Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/2484
Title: Desenvolvimento e avaliação biológica de formulações de nanocápsulas para tratamento da doença de chagas em modelo murino.
Authors: Barros, Cristina Maria de
metadata.dc.contributor.advisor: Mosqueira, Vanessa Carla Furtado
Keywords: Nanocápsulas
Doença de Chagas
Modelo murino
Protozoário - imunologia
Nanobiotecnologia
Issue Date: 2007
Publisher: Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas. Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Universidade Federal de Ouro Preto.
Citation: BARROS, C. M. Desenvolvimento e avaliação biológica de formulações de nanocápsulas para tratamento da doença de chagas em modelo murino. 2007. 101 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2007.
Abstract: O presente trabalho trata do desenvolvimento farmacotécnico e da caraterização fisicoquímica de formulações nanoestruturadas contendo diferentes fármacos com atividade antichagásica como os derivados imidazólicos e azólicos, além da avaliação biológica dessas preparações in vitro, em cultura acelular de epimastigotas de T. cruzi, e in vivo em modelo murino infectado com diferentes cepas de T. cruzi, tanto em modelos de fase aguda como crônica. Objetivou-se, portanto, avaliar a atividade e a eficácia, de diferentes formulações por diferentes vias e em diferentes regimes posológicos. Assim foram desenvolvidas formulações de nanocápsulas contendo benznidazol, miconazol, cetoconazol, itraconazol e também um novo derivado azólico ainda em fase de estudos pré-clínicos, albaconazol (UR-9825). As nanoestruturas foram analizadas e caracterizadas utilizando-se as técnicas de microscopia eletrônica de varredura, microscopia de força atômica, espectroscopia de correlação de fótons e anemometria do laser doppler associada a microeletroforese. O albaconazol associado às nanocápsulas foi o fármaco que apresentou melhor resultado na supressão da parasitemia e, portanto, essas formulações foram mais profundamente investigadas do ponto de vista fisico-químico e estrutural. Uma nova metodologia de doseamento do albaconazol foi desenvolvida e utilizada para determinação da porcentagem e da eficiência de encapsulação nas nanocápsulas de poli-e-caprolactona, além da determinação da cinética de liberação do albaconazol a partir das nanocápsulas. Os resultados mostraram que o albaconazol pode ser encapsulado em percentagens em torno de 100% e com alta eficiência para valores próximos a 1mg/mL, indicando que a droga apresenta alta afinidade pelas nanocápsulas. O perfil de liberação do albaconazol a partir das nanocápsulas foi bifásico com uma liberação inicial inferior a 40% até duas horas e com uma liberação lenta e incompleta (<45%) até 10 horas de estudo. Foi observada também a capacidade de retenção do fármaco no interior das NC in vivo, especialmente pela via subcutânea. As nanocápsulas foram capazes de aumentar o tempo para reativação da parasitemia após tratamento e o número de animais com exame parasitológico negativo, mesmo após 120 dias do fim do tratamento, quando comparadas com o fármaco livre, especialmente quando altas doses foram utilizadas. