Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/3465
Title: A infecção experimental pelo Trypanosoma cruzi agrava o desenvolvimento de lesões ateroscleróticas em camundongos apoE-/-.
Authors: Figueiredo, Vivian Paulino
metadata.dc.contributor.advisor: Silva, André Talvani Pedrosa da
Keywords: Trypanosoma cruzi
Aterosclerose
Doença de Chagas
Apolipoproteína E - ApoE
Issue Date: 2012
Publisher: Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas. Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Universidade Federal de Ouro Preto.
Citation: FIGUEIREDO, V. P. A infecção experimental pelo Trypanosoma cruzi agrava o desenvolvimento de lesões ateroscleróticas em camundongos apoE-/-. 2012. 70 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2012.
Abstract: A resposta inflamatória sistêmica desencadeada por alguns agentes infecciosos exercem efeitos pró-aterogênicos via produção e ação de mediadores inflamatórios sobre a parede vascular. Nesse contexto, a infecção desencadeada pelo protozoário Trypanosoma cruzi apresenta um caráter inflamatório responsável pelo desenvolvimento de inúmeras manifestações cardiovasculares enquanto a aterosclerose, doença crônico-degenerativa, também é capaz de ocasionar obstrução de artérias pelo acúmulo de lipídeos em suas paredes através de um evento inflamatório local. A saber, a apolipoproteína E (apoE) é a principal glicoproteína responsável pelo transporte e metabolismo de colesterol e triglicerideos, sendo uma constituinte das lipoproteínas VLDL, HDL e quilomícrons. Neste estudo avaliamos a interferência da apoE no desenvolvimento das lesões cardiovasculares em camundongos C57BL/6 (n=28) e apoE knockout/ -/- (n=28) com 10 semanas, infectados pelas cepas Berenice 78 (Be 78) e Colombiana do T. cruzi. Avaliou-se diariamente a parasitemia e semanalmente o peso dos animais. Antes e após 30 dias de infecção, coletou-se sangue para dosagens bioquímicas (colesterol total, colesterol HDL e triglicérideos) e imunológicas (CCL2/MCP-1 e CCL5/RANTES). Após a eutanásia, o fígado e as fezes foram utilizados para extração e quantificação dos lipídeos totais e o arco aórtico, juntamente com o tecido muscular cardíaco, para avaliações morfométricas. Observou-se um menor período pré-patente nos animais selvagens (dia 9) em relação aos apoE-/- (dia 12), sendo que nestes últimos a parasitemia foi menor para ambas as cepas estudadas. Não houve diferença no peso dos animais entre os grupos, mas o colesterol total e os triglicerídeos plasmáticos mostraram-se elevados no grupo apoE-/-. Em relação à genética do parasito, a cepa Be 78 nos animais apoE-/- mostrou-se associada ao aumento dos lipídeos fecais, enquanto a cepa Colombiana neste mesmo grupo apresentou-se associada a níveis elevados de triglicérideos plasmáticos. Na análise plasmática de quimiocinas, verificou-se elevada produção de CCL2 e CCL5 em todos os animais infectados, porém apenas com a cepa Be 78, avaliada em animais apoE-/-, houve uma redução dos níveis séricos de CCL5. Observou-se aumento de células inflamatórias no tecido cardíaco, bem como de parasitos teciduais, no grupo infectado com a cepa Colombiana. Em relação à aterogênese, o grupo apoE-/- infectado por esta cepa, apresentou maiores áreas de lesão e alterações no conteúdo de colágeno. Estes dados sugerem que a infecção experimental pelo T. cruzi interfere no desenvolvimento de lesões ateroscleróticas em camundongos apoE-/-, assim como na produção de mediadores inflamatórios plasmáticos e de alguns tipos lipídicos. A análise e compreensão da interferência da apoE na patogênese cardíaca da doença de Chagas associado à variabilidade genética do parasito constituirão importantes elementos para estudos futuros envolvendo a resposta inflamatória cardiovascular.
metadata.dc.description.abstracten: Inflammatory effects induced by photogenic organisms may exert pro-atherogenic effects thought inflammatory mediators in the vascular walls. In this context, the protozoan Trypanosoma cruzi is responsible for the development of inflammatory cardiovascular events while atherosclerosis, a chronic degenerative disease, leads to clogged arteries, by the accumulation of lipids in their walls, also induced by inflammatory events. Apolipoprotein E (apoE) is a major glycoprotein responsible for the transport and metabolism of cholesterol and triglycerides, being a constituent of VLDL, HDL, and chylomicrons. This study evaluated the interference of apoE in the development of cardiovascular lesions in C57BL/6 (n = 28) and C57BL/6 Apo E-knockout/-/- (n = 28) at 10 weeks, infected with the Berenice-78 strains (Be 78) and Colombian of T. cruzi. Daily parasitemia and weekly weight of animals were performed and, before and after 30 days of infection, blood was collected by biochemical (total cholesterol, HDL cholesterol and triglycerides) and immune (CCL2/MCP-1 and CCL5/RANTES) assays. After euthanasia, liver and feces were used for extraction and quantification of total lipids and aortic arch and cardiac muscles collected to morphometric analysis. There was a lower pre-patent period in the wild group (9 days) compared to the apoE-/-(12 days). There was no difference in weight between the groups of animals and total cholesterol and triglycerides were elevated in the group apoE-/-. Regarding the genetics of parasite strain Be-78 animals in apoE-/-, it was associated with increased fecal lipids, while the Colombian strain in this same group showed elevated levels of plasma triglycerides. In the analysis of plasma chemokines, there was high production of CCL2 and CCL5 in all infected animals, but only with the Be 78 strain, evaluated in apoE-/- animals, it was detected a reduction in plasma levels of CCL5. The inflammatory infiltration and parasites in the infected cardiac tissues was observed mainly in the group infected with Colombian strain. In relation to atherogenesis, apoE-/- group infected with Colombian strain had larger lesions and changes in the collagen content. These data suggest that the experimental infection with T. cruzi interferes with the development of atherosclerotic lesions in apoE-/- mice as well as in plasma production of inflammatory mediators and some types of lipid. The analysis and understanding of the interference of apoE in the pathogenesis of Chagas heart disease, as well as possible links with the genetic variability of the parasite, constitute important elements for future studies involving cardiovascular inflammatory response.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/3465
Appears in Collections:PPCBIOL - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_InfecçãoExperimentalTrypanosoma.pdf1,09 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.