentes métodos de diagnóstico utilizando amostras de sangue dessecado em papel de filtro (SDPF). As técnicas sorológicas utilizadas foram o ELISA e a RIFI. O diagnóstico molecular foi realizado a partir da técnica PCR-kDNA para o gênero Leishmania utilizando o iniciador A: 5´ (C/G) (C/G) (G/C) CC(C/A) CTA T(T/A)T TAC ACC AAC CCC 3´ e iniciador B: 5´ GGG GAG GGG CGT TCT GCG AA 3´ que amplificamcam a região conservada do minicírculo do DNA do cinetoplasto do parasito. Os animais foram agrupados em diferentes perfis sorológicos: ELISA+/RIFI+, ELISA+/RIFI-, indeterminado em ELISA/RIFI+, indeterminado em ELISA/RIFI-, ELISA-, e realizada a comparação de proporções do diagnóstico molecular positivo para cada um dos desses grupos. Os resultados da prevalência da infecção determinada pela ELISA foi 33.3% (317/950), pela RIFI 15.4% (69/447) e pela PCR kDNA foi igual a 14,8% (140/948). A porcentagem dos resultados positivos utilizando a técnica molecular do diagnóstico molecular variou significativamente (p<0.001) de acordo com o perfil sorológico: ELISA+/RIFI+ (n=41; 36,6%); ELISA+/RIFI- (n=276; 17,7%), indeterminado em ELISA/RIFI+ (n=28; 57,1%), indeterminado em ELISA/RIFI- (n=100; 15,0%), ELISA- (n= 503; 8,9%). A técnica do ELISA demonstrou que sensibilidade de 45,7 % e especificidade de 68,7 %. Já a técnica de RIFI apresentou a sensibilidade de 32% e a especificidade de 89%. A acurácia da técnica do ELISA foi de 9,5% e do RIFI foi de 24,2%, o que demonstra que o primeiro teste foi menos concordante do que o teste RIFI em relação ao diagnóstico molecular (PCR-kDNA). Dessa forma, o diagnóstico molecular permitiu identificar falhas no diagnóstico quando comparados aos métodos sorológicos no diagnostico infecção do cão, comprometendo as medidas de controle da doença na terra indígena Xakribá. _____________________________________________________________________________________
ABSTRACT: The indigenous land of Xakriabá is located in an endemic region for zoonosis Visceral Leishmaniasis (VL) in the north of Minas Gerais. VL is a relevant disease with high mortality in untreated human cases. Dogs are considered the most important domestic reservoir of VL. Treatment of human cases, the insect vector control and euthanasia of infected dogs are actions taken to control the disease. Surveillance measures and control of Canine Visceral Leishmaniasis (CVL), recommended by the Health Ministry (HM), have not been effective. One reason is the permanence of canine reservoirs in the endemic areas, usually for failure of serological diagnosis, the delay in the systematic removal of parts of seropositive dogs and seroconversion of indeterminate animals not removed from the area, leading to the preservation of the disease cycle. In 2011, the serological diagnosis methods for LVC, recommended by HM, were the Enzyme-Linked Immunosorbent Assay (ELISA), as a screening method and the Immunofluorescence Assay (IFA) (titration> 1:40), as a confirmatory test. However, these serological tests have limitations and may have underestimated rates of infection (false negatives) and serological indeterminate results (gray zone). The aim of this study was to determine the prevalence for CVL through different methods of diagnosis using samples of dried blood on paper filter (DBPF). The serological techniques used were ELISA and IFA. The molecular diagnosis was made from the PCR-kDNA technique for Leishmania using the starter A: 5'(C / G) (C / G) (G / C) CC (C / A) CTA T (T / A ) T ACC AAC TAC CCC 3' and the starter B: 5'GAG GGG GGG CGT TCT GCG AA 3' which amplify the conserved region of the DNA minicircle of the parasite’s kinetoplast. The animals were grouped into different serological profiles: ELISA + / IFA + ELISA + / RIFI- indeterminate ELISA / IFA + indeterminate ELISA / RIFI-, Elisabeth, and a comparison of the positive molecular diagnostic ratios for each of these groups was performed. The results of the prevalence of certain infection by ELISA was 33.3% (317/950), 15.4% by IFAT (69/447) and PCR kDNA was equal to 14.8% (140/948). The percentage of positive molecular diagnosis varied significantly (p <0.001) according to the serological profile: ELISA + / IFAT + (n = 41; 36.6%); ELISA + / RIFI- (n = 276; 17.7%), unspecified for ELISA / IFA + (n = 28; 57.1%), unspecified for ELISA / RIFI- (n = 100; 15.0%), Elisabeth (n = 503; 8.9%). The ELISA technique showed a sensitivity of 45.7% and the specificity was 68.7%. Already the IFA technique achieved the sensitivity of 32.0% and specificity of 89.0%. The reproducibility of the ELISA technique was 9.5% and IFA was 24.2%, which shows that the first test was less consistent than the IFA in relation to molecular diagnosis (kDNA-PCR). Thus, the molecular diagnosis showed high frequency of failure diagnosis of serological methods regarding the dog's infection, compromising the disease control measures in the indigenous land of Xakribá.
Description: Programa de Pós-Graduação em Saúde e Nutrição. Escola de Nutrição, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/6381
metadata.dc.rights.license: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo autor, 10/03/2016, com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0, que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que seja citado o autor e licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação desta.
Appears in Collections:PPGSN - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_PrevalênciaLeishmanioseVisceral.pdf2,24 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons