Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/3173
Title: Aspectos imunológicos da infecção experimental em camundongos por formas tripomastigotas metacíclicas ou sanguíneas do Trypanosoma cruzi.
Authors: Vieira, Paula Melo de Abreu
metadata.dc.contributor.advisor: Carneiro, Cláudia Martins
Keywords: Trypanosoma cruzi
Parasito
Citocinas
Relação hospedeiro-parasito
Issue Date: 2010
Publisher: Programa de Pós-Graduação em Engenharia Geotécnica. Núcleo de Geotecnia, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Citation: VIEIRA, P. M. de A. Aspectos imunológicos da infecção experimental em camundongos por formas tripomastigotas metacíclicas ou sanguíneas do Trypanosoma cruzi. 2010. 84 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Geotécnica) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2010.
Abstract: As formas tripomastigotas metacíclicas e sanguíneas do Trypanosoma cruzi são funcionais em relação à interação parasito-hospedeiro e/ou invasão de células-alvo, entretanto elas diferem nas moléculas presentes na superfície. Assim, aspectos relacionados à variabilidade com que as formas infectivas do T. cruzi interagem com as células do hospedeiro podem levar a implicações fundamentais na resposta imune contra o parasito e, conseqüentemente, na evolução clínica da doença de Chagas. O recente aumento no número de imigrantes chagásicos em países não-endêmicos, podendo ocorrer a contaminação por transfusão sanguínea, torna importante a realização de estudos sobre o impacto da infecção por formas sanguíneas no curso da doença. Dessa maneira, o estudo da infecção pelas diferentes formas infectivas do T. cruzi durante a fase aguda da infecção, permitirá uma melhor compreensão dos mecanismos relacionados à patogênese da doença de Chagas. Baseado nisso, o objetivo deste trabalho foi avaliar as alterações relacionadas aos parâmetros imunológicos celulares durante a fase aguda da infecção experimental de camundongos por formas tripomastigotas metacíclicas (TM) ou sangüíneas (TS) da cepa Berenice-78 do Trypanosoma cruzi. Os animais do grupo TS apresentaram níveis mais precoces e elevados de parasitemia em relação aos animais do grupo TM durante os 42 dias de avaliados. A análise dos leucócitos do sangue periférico demonstrou um que a infecção por formas sanguíneas ocasiona em um perfil bimodal, com aumento dos leucócitos no 7o e 42o dia após a infecção, enquanto que a infecção por formas metacíclicas leva a um perfil unimodal, com aumento nessas células ocorrendo mais tardiamente, no 28o e 42o dia após a infecção. A avaliação na produção de citocinas intracitoplasmáticas por esplenócitos demonstrou que na infecção por forma TS ocorre uma produção precoce de TNF- acompanhada por uma produção mais tardia de IFN-, quando a parasitemia já esta sob controle. Diferente do observado na infecção por formas metacíclicas, a qual apresenta uma produção precoce de IFN-. Além disso, nos animais do grupo TS não ocorre uma inversão de um perfil inflamatório para um perfil imunomodulado, mesmo quando a parasitemia já esta sob controle, sendo que nos animais infectados por formas metacíclicas este evento é observado. Esses dados corroboram com a quantificação do infiltrado inflamatório cardíaco, no qual os animais do grupo TS apresentaram uma inflamação precoce (7o dia após a infecção) que se manteve elevado até o 42o dia após a infecção, demonstrando assim que nesses animais ocorre uma exacerbação do processo inflamatório. Nos animais do grupo TM foi observada uma redução no processo inflamatório cardíaco do 28o para o 42o dia após a infecção, confirmando assim que na infecção por formas metacíclicas ocorre um controle da inflamação. A análise das alterações histológicas esplênicas, também demonstrou maior severidade nas mesmas nos animais do grupo TS. Portanto, a interação inicial entre formas tripomastigotas metacíclicas e o hospedeiro vertebrado induz um perfil de resposta imunológica diferente daquela observada na infecção com formas tripomastigotas sanguíneas. Dessa maneira, observa-se que a infecção por formas tripomastigotas metacíclicas ocorre de forma mais silenciosa, promovendo uma resposta imune capaz não só de controlar o número de parasitos durante a fase aguda da infecção como também de estabelecer uma resposta imunoreguladora ao final da fase aguda, limitando assim o desenvolvimento das lesões associadas à doença de Chagas. Entretanto, a infecção por formas tripomastigotas sanguíneas ocorre de uma maneira mais alarmante e apesar de haver o controle da parasitemia, não há o estabelecimento de uma resposta imunoreguladora eficaz, levando assim há uma inflamação persistente.
metadata.dc.description.abstracten: The metacyclic and blood trypomastigotes of Trypanosoma cruzi are fully functional in relation to the parasite-host interaction and / or invasion of target cells, though they differ in the molecules present on their surfaces. Thus, issues related to variability in how the infective forms of T. cruzi interacts with host cells may lead to fundamental implications in the immune response against the parasite and, consequently, the clinical evolution of Chagas disease. The recent increase in the number of chagasic imigrants in non-endemic countries makes important to know what is the impact of infection by blood forms in the course of the disease. Thus, the study of infection by different infective forms of T. cruzi during the acute phase of infection, leads to a better understanding of the mechanisms involvcd in the pathogenesis of Chagas disease. Based on this, the goal of this work was to evaluate changes related to cellular immune parameters during acute experimental infection of mice by metacyclic trypomastigotes (TM) or blood (BT) of Trypanosoma cruzi Berenice-78 strain. The animals in the BT group showed an earlier and higher levels of parasitemia when compared with the group MT during the 42 days evaluated. Analysis of peripheral blood leukocytes demonstrated that infection by a BT forms leads to a bimodal profile, with an increase of leukocytes in the 7th and 42nd days after the infection, while infection by MT forms leads to a unimodal profile, with an increase in these cells occurring later in the 28th and 42nd days after infection. The assessment on intracytoplasmic cytokine production by splenocytes demonstrated that in the infection with BT forms occurs an early production of TNF- accompanied by a later production of IFN-, when the parasitemia is already under control. A different profile was seen in infection by MT forms, which presents an early production of IFN-. Moreover, in the BT group does not occur a reversal of the inflammatory profile to an immunomodulator profile, even when the parasitemia is already under control, which happens in animals infected with metacyclic forms. These data corroborate with the quantification of cardiac inflammatory infiltration, in which the animals in the BT group showed an earlier inflammation (day 7 after infection) which remained high until the 42nd day after infection, demonstrating that in these animals there is an exacerbation of inflammatory process. In the animals of MT group was observed a reduction in cardiac inflammation at the 42nd day after infection, thus confirming that the infection by MT forms can control inflammation. The histological analysis of spleen, also showed greater severity in the BT group. Therefore, the initial interaction between metacyclic trypomastigotes and vertebrate host induces an immune response profile different from that observed in infections with blood trypomastigotes. Thus, it is observed that infection by metacyclic trypomastigotes occurs more quietly, promoting an immune response capable of controlling not only the number of parasites during the acute phase of infection but also to establish an immunoregulatory response at the end of the acute phase , thus limiting the development of lesions associated with Chagas disease. However, infection with blood trypomastigotes occurs in a more alarming and in spite of control of parasitemia, the establishment of an effective immunoregulatory response does not occur, thus leading to persistent inflammation is present.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/3173
Appears in Collections:PPCBIOL - Doutorado (Teses)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESE_AspectosImunológicosInfecção.pdf1,94 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.