Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/3288
Title: Estudo descritivo do consumo referido de psicofármacos em Ouro Preto Minas Gerais (2006).
Authors: Fontes, Renata Aparecida
metadata.dc.contributor.advisor: Coelho, George Luiz Lins Machado
Keywords: Farmacoepidemiologia
Medicamentos - utilização
Psicotrópicos
Issue Date: 2009
Publisher: Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas. CIPHARMA, Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto.
Citation: FONTES, R. A. Estudo descritivo do consumo referido de psicofármacos em Ouro Preto Minas Gerais (2006). 2009. 126 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2009.
Abstract: A farmacoepidemiologia em saúde mental é incipiente no Brasil. Trabalhos sobre este tema contribuem para a discussão sobre a problemática de acesso às terapias farmacológicas dos transtornos mentais, pois permitem entender relação de sua utilização com as dimensões sócio-demográficas e políticas públicas de saúde. Por isso torna-se importante determinar a prevalência e fatores associados ao uso de psicofármacos e neste trabalho este procedimento foi realizado pela população residente na zona urbana de Ouro Preto, Minas Gerais. Este foi um inquérito epidemiológico do tipo transversal com base populacional, por meio de questionários censitários padronizados e testados cujos dados estão em banco digital. Critérios de inclusão: questionários que continham ao menos um psicofármaco. Os medicamentos foram classificados segundo ATC e realizou-se análise estatística descritiva para as variáveis sócio-demográficas. Foram coletadas informações de 24.169 habitantes. A prevalência estimada foi de 4,18% (n=1012). Subgrupos terapêuticos mais referidos: psicolépticos (n=767; 49,1%), psicoanalépticos (n=540; 34,6%), antiepilépticos (n=213; 13,8%) e antiparkinsonianos (n=39; 2,5%). Medicamentos mais utilizados: Diazepam (n=311; 19,9%) e Amitriptilina (n=187; 12,0%); a principal forma de uso foi a contínua (n=1522; 97,4%); a principal forma de obtenção relatada foi o fornecimento de medicamentos pelo SUS (n=363; 95,9%). Verificou-se que o maior consumo de psicofármacos foi feito por mulheres (n=763, 75,4%); faixa etária de 40 a 59 anos (n=360; 35,8%); o nível de escolaridade mais relatado foi baixo (n=593, 62,1%). Também foram referidas a presença doença crônica (n=716; 85,75%) e a prática de hábitos não saudáveis (n= 283, 51,27%). Este estudo permitiu a identificação dos grupos mais sujeitos ao uso de psicofármacos e assim pode embasar a estruturação de intervenções de Saúde Pública para a racionalização do uso medicamentos psicoativos.
metadata.dc.description.abstracten: Pharmacoepidemiology in mental health is already incipient in Brazil although research in this field could contribute to discussion about the pharmacological access and socio-demographical determinants and public health care politics. To assess the prevalence and sociodemographic characteristics associated with psychotropic use among urban resident inhabitants of Ouro Preto, Minas Gerais State, Brazil. Cross-sectional population-based research was carried using the data base wich was collected at the participant’s domicile, by means of a tested questionnaire. The dependent variable of the study was the use of psychotropic drug. Substances were classified using the Anatomical Therapeutic Chemical Index. Data analysis was performed for sociodemographic variables. Data of 24,169 questionnaires was analyzed. Estimated prevalence of psychotropic drug was 4,18% (n=1,012). Main therapeutical subgroups: psycholeptics (n=767; 49,1%), psychoanaleptics (n=540; 34,6%), antiepileptics (n=213; 13,8%) and anti-parkinson drugs (n=39; 2,5%). Most frequent substances: diazepam (n=311; 19,9%) and amitriptiline (n=187; 12,0%); the main use was chronic (n=1522; 97,4%); the public health system was the main supplier (n=363; 95,9%). Some sociodemographic characteristic found to be dependently associated with substance consumption: women (n=763, 75,4%); aged 40-59 y.o. (n= 360; 35,8%); low level of schooling (n=593, 62,1%). Presence of chronical disease (n=716; 85,75%) and pernicious habits (n= 283, 51,27%) were also significant. The prevalence of psychoactive use in the study population was high, but within the variation observed in other studies. Chronic use of benzodiazepines predominated. It is possible that the subjects are not consuming the necessary medicines to the appropriate treatment of their health problems
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/3288
Appears in Collections:CIPHARMA - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_EstudoDescritivoConsumo.PDF7,07 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.