Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/4445
Title: Potencial Neogênico da Vildagliptina em células beta pancreáticas e efeito potencializador da Quercetina na modulação de parâmetros bioquímicos e histológicos em um modelo experimental de Diabetes mellitus tipo 1.
Authors: Miranda, Pedro Henrique de Amorim
metadata.dc.contributor.advisor: Costa, Daniela Caldeira
Keywords: Diabetes
Células beta pancreáticas
Issue Date: 2014
Citation: MIRANDA, Pedro Henrique de Amorim. Potencial Neogênico da Vildagliptina em células beta pancreáticas e efeito potencializador da Quercetina na modulação de parâmetros bioquímicos e histológicos em um modelo experimental de Diabetes mellitus tipo 1. 2014. 91 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2014.
Abstract: Escopo: Recentemente, hormônios incretinas, incluindo Inibidores da Dipeptidil Peptidase-IV (DPP-IV), tem sido relatados como benéficos no tratamento do Diabetes mellitus tipo 1 (DM1). Além destes, uma dieta rica em alimentos que contém fitoquímicos ativos, como flavonóides, também tem chamado à atenção de pesquisadores quanto ao controle do DM1. Através de dois protocolos, nós estudamos a eficiência da Vildagliptina, um inibidor da DPP-IV, isolada ou em associação com Quercetina, um flavonóide, nos parâmetros bioquímicos e histológicos em ratas numa fase inicial e tardia de DM1. Materiais e Métodos: Diabetes foi induzido em ratas Fischer com Aloxana, via injeção intraperitoneal. Protocolo 1: Vildagliptina (5mg/kg/dia via gavagem) foi administrada aos animais 30 dias após a indução do estado de diabetes. O tratamento perdurou por mais 30 dias consecutivos. Passados 60 dias, os animais foram eutaniados. Protocolo 2: Vildagliptina e Quercetina (ambos 5mg/kg/dia via gavagem), isoladas ou em combinação, foram administradas aos animais logo após a indução do estado de diabetes. O tratamento perdurou por 30 dias consecutivos. Após o tratamento, os animais foram eutanasiados. Em ambos os protocolos, glicemia final de jejum, níveis séricos de insulina, perfil lipídico e histologia pancreática foram avaliados. Resultados: Em ambos os protocolos, os tratamentos não alcançaram a normoglicemia nos animais diabéticos. Apenas o tratamento tardio com Vildagliptina aumentou os níveis séricos de insulina, enquanto em ambos os protocolos, com tratamentos agudo e tardio, houve melhora no perfil lipídico e na população de células beta pancreáticas nos animais com DM1. Conclusão: Nossos resultados demonstram que o tratamento tardio com Vildagliptina, assim como o tratamento agudo com a combinação entre Vildagliptina e Quercetina, podem oferecer uma nova estratégica terapêutica capaz de restabelecer a população e função das células beta pancreáticas em modelo in vivo de DM1.
metadata.dc.description.abstracten: Background and Aims: Recently, incretin hormones, including dipeptidyl peptidase- IV (DPP-IV), has been reported as beneficial in the treatment type 1 diabetes mellitus (DM1). In addition, a diet rich in foods containing active phytochemicals such as flavonoids, has also drawn the attention of researchers regarding the control of DM1. Through two protocols, we study the efficiency of Vildagliptin, a DPP-IV inhibitor, alone or in combination with Quercetin, a flavonoid, biochemical and histological parameters in an advanced-stage and initial DM1 rats model. Materials and Methods: Diabetes in Fischer rats was induced by Alloxan, intraperitoneal injection. Protocol 1: Vildagliptin (5mg/kg/day gavage) were administered to the animals 30 days after the induction of diabetes state . The treatment continued for 30 consecutive days. After 60 days, the animals were euthanized. Protocol 2: Quercetin and Vildagliptin (both 5mg/kg/day gavage) alone or in combination, were administered to the animals after induction of diabetes state. The treatment lasted for 30 consecutive days. After treatment, the animals were euthanized. In both protocols, fasting blood glucose, serum insulin, lipid profile and pancreatic histology were evaluated. Results: In both protocols, the treatments did not achieve normoglycemia in diabetic animals. Only late treatment with Vildagliptin increased serum levels of insulin, while in both protocols, with acute and late treatments, there was an improvement in the lipid profile and the population of pancreatic beta cells in type 1 diabetic animals. Conclusion: Our results demonstrate that late treatment with Vildagliptin, as well as acute treatment with the combination of Vildagliptin and Quercetin, may offer a novel therapeutic strategy able to restore the population and function of pancreatic beta cells in vivo model of DM1.
Description: Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas. Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/4445
metadata.dc.rights.license: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo autor, 04/02/2015, com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 3.0, que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que seja citado o autor e licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação desta.
Appears in Collections:PPCBIOL - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_PotencialNeogênicoVildagliptina.pdf2,69 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons