Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2585
Title: Leishmania amazonensis prejudica resposta de células dendríticas via inibição da expressão de CD40 mediada por ectonucleotidases e pela ativação do receptor de adenosina A2B.
Authors: Figueiredo, Amanda Braga de
metadata.dc.contributor.advisor: Afonso, Luís Carlos Crocco
Keywords: Leishmania amazonensis
Leishmaniose
Issue Date: 2012
Publisher: Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas. Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Universidade Federal de Ouro Preto.
Citation: FIGUEIREDO, A. B. de. Leishmania amazonensis prejudica resposta de células dendríticas via inibição da expressão de CD40 mediada por ectonucleotidases e pela ativação do receptor de adenosina A2B. 2012. 101 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2012.
Abstract: Infecções por Leishmania podem resultar num amplo espectro de manifestações clínicas, e o resultado da doença é determinado pela espécie do parasito e a resposta imune do hospedeiro. Células dendríticas desempenham um papel essencial na modulação da resposta imune, incluindo durante a infecção por Leishmania. O ATP extracelular exibe propriedades pró-inflamatórias, enquanto a adenosina é um importante mediador antiinflamatório. Baseados nessas observações, nosso objetivo foi investigar os efeitos da infecção por Leishmania na resposta de células dendríticas e a participação da sinalização purinérgica nesse processo. Células dendríticas derivadas de medula óssea de camundongos C57BL/6J foram infectadas com promastigotas metacíclicas de L. amazonensis, L. braziliensis ou L. major marcadas com CFSE (numa proporção de 3 parasitos por célula dendrítica). Células infectadas reduziram a expressão de MHCII e CD86, independentemente da espécie de parasito utilizada. A expressão de CD40 foi significativamente maior em células dendríticas infectadas com L. braziliensis ou L. major, quando comparadas a células dendríticas não infectadas. Por outro lado, a expressão de CD40 não foi alterada em células dendríticas infectadas com L. amazonensis, e estas células apresentaram uma capacidade reduzida de induzir a proliferação de linfócitos T, durante a reação mista de leucócitos e o ensaio de proliferação antígeno-específica. Para tentar descrever os mecanismos envolvidos nesses processos, inicialmente analisamos a produção de IL-10 em sobrenadantes de cultura por ELISA e não encontramos diferenças entre culturas controles e culturas de células dendríticas infectadas. O bloqueio do receptor de IL-10 pelo anticorpo 1B1.3a restaurou parcialmente a expressão de MHCII e CD86 em células dendríticas infectadas com L. braziliensis ou L. major, mas não em células dendríticas infectadas com L. amazonensis. A co-expressão das ectonucleotidases CD39 e CD73 e a atividade enzimática destas enzimas foram significativamente aumentadas em células infectadas e a inibição da hidrólise do ATP extracelular por suramina aumentou a expressão de MHCII e CD86 nestas células, independentemente da espécie de parasito utilizada. Curiosamente, a presença de MRS1754, um antagonista altamente seletivo do receptor de adenosina A2B, no momento da infecção, aumentou a expressão de MHCII, CD86 e CD40 somente em células dendríticas infectadas com L. amazonensis, células com expressão diferenciada desse receptor, e recuperou a capacidade de células dendríticas de induzirem a proliferação de linfócitos T. Concluindo, diferentes espécies de Leishmania utilizam mecanismos diferentes para evadir a resposta imune, e propomos que a atividade ectonucleotidásica e a ativação do receptor A2B de células dendríticas podem ser utilizadas por L. amazonensis para esse fim.
metadata.dc.description.abstracten: Leishmania infections can result in a wide spectrum of clinical manifestations, and the outcome of disease is determined by parasite species and the host immune response. Dendritic cells play an essential role in the modulation of immune response including during Leishmania infection. Extracellular-ATP exhibits pro-inflammatory properties whereas adenosine is an important anti-inflammatory mediator. Based on these assumptions, our objective was to investigate the effects of Leishmania infection on dendritic cells response and the participation of purinergic signaling in this process. C57BL/6J bone marrow dendritic cells were infected with CFSE-labeled metacyclic promastigotes of L. amazonensis, L. braziliensis or L. major (1:3 cell to parasite ratio). Infected cells decreased the expression of MHCII and CD86, independent of the parasite specie. The expression of CD40 was significantly increased in dendritic cells infected with L. braziliensis or L. major, when compared with uninfected dendritic cells. On the other hand, CD40 expression was not changed in L. amazonensis infected dendritic cells, and these cells presented a reduced ability to induce T cell proliferation, in mixed leukocyte reaction and antigen-specific proliferation assays. To describe the mechanisms involved in this process, we initially analyzed the production of IL-10 in culture supernatants by ELISA and found no differences between control and infected dendritic cells cultures. Blockade of IL-10 receptor by 1B1.3a antibody partially restored the MHCII and CD86 expression in L. braziliensis or L. major infected dendritic cells, but not in L. amazonensis infected dendritic cells. Co-expression of ectonucleotidases CD39 and CD73 and enzymatic activity of these enzymes were significantly increased in infected cells and the inhibition of extracellular ATP hydrolysis by suramin increased the expression of MHCII and CD86, regardless of parasite specie used. Interestingly, the presence of MRS1754, a highly selective A2B adenosine receptor antagonist, at the time of infection, increased the expression of MHCII and CD86 and CD40 only in L. amazonensis infected dendritic cells, cells with differentiated expression of this receptor, and recovered dendritic cells ability to induce T cell proliferation. In conclusion, different species of Leishmania use different mechanisms to evade the immune response, and we propose that ectonucleotidases activity and activation of A2B receptor of dendritic cells may be used by L. amazonensis to this aim.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2585
Appears in Collections:PPCBIOL - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_LeishmaniaamazonensisPrejudica.PDF4,97 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.