Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/3938
Title: Ensaio clínico vacinal de fase I e II para avaliação comparativa da toxicidade, imunogenicidade e potência das vacinas Leishmune®, Leish- Tec®, KMP-11 e LBSap contra leishmaniose visceral canina.
Authors: Soares, Rodrigo Dian de Oliveira Aguiar
metadata.dc.contributor.advisor: Reis, Alexandre Barbosa
Keywords: Leishmaniose visceral
Vacinas
Cão como animal de laboratório
Issue Date: 2014
Citation: SOARES, R. D. de O. A. Ensaio clínico vacinal de fase I e II para avaliação comparativa da toxicidade, imunogenicidade e potência das vacinas Leishmune®, Leish- Tec®, KMP-11 e LBSap contra leishmaniose visceral canina. 2014. 139 f. Tese (Doutorado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2014.
Abstract: O presente estudo avaliou a toxicidade/inocuidade, imunogenicidade e eficácia/potência dos protótipos vacinas KMP-11 e LBSap, de forma comparativa com as vacinas comerciais Leishmune® e Leish-Tec®, em um ensaio clínico vacinal de fase I e II. Para isso, trinta e cinco cães foram classificados em cinco grupos (sete cães por grupo): i) grupo controle receberam 1 mL de solução salina estéril 0,9%; ii) grupo Leish-Tec receberam a vacina comercial Leish-Tec®; iii) Grupo Leishmune receberam a vacina comercial Leishmune®; (iv) grupo LBSap recebeu 600 μg de proteína de promastigotas de L. braziliensis e 1 mg do adjuvante saponina; (v) grupo KMP-11 receberam 100 μg do antígeno recombinante KMP-11 associado a 1 mg do adjuvante saponina. Uma análise detalhada e comparativa da inocuidade/toxicidade vacinal foi realizada através do quadro clínico, bioquímico e hematológico entre as doses de imunização e após o término das três doses vacinais. Embora em alguns cães dos grupos KMP-11, LBSap e Leishmune tenham apresentado alterações no local dos inóculos vacinais, relacionados ao adjuvante saponina, como: nódulos, edema leve, dor local, estes foram transientes e desapareceram após setenta duas horas da vacinação. Nossos resultados de inocuidade indicam que as alterações adversas provocadas pelas imunizações são toleráveis, tendo em vista a importância e funcionalidade que uma vacina canina eficaz promoveria no controle da doença. Nossos resultados da imunogenicidade vacinal demonstram um aumento da população circulante de linfócitos T CD8+ ao final do protocolo vacinal (T1) nos grupos LBSap e Leish-Tec, além de seis meses após o desafio experimental (T2) no grupo LBSap. Também foi observado em T1 aumento de linfócitos B (grupo Leishmune) e de monócitos CD14+ (grupos LBSap, Leishmune e KMP-11), que justificam e reforçam o potencial imunoprofilático destas vacinas. Nas análises in vitro foi observado aumento na atividade linfoproliferativa nos grupos LBSap e Leishmune, sendo no grupo LBSap um aumento antígeno-específico de linfócitos TCD4+ e CD8+. Uma segunda abordagem das análises in vitro buscou avaliar o percentual de células T CD4+ e CD8+ antígeno-específicas produtoras de IFN- e IL-4, onde foi observado no grupo LBSap aumento de ambas as subpopulações produtoras de IFN-, sendo também evidenciado um aumento de T CD8+ produtores de IFN- no grupo Leish-Tec. Nosso resultados de imunogenicidade reforçam a hipótese que o processo vacinal, principalmente, com a vacina LBSap levam a geração de uma resposta imune protetora contra o agente etiológico da LVC compatível com o controle do parasito de L. infantum. Nossos resultados da reatividade sorológicos demonstraram que o TR DPP® foi capaz de distinguir os cães doentes dos vacinados. Após o desafio experimental pela via endovenosa os cães foram acompanhados por 6 meses e foram evidenciadas alterações clínicas sugestivas da infecção por Leishmania, entretanto, na maioria dos cães foi observado uma infecção assintomática. Na avaliação parasitológica da medula óssea foi possível isolar o parasito (mielocultura) bem como quantificar o DNA (qPCR) de Leishmania em todos os grupos, sendo observado redução considerável da carga parasitária da medula óssea em todas as vacinas testadas em relação ao grupo Controle. Entretanto, no grupo de cães imunizados com LBSap esta redução foi mais evidente, chegando a ser 47 vezes menor. Com base no que foi exposto, a vacina LBSap seria a mais indicada para prosseguimento em ensaio clínico vacinal de fase III, em relação a vacina KMP-11.
