Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2933
Title: Efeitos cardiovasculares induzidos por antagonistas angiotensinérgicos no bulbo ventrolateral de ratos com hipertensão renovascular.
Authors: Cangussu, Luiza Michelle
metadata.dc.contributor.advisor: Alzamora, Andréia Carvalho
Keywords: Hipertensão
Hipertensão renovascular
Angiotensina
Angiotensin
Hypertension
Issue Date: 2008
Publisher: Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas. Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Universidade Federal de Ouro Preto.
Citation: CANGUSSU, L. M. Efeitos cardiovasculares induzidos por antagonistas angiotensinérgicos no bulbo ventrolateral de ratos com hipertensão renovascular. 2008. 110 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2008.
Abstract: Os peptídeos do sistema renina-angiotensina (SRA) agem como importantes neuromoduladores sobre a regulação da pressão arterial no bulbo ventrolateral (VLM). A hipertensão renovascular (2R1C) é caracterizada por apresentar altos níveis da Angiotensina (Ang) II um importante componente do SRA. Assim, o objetivo geral do presente estudo foi avaliar os efeitos cardiovasculares produzidos pela microinjeção de Ang II e Ang-(1-7) e seus respectivos antagonistas na VLM caudal (CVLM) e rostral (RVLM) de ratos com hipertensão renovascular (2R1C) e normotensos (SHAM). Ratos machos Fisher (150 a 200g) foram anestesiados com uma mistura de quetamina (50 mg/ kg. ip) e xilazina (5 mg/ kg, ip) para cirurgia 2R1C ou fictícia (SHAM). Após 30 dias, os animais 2R1C e SHAM foram anestesiados com uretana (1,2 g/ kg, ip), posicionados em aparelho estereotáxico para exposição de bulbo e instrumentados para registro da pressão arterial média (PAM) e freqüência cardíaca (FC). A sensibilidade da bradicardia reflexa foi avaliada através de doses crescentes de fenilefrina (i.v). Ao final dos experimentos os animais foram sacrificados, os rins foram pesados (peso corrigido pela massa corpórea do animal) e o cérebro submetido à análise histológica. Os ratos 2R1C apresentaram maior porcentagem de redução do rim esquerdo (clipado) em relação ao rim direito (33 ± 2 %, n=36) e aumento da PAM (143 ± 3 mmHg, n=38) em relação aos ratos SHAM (0,3 ± 0,6 %, n=33 e 103 ± 2 mmHg, n=33, respectivamente). A microinjeção de Ang II e Ang-(1-7) na CVLM produziu respostas depressoras similares nos animais 2R1C (-10 ± 1 mmHg, n=5 e -14 ± 2 mmHg, n=8, respectivamente) e em animais SHAM (-11 ± 1 mmHg, n= 6 e -14 ± 2 mmHg, n= 8, respectivamente). Entretanto, a microinjeção na RVLM produziu respostas de maior magnitude nos animais hipertensos 2R1C tanto para Ang II (21 ± 2 mmHg, n=10 em comparação à 11 ± 1 mmHg, n=7; grupo SHAM) como para Ang-(1-7) (21 ± 2 mmHg, n=7 em comparação à 12 ± 1 mmHg, n=4; grupo SHAM). A microinjeção do antagonista de receptor AT1, losartan, na CVLM não produziu alterações na PAM tanto nos animais 2R1C como nos animais SHAM. Na RVLM, no entanto, o losartan produziu efeito pressor tanto nos animais 2R1C (14 ± 3 mmHg, n=14) como nos animais SHAM (14 ± 5 mmHg, n=7). O antagonista de receptor MAS, o A-779, na CVLM produziu efeito hipotensor em animais hipertensos 2R1C (-12 ± 3 mmHg, n=6), enquanto em animais SHAM (-5 ± 2 mmHg, n=8) o efeito hipotensor do A-779 na CVLM foi semelhante ao efeito da salina. Diferentemente, na RVLM, o efeito pressor observado após o A-779 foi semelhante ao da salina tanto nos animais 2R1C como nos ratos SHAM. Estes antagonistas (losartan e A-779) aboliram o efeito depressor (CVLM) e pressor (RVLM) de seus respectivos agonistas, Ang II e Ang-(1-7), por até 30 minutos. Não foram observadas alterações significativas na FC após a microinjeção tanto dos peptídeos como de seus antagonistas na CVLM ou na RVLM. A bradicardia reflexa nos animais com hipertensão 2R1C foi menor (p< 0,05) (0,19 ± 0,05 ms/ mmHg, n=15) em relação aos animais normotensos SHAM (0,42 ± 0,01 ms/ mmHg, n=15). A microinjeção do A-779 na CVLM melhorou a bradicardia reflexa em ratos 2R1C (0,44 ± 0,04 ms/mmHg, n=7). Entretanto o A-779 na CVLM não alterou a bradicardia reflexa em animais SHAM (0,35 ± 0,04 ms/ mmHg n=7). Já o bloqueio de receptores AT1 de Ang II na CVLM não alterou a modulação do controle baroreflexo tanto em animais hipertensos 2R1C como em ratos SHAM. Assim, os resultados apresentados nesse estudo sugerem alterações na expressão de receptores para Ang-(1-7) na CVLM no estabelecimento da hipertensão, podendo contribuir para a baixa sensibilidade do controle do barorreflexo em ratos com hipertensão renovascular. Além disso, os resultados mostraram ainda, que não ocorrem alterações na responsividade para as angiotensinas na CVLM em ratos 2R1C, diferentemente no entanto na RVLM, ocorre uma maior responsividade para ANG II e Ang-(1-7) em ratos com hipertensão renovascular 2R1C.
