Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2597
Title: Fenótipo da obesidade, ancestralidade genética e polimorfismos em genes candidatos em escolares de uma população miscigenada.
Authors: Queiroz, Erica Maria de
metadata.dc.contributor.advisor: Freitas, Renata Nascimento de
Keywords: Obesidade
Ancestralidade genética
Polimorfismo - genética
Issue Date: 2012
Publisher: Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas. Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Universidade Federal de Ouro Preto.
Citation: QUEIROZ, E. M. de. Fenótipo da obesidade, ancestralidade genética e polimorfismos em genes candidatos em escolares de uma população miscigenada. 2012. 131 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2012.
Abstract: O cenário atual da obesidade no mundo tem despertado a atenção da comunidade científica. Entretanto, a influência de fatores diversos na obesidade poligênica tem sido um grande desafio nos estudos sobre esta condição. Estudos de associação têm indicado genes candidatos à obesidade e a fenótipos relacionados. Estudos em populações miscigenadas mostram que a prevalência da obesidade e de doenças relacionadas, tais como a diabetes tipo 2 e a hipertensão, pode variar conforme o grupo étnico. Entretanto, este é um universo ainda desconhecido. O objetivo do presente estudo foi verificar a associação de polimorfismos genéticos com a adiposidade e a relação da ancestralidade genômica com fenótipos associados a obesidade em uma amostra de crianças e adolescentes escolares de Ouro Preto, MG. Para tanto, determinamos a ancestralidade genética de 189 indivíduos utilizando 15 marcadores informativos de ancestralidade (MIAs) e correlacionamos com a cor da pele auto-referida através de ANOVA seguida por teste Post Hoc. Adicionalmente, segregamos os indivíduos em três grupos (predominantemente Africano - PAFR, predominantemente Miscigenado – PMIS e predominantemente Europeu - PEUR) utilizando a proporção de ancestralidade >0,650 como ponto de corte e comparamos os valores médios de características antropométricas, clínicas, bioquímicas e demográficas. Modelo de regressão linear simples foi testado para verificar se diferenças nos valores médios das variáveis entre os grupos foram independentes ou não de outras variáveis. Posteriormente realizamos uma análise de associação entre 12 polimorfismos de base única (single nucleotide polymorphism – SNP) em genes candidatos com adiposidade e com fenótipos de risco componentes da síndrome metabólica e relacionados à obesidade. Nossos resultados mostram que a contribuição Européia (EUR), Africana (AFR) e Ameríndia na população correspondeu a 50,3%, 33,3% e 16,4%, respectivamente. Os grupos de cor da pele preta e morena clara não se distinguiram com relação às ancestralidades AFR e EUR e sobreposições das ancestralidades foram observadas entre os grupos. Indivíduos PAFR apresentaram maiores valores médios de pressão arterial e glicose e menores valores de hemoglobina em relação a PEUR. No modelo de regressão linear, a diferença nos valores de pressão arterial sistólica e glicose entre os grupos foi independente de outras variáveis, enquanto que os valores de hemoglobina foi dependente da pressão arterial sistólica e diastólica, glicose, lipídios e renda. Embora não tenha sido observada a associação de nenhum dos 12 SNPs com a adiposidade, outras associações foram observadas. Sete SNPs (APM1 rs266729, KCNJ11 rs5219, SLC6A14 rs2011162, POMC rs28932472, IGF2 rs680, LEPR rs1137101 e PPARGC1 rs8192678) foram associados a valores médios de variáveis antropométricas e/ou bioquímicas. Na análise de regressão logística binária ajustada por sexo e idade, cinco SNPs (APM1 rs266729:C>G, IGF2 rs680:G>A, LEPR rs1137101:A>G POMC rs28932472:C>G and PPARGC1 rs8192678:A>G) apresentaram odds ratio significativa para pelo menos um dos componentes propostos para caracterizar a síndrome metabólica em crianças e adolescentes.
metadata.dc.description.abstracten: The current scenario of obesity in the world has called the attention of scientists worldwide. However, the influence of several factors in polygenic obesity has been a major barrier for studies about this condition. Association studies have indicated candidate genes for obesity and related phenotypes. Studies in admixed population shows that the prevalence of obesity and related diseases such as type 2 diabetes and hypertension, may vary by ethnic group. However, this is a universe still unknown. The aim of this study was to investigate the association of genetic polymorphisms with adiposity and the relationship of genetic ancestry with phenotypes associated with obesity in a sample of school children and adolescents from Ouro Preto, MG. So, we determined the genetic ancestry of 189 individulas using 15 ancestry informative markers (AIMs) and correlated them to self-reported skin color by ANOVA followed by Post Hoc test. Additionally, we segregate individuals into three groups (predominantly African – PAFR, predominantly Multiethnic - PMIS and predominantly European - PEUR) using the proportion of ancestry> 0.650 as the cutoff point and comparing the mean values of anthropometric, clinical, biochemical and demographic variables. Simple linear regression model was tested to verify whether differences in mean values of variables between groups were independent or not of other variables. Subsequently, we performed an analysis of association between 12 SNPs (single nucleotide polymorphisms – SNPs) in candidate genes with adiposity and with risk phenotypes which are components of metabolic syndrome and related to obesity. Our results show that the contribution of European (EUR), African (AFR) and Amerindian ancestries in the population accounted for 50.3%, 33.3% and 16.4%, respectively. The black and light brown skin color groups are not distinguished with respect to AFR and EUR ancestries and overlap of ancestries were observed between groups. PAFR individuals had higher mean blood pressure and glucose and lower hemoglobin levels compared to PEUR. In the linear regression model, the difference in systolic blood pressure, and glucose between the groups was independent of other variables whilst hemoglobin was dependent on systolic and diastolic blood pressure, glucose, lipids and income. Although we did not observe any association of the 12 SNPs with adiposity, other associations were observed. Seven SNPs (APM1 rs266729, KCNJ11 rs5219, SLC6A14 rs2011162, POMC rs28932472, IGF2 rs680, LEPR rs1137101 e PPARGC1 rs8192678) were associated with mean values of anthropometric and/or biochemical variables. In the logistic binary regression adjusted by sex and age, five SNPs (APM1 rs266729:C>G, IGF2 rs680:G>A, LEPR rs1137101:A>G POMC rs28932472:C>G and PPARGC1 rs8192678:A>G) showed significant odds ratio for presenting at least one phenotype proposed to characterize metabolic syndrome in children and adolescents.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2597
Appears in Collections:PPCBIOL - Doutorado (Teses)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESE_FenótipoObesidadeAncestralidade.PDF2,04 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.