Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/3529
Title: Variabilidade da frequência cardíaca e sua relação com os traços e comportamentos pró- sociais.
Authors: Álvares, Roberta Sônia Rodrigues
metadata.dc.contributor.advisor: Souza, Gabriela Guerra Leal de
Keywords: Sistema cardiovascular
Coração - doenças
Resiliência - traço de personalidade
Issue Date: 2014
Citation: ÁLVARES, R .S. R. Variabilidade da frequência cardíaca e sua relação com os traços e comportamentos pró- sociais. 2014. 87 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2014.
Abstract: Espécies sociais são aquelas que formam organizações que se estendem além do indivíduo. Os seres humanos, que são espécies sociais, possuem mecanismos genéticos, celulares, hormonais, neurais e comportamentais que os ajudam na sobrevivência, reprodução, e cuidado com a prole de forma que a herança genética consiga ser passada para a geração seguinte. O objetivo desse estudo foi verificar a existência de associação entre os traços e comportamentos pró-sociais e a variabilidade da frequência cardíaca (VFC). Foram avaliados 120 estudantes universitários da Universidade Federal de Ouro Preto, voluntários, de ambos os sexos, com idade média de 21,8 (± 2,21) anos. Para avaliar os traços pró-sociais utilizou-se as seguintes escalas: Perfil de Relacionamento (RSQ), Resiliência (ER-89) e Traço de Afeto Positivo e Negativo (PANAS) e para avaliar o comportamento pró-social utilizou-se uma tarefa onde o experimentador deixava uma caneta cair “acidentalmente” próximo ao voluntário e media-se o tempo gasto para pegar a caneta no chão. Foi realizado o registro do eletrocardiograma (ECG) durante 10min em repouso, na posição supina, para extração dos componentes da VFC [HF e RMSSD, que representam a atividade parassimpática; Frequência Cardíaca (FC), que representa a atividade simpática e parassimpática; LF, que representa a sensibilidade barorreflexa e o SDNN, que representa a VFC global]. Foram utilizadas correlações de Spearman para investigar a associação entre os índices da VFC e os traços e comportamentos pró-sociais. O perfil de relacionamento seguro se correlacionou negativamente com a FC (Rho= -0.17; p = 0.04), enquanto o perfil preocupado se correlacionou negativamente com o log RMSSD (Rho = -0.19; p = 0.03), log HF (Rho = -0.17; p = 0.05), log LF (Rho = -0.18; p = 0.03) e log SDNN (Rho = - 0.16; p = 0.06). Encontrou-se também uma correlação positiva entre o interesse, uma sub-escala da escala de traço de afeto positivo, e o log HF (Rho = 0.23; p = 0.01) e o log LF (Rho = 0.24; p < 0.01). Além disso, houve uma tendência de associação positiva entre a escala de resiliência e o log HF (Rho = 0.15; p = 0.08) e o log LF (Rho = 0.15; p = 0.08). O tempo gasto para pegar a caneta correlacionou-se positivamente com o perfil preocupado (Rho = 0.18; p = 0.04) e houve uma tendência de associação negativa com o traço de afeto positivo (Rho = -0.15; p = 0.09) e com a alegria (Rho = -0.16; p = 0.06), que é uma sub-escala da escala de traço de afeto positivo. Ademais, o tempo gasto também se correlacionou negativamente com os componentes parassimpáticos, log RMSSD (Rho = -0.17; p = 0.05) e log HF (Rho = -0.18; p = 0.04). Concluímos que a variabilidade da frequência cardíaca em repouso, especialmente a atividade cardíaca parassimpática e a sensibilidade barorreflexa estão associadas ao maior comportamento e traços pró-sociais, o que pode ser um indicativo de melhor saúde física e mental.
metadata.dc.description.abstracten: Social species are those that form organizations that extend beyond the individuals. Humans are social species that have genetic, cellular, hormonal, neural and behavioral mechanisms, which help in survival, reproduction, and parental care so that genetic inheritance can be passed to the next generation. The aim of this study was to investigate the association between prosocial traits and behavior and indices of heart rate variability (HRV). We evaluated 120 college students of Federal University of Ouro Preto, volunteers, both sexes, with 21,8 ± 2,21 years old. To evaluate the prosocial traits we used the: Relationship Scale Questionnaire (RSQ), Ego-Resiliency Scale (ER- 89), and Positive and Negative Affect Schedule (PANAS) and to evaluate the prosocial behavior we used a task in which the experimenter left a pen “accidentally” dropped next to the volunteer and we measured the time spent by the volunteer to pick up the pen on the floor. The electrocardiogram (ECG) was recorded during 10 min, in supine position, to extract the components of HRV [HF and RMSSD, which represent parasympathetic activity; heart rate (HR), representing sympathetic and parasympathetic activity; LF, representing baroreflex sensitivity and SDNN, representing the global HRV]. Spearman correlations were used to investigate the association between HRV indices and prosocial traits and behavior. The profile of secure relationship negatively correlated with log HR (Rho= -0.17; p = 0.04), while the preoccupied profile negatively correlated with log RMSSD (Rho = -0.19; p = 0.03), log HF (Rho = -0.17; p = 0.05), log LF (Rho = -0.18; p = 0.03), and log SDNN (Rho = -0.16; p = 0.06). There was a positive correlation between interest, a subscale of positive affect trait scale, and log HF (Rho = 0.23; p = 0.01) and log LF (Rho = 0.24; p < 0.01). We also found a positive association trend between resilience scale and log HF (Rho= 0.15; p = 0.08) and log LF (Rho = 0.15; p = 0.08). The time spent to pick up the pen positively correlated with preoccupied profile (Rho = 0.18; p = 0.04) and there were trends for negative correlation with positive affect trait (Rho = -0.15; p = 0.09) and with joy (Rho = -0.16; p = 0.06), a subscale of positive affect trait scale. Moreover, the time spent also negatively correlated with parasympathetic components, log RMSSD (Rho = -0.17; p = 0.05) and log HF (Rho = -0.18; p = 0.04). We conclude that heart rate variability at rest, especially the parasympathetic activity and baroreflex sensitivity are associated with increased prosocial behavior and traits, which may be indicative of better mental and physical health.
Description: Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas. Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/3529
metadata.dc.rights.license: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo autor(a), 11/07/2014, com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 3.0, que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que seja citado o autor e licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação desta.
Appears in Collections:PPCBIOL - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_VariabilidadeFrequênciaCardíaca.pdf2,82 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons