Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2940
Title: Avaliação do potencial carcinogênico do dibenzotiofeno e dibenzotiofeno sulfona em ratos Wistar.
Authors: Pinto, Igor Antônio de Araujo
metadata.dc.contributor.advisor: Andrade, Milton Hércules Guerra de
Keywords: Dibenzotiofeno
Dibenzotiofeno sulfona
Câncer
Marcadores biológicos de tumor
Proteinase - inibidores
Issue Date: 2012
Publisher: Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas. Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Universidade Federal de Ouro Preto.
Citation: PINTO, I. A. de A. Avaliação do potencial carcinogênico do dibenzotiofeno e dibenzotiofeno sulfona em ratos Wistar. 2012. 90 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2012.
Abstract: O elevado nível de compostos sulfurados em derivados do petróleo é considerado prejudicial à qualidade de combustíveis, sendo sua remoção, mesmo que parcial uma das exigências no processo de refino. Além disso, legislações específicas delimitam sua concentração máxima em combustíveis fósseis, a fim de minimizar efeitos negativos dos compostos organossulfurados no ambiente. Dentre tais compostos, o dibenzotiofeno (DBT) é um hidrocarboneto policíclico aromático sulfurado, referência em trabalhos de remediação ambiental e com atividade carcinogênica. Considerando a importância dessa classe de substâncias na oncogênese e a escassez de estudos toxicológicos relacionados ao DBT, essa dissertação apresenta como objetivo, uma avaliação dos efeitos tóxicos provocados pelo tratamento crônico de ratos Wistar com doses sub-letais de DBT e de seu derivado oxidado DBTO2 (dibenzotiofeno sulfona), e compara o potencial toxicológico dessas substâncias com o agente mutagênico clássico 1,2-dimetilhidrazina (DMH). Esse trabalho permitiu uma avaliação do tratamento crônico com a dose de 30 mg/Kg de DBT e DBTO2 em ratos Wistar, sendo observadas lesões pré-neoplásicas nos intestinos delgado e grosso dos animais tratados, com intensidade e características semelhantes às lesões observadas no cólon de ratos tratados com DMH. As lesões, identificadas pelas análises histopatológicas, indicaram a ocorrência de um processo neoplásico em fase inicial de desenvolvimento. Além disso, verificou-se a marcação de células empregando-se técnicas imunohistoquímicas com anticorpos para o antígeno carcinoembrionário (CEA) e CD44, para os grupos DMH, DBT e DBTO2, com intensidades semelhantes. Através dessa avaliação, tais resultados indicam que a capacidade de induzir neoplasias do DBT e do DBTO2, se assemelha ao DMH, que é considerado um potente carcinógeno. Além disso, foi realizada análise da expressão gênica, por meio de qPCR, de transcritos de Cd44, c-Myc, c-Jun, Stat3, Psma6, Mapk3 e Sulf1, que são genes conhecidos como bons indicadores de câncer em fase avançada. Esses resultados apontaram que não ocorreram alterações nos níveis de expressão desses genes suficientes para a detecção em extratos de pólipos intestinais. Paralelamente, investigando-se a possibilidade de utilizar o inibidor Bowman-Birk como ligante específico de proteases usualmente superexpressas em tumores, cortes frescos de pólipos intestinais foram incubados com um conjugado BBI-FITC. Verificou-se uma marcação do conjugado BBI-FITC mais intensa em todos os grupos submetidos aos tratamentos com os agentes químicos. O aumento da fluorescência nos grupos testes foi em torno de 1,7 vezes maior em relação aos controles, e de maneira semelhante entre os grupos DMH, DBT e DBTO2. Sendo assim, verificou-se que o conjugado BBI-FITC, proposto como um ligante específico de proteases tripsina e quimotripsina símiles, indicou ser satisfatório para detecção do aumento da concentração de proteases-alvo do BBI, em animais tratados com agentes carcinógenos em estágio neoplásico inicial de desenvolvimento. Esses resultados demonstram que os inibidores de Bowman-Birk podem ser úteis no diagnóstico precoce de análises histopatológicas de animais submetidos à exposição a agentes químicos como DMH e também para os hidrocarbonetos policíclicos aromáticos sulfurados como o DBT e DBTO2.
metadata.dc.description.abstracten: The high level of sulfur compounds in petroleum is detrimental to the quality of fuels, and its removal, even partially, is one of the requirements in the refining process. Furthermore, specific laws delimit its maximum concentration in fossil fuels, in order to minimize negative effects of organosulfur compounds in the environment. Among such compounds, dibenzothiophene (DBT) is a polycyclic aromatic hydrocarbon sulphide, a reference in environmental remediation works and with carcinogenic activity. Considering the importance of this class of substances in oncogenesis and the lack of toxicological studies related to DBT, this dissertation presents the objective, an assessment of the toxic effects caused by chronic treatment of rats with sub lethal doses of DBT and its oxidized derivative DBTO2 (dibenzothiophene sulfone), as well as compares the toxicological potential of these substances with the classic mutagen 1,2- dimethylhydrazine (DMH). This work performed an assessment of chronic treatment at the dose of 30 mg/kg of DBT and DBTO2 in Wistar rats, precancerous lesions in small and large intestines of the treated animals were observed, with intensity and characteristics similar to those reported lesions in the colon of rats treated with DMH. The lesions identified by histopathological analysis indicated the occurrence of a neoplastic process in early development. Furthermore, there was labeling of cells employing immunohistochemical techniques with antibodies to carcinoembryonic antigen (CEA) and CD44, for groups DMH, DBT and DBTO2 with similar intensity. Through this assessment, these results indicate that the ability to induce tumors of DBT and DBTO2 resembles the DMH, which is considered a potent carcinogen. Furthermore, analysis was performed of gene expression by qPCR of transcripts Cd44, c-Myc, c-Jun, Stat3, Psma6, Mapk3 e Sulf1, which are known genes to be good indicators of advanced cancer. These results indicated that no changes in expression levels of these genes sufficient for detection in extracts of intestinal polyps. In parallel, investigating the possibility of using the Bowman-Birk inhibitor as a specific ligand of proteases usually over expresses tumors, fresh cuts of polyps were incubated with a FITC-BBI conjugated. There was a labeling FITC-BBI conjugated more intense in all groups submitted to treatment with chemical agents. The increase in fluorescence in the test groups was around 1.7 times higher than in controls, and similarly between groups DMH, DBT and DBTO2. Thus, it was found that the BBI-FITC conjugate, proposed as a specific binder of proteases trypsin and chymotrypsin similes, indicated to be satisfactory for detection of increased concentrations of the BBI target proteases in animals treated with carcinogens at the initial stage of neoplastic development. These results demonstrate that the Bowman-Birk inhibitors may be useful in the early diagnosis of pathological examinations of animals subjected to exposure to chemical agents such as DMH and polycyclic aromatics sulphides as DBT and DBTO2.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2940
Appears in Collections:PPCBIOL - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO- AvaliaçãoPotencialCarcinogênico.PDF2,7 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.