metadata.dc.description.abstracten: The peptides of the rennin-angiotensin (RAS) act as important neuromodulators on the regulation of blood pressure in ventrolateral medulla (VLM). High levels of angiotensin II, an important component of rennin-angiotensin system, is present in renovascular hypertension. Thus, in the present study, we evaluated the cardiovascular effects produced by angiotensin II and angiotensin-(1-7) and your antagonist microinjections at the caudal (CVLM) and rostral (RVLM) ventrolateral medulla in renovascular hypertensive rats (2R1C) and normotensive (SHAM). Male Fisher rats (weighting 150 to 200) were anesthetized by a mixture of ketamine (50 mg/kg. ip) and xylazine (5 mg/kg, ip) for the 2R1C or SHAM surgery. 30 days afther the surgeries, the 2K1C and SHAM animals were anesthetized with urethane (1.2 g/ kg, i.p.), placed onto stereotaxic apparatus, the dorsal surface of the brainstem was instrumented for men arterial pressure (MAP) and heart rate (HR) measurements. The baroreflex bradicardia sensitivity evaluated by bolus injections of phenylephrine before and 5-10 minutes after CVLM microinjection of losartan or A779. At the end of the experiments the animals were sacrificed and the brain and kidneys were collected. The kidneys weightened (dry organ weight/ body weight) and the brain was sent for histological analisys. The percentage of mass reduction in the clipped kidney increased (33 ± 2 %, n=36) compared to SHAM groups (0,3 ± 0,6 %, n=33) and the basal MAP level of 2K1C group was signicantly higher PAM (143 ± 3mmHg, n=38) compared to SHAM group (103 ± 2 mmHg, n=33). The Ang-(1-7) and Ang II microinjections into the CVLM produced similar depressor effect in 2K1C (-14 ± 2 mmHg, n=7 and -10 ± 0,9 mmHg, n=8, respectively) and SHAM (-14 ± 2 mmHg, n= 8 and -11 ± 1 mmHg, n= 6, respectively). However, Ang-(1-7) and Ang II RVLM microinjection in 2R1C induce higher pressor effect (21 ± 2 mmHg, n=7 and 21 ± 2 mmHg, n=10, respectively) compared to the effect in SHAM (12 ± 1 mmHg, n=4 and 11 ± 1 mmHg, n=7, respectively). The microinjection of A-779 at the CVLM produced a depressor effect in 2K1C (- 12 ± 3 mmHg, n=6) but not in SHAM rats (-5 ± 2 mmHg, n=8). In contrast, microinjection of the AT1 receptor antagonist, losartan, into the CVLM did not change MAP in 2K1C or in SHAM rats. However in RVLM, A-779 MAP effect was not different from saline in 2K1c or SHAM rats. But, losartan produced a pressor effect in 2K1C (14 ± 3 mmHg, n=14) and in SHAM rats (14 ± 5 mmHg, n=14). The microinjection of losartan or A-779 abolished the depressor (CVLM) or pressor (RVLM) effects induced by microinjections of Ang II or Ang-(1-7), respectively. The reflex bradicardia was significantly reduced in 2K1C rats (0,19 ± 0,05 ms/ mmHg, n=15) in comparison to the SHAM animals (0,42 ± 0,01 ms/ mmHg, n=15). The CVLM microinjection of A779 improved the sensitivity of reflex bradicardia in 2K1C (0,44 ± 0,04ms/ mmHg). On the other hand, losartan into the CVLM didn’t have effect on reflex bradicardia either in 2K1C or in SHAM rats. These results of the present study suggest changes in the receptor expression of Ang-(1-7) at the CVLM in the establishment of the hypertension, wich may contribute to the low sensitivity of the baroreflex control of heart rate in renovascular hypertensive rats. In addition, these results showed no changes in the responsiveness to angiotensin into CVLM in 2K1C. Howerver into RVLM Ang II and Ang-(1-7) microinjections showed the greater responsiveness in 2K1C rats.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2933
Appears in Collections:PPCBIOL - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_EfeitosCardiovascularesInduzidos.PDF584,93 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.