metadata.dc.description.abstracten: This study evaluated the toxicity/safety, immunogenicity and efficacy/potency of vaccines prototypes KMP-11 and LBSap, in comparison to the commercial vaccines Leishmune® and Leish-Tec®, in a vaccine clinical trial phase I and II. For this, thirty-five dogs were classified into five groups (seven dogs per group): i) control group received 1 mL of sterile 0.9% saline solution; ii) Leish-Tec group received the Leish-Tec® commercial vaccine; iii) Leishmune group received the Leishmune® commercial vaccine; (iv) LBSap groups received 600 μg of L. braziliensis promastigotes protein and 1 mg of saponin adjuvant; (v) KMP-11 group (n=7) received 100 μg recombinant KMP-11 antigen associated to 1 mg saponin adjuvant. A detailed and comparative analysis of safety/toxicity vaccination was performed by clinical, biochemical and hematological parameters between dose and immunization after the end of the three vaccine doses. Although some groups of dogs KMP-11, LBSap and Leishmune have presented changes at the site of vaccination inoculum, related to saponin adjuvant, such as nodules, mild edema, and local pain, these were transient and disappeared seventy two hours after vaccination. Our results indicate that the safety of adverse changes caused by immunizations is tolerable in view of the effective canine vaccine importance and functionality that it promotes in the disease control. Our results of the immunogenicity vaccine demonstrate increase in circulating population of T CD8+ lymphocytes in the end of the immunization protocol (T1) in groups LBSap and Leish-Tec, as long as six months after experimental challenge (T2) in LBSap group. It was also observed in T1, an increase of B lymphocytes (Leishmune group) and monocytes CD14+ (LBSap, Leishmune and KMP-11 groups), that justify and reinforce the potential immunoprophylactic of these vaccines. In the in vitro analyzes an increase in lymphoproliferative activity in groups LBSap and Leishmune was observed, occurring in LBSap group an antigen-specific increase of CD4+ and CD8+ T-lymphocytes. A second approach of in vitro assays aimed to evaluating the percentage of antigen-specific CD4+ and CD8+ lymphocytes producers of IFN- e IL-4, where an increase in both IFN- producing subpopulations in the group LBSap was observed, and it also showed an increase in IFN- producers in CD8+ lymphocytes in the Leish-Tec group. Our immunogenicity results support the hypothesis of the vaccine process, especially with the LBSap vaccine generating a protective immune response against the causative agent of CVL compatible with L. infantum parasite control. Our results of serological reactivity demonstrate that TR DPP® was able to distinguish among diseased and vaccinated dogs. After experimental challenge by intravenous route the dogs were followed for 6 months and clinical changes suggestive of Leishmania infection were observed, however in the majority of dogs asymptomatic infection was observed. In the parasitological evaluation of bone marrow it was possible to isolate the parasite (myeloculture) and quantify the DNA (qPCR) of Leishmania in all groups, significant reduction in parasite burden in the bone marrow was observed in all vaccines tested compared to control group. However, in the group of dogs immunized with LBSap this reduction was more evident, being 47 times smaller. Based on the foregoing, the LBSap vaccine would be the most suitable for further research in phase III clinical trial vaccine in relation to KMP-11 vaccine.
Description: Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas. Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/3938
metadata.dc.rights.license: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo autor, 23/10/2014, com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 3.0, que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que seja citado o autor e licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação desta.
Appears in Collections:PPCBIOL - Doutorado (Teses)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESE_EnsaioClínicoVacinal.pdf2,4 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons