Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/3595
Title: Avaliação dos marcadores de estresse oxidativo e defesas antioxidantes em fígado de camundongos após infecção pelo vírus Caraparu.
Authors: Camini, Fernanda Caetano
metadata.dc.contributor.advisor: Magalhães, Cíntia Lopes de Brito
Keywords: Vírus
Superóxido dismutase
Antioxidantes
Issue Date: 2014
Citation: CAMINI, F. C. Avaliação dos marcadores de estresse oxidativo e defesas antioxidantes em fígado de camundongos após infecção pelo vírus Caraparu. 2014. 99 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2014.
Abstract: O vírus Caraparu (CARV) é membro do grupo C do gênero Orthobunyavirus (família Bunyaviridae). Os vírus do grupo C foram primeiramente descritos na região da Amazônia Brasileira na década de 1950. O CARV foi isolado em 1956 de um macaco sentinela no estado do Pará. Nos países da América do Sul, os bunyavírus do grupo C estão entre os agentes mais comuns de doença febril em humanos e têm causado notáveis surtos nas últimas décadas. Dentre os sintomas da infecção pelo CARV no homem, destacam-se febre, cefaléia, mialgia, náuseas e fraqueza. Já em camundongos, o CARV causa hepatite, o que leva a acreditar que, algum grau de lesão hepática possa também ocorrer nas infecções humanas. Apesar da doença em humanos ser há tanto conhecida, foram poucos os estudos subsequentes pautando esse vírus no que diz respeito a sua patogenia. Estudos têm demonstrado que na patogênese de algumas doenças virais ocorre um aumento no estresse oxidativo, que resumidamente, é um distúrbio no balanço oxidante-antioxidante que pode levar a um potencial dano celular. Muitas células podem tolerar um grau de estresse oxidativo, pois elas possuem antioxidantes tais como a Glutationa, Superóxido Dismutase (SOD) e Catalase (CAT). Portanto, o objetivo deste trabalho foi investigar a patogênese hepática do CARV em camundongos e o possível envolvimento do estresse oxidativo e defesas antioxidantes nessa patologia. Após a infecção subcutânea de camundongos BALB/c, o CARV foi detectado no fígado e a histopatologia revelou hepatite aguda. Elevados níveis séricos de aspartato e alanina aminotransferases (AST/ALT) e alta expressão hepática da citocina pró-inflamatória Fator de Necrose Tumoral Alpha (TNF-α) foram encontrados nos animais infectados. A infecção pelo CARV não alterou os biomarcadores de estresse oxidativo, mas aumentou o conteúdo de Glutationa e alterou a expressão e atividade das enzimas SOD e CAT. Este trabalho é o primeiro que mostra alterações na homeostase oxidativa após infecção pelo CARV e, pode, em parte, ajudar a explicar melhor a patogênese hepática deste vírus, assim como a patogênese de outros membros da família Bunyaviridae.
metadata.dc.description.abstracten: Caraparu virus (CARV) is a member of Group C of the Orthobunyavirus genus (Bunyaviridae family). Group C viruses were firstly described in the brazilian Amazon region during the 1950s. The CARV was first isolated in 1956 from a sentinel monkey in state of Pará. In the countries of South America, bunyavirus Group C are among the common agents of human febrile illness and have caused notable outbreaks in recent decades. Among the symptoms of CARV infection in human stand out fever, headache, myalgia, vomiting and weakness. Already in mice CARV causes hepatitis, which leads to believe that some degree of liver injury may also occur in human infections. Although the disease in humans is already known to a time, few subsequent studies basing this virus regarding its pathogenesis. Studies have shown that in the pathogenesis of some viral diseases there is an increase in oxidative stress that, briefly, is a disturbance in the oxidant-antioxidant balance leading to potential cellular damage. Most cells can tolerate a mild degree of oxidative stress because they have antioxidant molecules such as glutathione, superoxide dismutase (SOD) and catalase (CAT). Therefore, the purpose of this study was to examine the hepatic pathogenesis of CARV in mice and the possible involvement of oxidative stress and antioxidant defenses on this pathology. Following subcutaneous infection of BALB/c mice, CARV was detected in the liver and histopathology revealed acute hepatitis. Increased serum levels of aspartate and alanine aminotransferases (AST/ALT) and greater hepatic expression of the proinflammatory cytokine Tumor Necrosis Factor Alpha (TNF-α) were found in infected animals. The CARV-infection did not alter the biomarkers of oxidative stress but caused increased GSH content and altered expression and activity of SOD and CAT. This is the first report of an alteration of oxidative homeostasis upon CARV infection, which may, in part, explain the hepatic pathogenesis of this virus, as well as the pathogenesis of other Bunyaviridae members.
Description: Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas. Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/3595
metadata.dc.rights.license: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a), 20/08/2014, com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 3.0, que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que seja citado o autor e licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação desta.
Appears in Collections:PPCBIOL - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_AvaliaçãoMarcadoresEstresse.pdf2,43 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons