Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/4006
Title: Partição da deformação em regimes contracionais com obsctáculos no antepaís : exemplo a partir do Sistema de Falhas Água Quente, borda leste do Quadrilátero Ferrífero, MG.
Other Titles: Deformation partition under contractions regimes with foreland obstacles : example of the Água Quente fault system, eastern border of the Iron Quadrangle, Minas Gerais.
Authors: Ferreira Filho, Flávio Affonso
Fonseca, Marco Antônio
Keywords: Quadrilátero Ferrífero
Brasiliano cycle
Issue Date: 2001
Citation: FERREIRA FILHO, F. A.; FONSECA, M. A. Partição da deformação em regimes contracionais com obsctáculos no antepaís : exemplo a partir do Sistema de Falhas Água Quente, borda leste do Quadrilátero Ferrífero, MG. Revista Brasileira de Geociências, v. 31, n.3, p. 267-278, 2001. Disponível em: <http://www.ppegeo.igc.usp.br/index.php/rbg/article/view/10469>. Acesso em: 30 set. 2014.
Abstract: O Sistema de Falhas Água Quente compreende um conjunto de falhas reversas e de empurrão, que está postado na borda leste do Quadrilátero Ferrifero. A Falha da Água Quente, posicionada mais a leste do sistema homônimo, é responsável pelo alçamento do Complexo Metamórfico Santa Bárbara sobre supracrustais dos supergrupos Minas e Rio das Velhas e exibe aspectos de particionamento da deformação em regime dominante de constrição, em decorrência da colisão com obstáculos no antepaís. A análise estrutural conduzida nos metassedimentos, principalmente em unidades atribuídas ao Supergrupo Minas e no embasamento arqueano, todos afetados pelo Sistema de Falhas Água Quente, permitiu registrar três fases de deformação D1, D2 e D3 As fases D1 e D2 geraram uma trama dúctil a dúctil-rúptil, ao passo que a fase D3 produziu uma trama essencialmente rúptil. A fase D1 é caracterizada por uma tectônica tangencial com embasamento envolvido. As relações geométricas entre os elementos da trama associada à fase D1 (relação foliação tipo xistosidade-S1 versus lineação mineral associada-Lmin) permitem compartimentar o Sistema de Falhas Água Quente em domínios, nos quais a geometria e cinemática do sistema são decorrentes da proximidade dos obstáculos postados no antepaís. A fase D2 é entendida como uma evolução da fase D1 (deformação progressiva), em grande parte governada pela constrição ao longo do sistema de falhas, em função do Alto Estruturai da Serra do Caraça (Maciço do Caraça). É caracterizada como uma tectônica direcional, com escape lateral no norte e vertical no sul. Estes escapes são fortemente controlados pelo arcabouço estrutural pós-D1 (boundary conditions). Os dados apresentados permitem concluir que à medida que se afastam dos obstáculos, em direção ao pós-país, deixam de existir as feições indicativas da rotação geral das estruturass em torno dos anteparos, como por exemplo a curvatura das falhas em mapa. As evidências de particionamento da deformação são mais sutis, e foram avaliadas a partir do estudo de detalhe da trama deformacional.
metadata.dc.description.abstracten: The Água Quente Fault System comprises a set of reverse/thrust faults that borders the eastern boundary of the Quadrilátero Ferrifero. The faults are responsable for thrusting of basement fragments and Archean supracrustals over Paleoproterozoic units of the Minas Supergroup. Strain partitioning under dominant constrictional regime is a particular characteristic of the fault system. Structural analysis allowed the recognition of three deformation phases that affect supracrustals of the Minas Supergroup. Phases D1 and D2 display ductile-brittle sets of structures whereas phase D3 is marked by essentially brittle structures. Geometric relationships between unrelated structures (the regional cleavage - S1 and associated mineral lineation - Lmin) support the division of the fault system into structural domains in which geometry and kinematics are controlled by the presence and distance from obstacles in the foreland. Phase D2 was developed under brittle-ductile conditions. Orientation of D2 structures is strongly controlled by the previous D1 geometry. D2 is here interpreted as an escape tectonics due to extreme constriction that took place along fault system, caused by the presence of the Caraça structural high. In the frontal position of the obstacle, right-lateral wrench tectonics dominate whereas in the south, the distance from the structural high allowed matter to escape vertically. Presented data suggest that far from the obstacles towards the hinterland, map view of fault curvatures tend to disappear. Features indicating strain partitioning are not so obvious and must be reported through detailed mapping of the structural fabric.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/4006
ISSN: 2317-4692
metadata.dc.rights.license: A Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical permite distribuição da obra sob uma licença idêntica a do Editor. Permite o armazenamento das versões pré-print e pós-print. Fonte: Diadorim <http://diadorim.ibict.br/handle/1/127>. Acesso em 23 jan. 2017.
Appears in Collections:DEGEO - Artigos de periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ARTIGO_ParticipaçãoDeformaçãoRegimes.pdf2,55 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.