Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2681
Title: Coexistência do complexo HsIV/U e do proteassoma 20S em Trypanosoma cruzi.
Authors: Barboza, Natália Rocha
metadata.dc.contributor.advisor: Cota, Renata Guerra de Sá
Keywords: Trypanosoma cruzi
Enzimas proteolíticas
Proteinase
Biologia molecular
Issue Date: 2010
Publisher: Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas. Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Universidade Federal de Ouro Preto.
Citation: BARBOZA, N. R. Coexistência do complexo HsIV/U e do proteassoma 20S em Trypanosoma cruzi. 2010. 105 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2010.
Abstract: Todas as células possuem processos específicos para degradar proteínas à aminoácidos livres, e assim, regular o proteoma. Proteases ATP- dependentes são geralmente complexos compartimentalizados, altamente regulados e formados por várias subunidades, cuja função requer energia proveniente da hidrólise de ATP. Dentre esses complexos compartimentalizados, podemos citar duas treoninas proteases, o complexo HslV/U e o proteassoma 20S. O Trypanosoma cruzi é um dos raros exemplos de organismos que apresentam genes para estes dois complexos proteolíticos. Neste estudo, nós utilizamos duas abordagens para inferir a coexpressão destes complexos em epimastigotas obtidos das populações Berenice 62, Berenice 78, Cl, Colombiana e Y do T. cruzi. Inicialmente, foi determinado o perfil de transcrição das subunidades constituintes do complexo HslV/U e das subunidades beta-1, -2 e -5 do proteassoma 20S utilizando a técnica de qRT-PCR. Os resultados mostraram que os níveis de mRNA para a subunidade HslV são em média duas vezes menor na população Be-78 quando comparado as demais. Por outro lado, o nível de transcrição para o gene da hslu não variou entre as populações analisadas. O perfil de expressão para os genes beta -1 e -5 não apresentaram variações significativas, entretanto, o gene beta -2 foi 4,5 vezes menos expresso em Be-62 quando comparado as demais populações analisadas. Posteriormente, avaliamos os níveis protéicos do complexo HslV/U e proteassoma 20S, utilizando anticorpos específicos para as subunidades HslV e alfa-7 do T. cruzi. Os resultados mostraram que a relação HslV/proteassoma segue dois perfis distintos: um para a população Y, que apresenta níveis equivalentes para essas duas proteases e outro para as populações Be-62, Be-78, Cl e Colombiana, com predominância do proteassoma 20S. Também foi verificada uma regulação ao nível traducional do proteassoma 20S em epimastigotas crescidos na presença de PSI, um inibidor especifico do proteassoma. Em conjunto, os resultados sugerem a coexistência das proteases HslV/U e proteassoma 20S em T. cruzi reforçando a idéia de que a proteólise não lisossomal, via mecanismos dependentes e independentes de ubiquitina tem um papel importante na biologia celular deste parasito.
metadata.dc.description.abstracten: All cells have specific procedures to degrade proteins to free amino acids, and thus regulate the proteome. ATP-dependent protease complexes are generally compartmentalized formed by several subunits regulated by post-translation modification and requires energy from ATP hydrolysis. Among these complexes, two are threonine protease: the complex HslV/U and 20S proteasome. Trypanosoma cruzi is a rare example of organisms that have genes for these two proteolytic complexes. In this study, we used two approaches to infer the coexpression of these complexes in epimastigotes from Berenice 62, Berenice 78, Cl, Colombian and Y T. cruzi populations. Initially, we determined the transcription profile of the complex HslV/U and 20S proteasome beta-1, -2 and -5 subunits using qRT-PCR. The results showed that mRNA levels of hslv are two times smaller in Be-78 population when compared to others. Moreover, the transcription level of hslu not varies between populations. The expression profile for beta -1 and -5 genes did not show significant variations, however, the beta -2 gene was 4.5 times less expressed in Be-62 when compared to other populations. Subsequently, we evaluated the protein levels of the complex HslV/U and 20S proteasome using antibodies for the alpha-7 and HslV specific to T. cruzi. The results showed that the relationship HslV/proteasome follows two distinct profiles: one for the Y population, which has equivalent levels for these two proteases and the other for Be-62, Be-78, Cl and Colombiana populations, with predominance of the 20S proteasome. Also we have shown a translational regulation of the 20S proteasome when epimastigotes were grown in the presence of PSI, a specific proteasome inhibitor. Together, the results suggest the coexistence of the protease HslV/U and 20S proteasome in T. cruzi reinforcing the hypothesis that the non-lysosomal proteolysis mediated by dependent and independent of ubiquitin mechanisms plays an important role in cell biology of this parasite.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2681
Appears in Collections:PPCBIOL - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_CoexistênciaComplexoHsiV.PDF2,08 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.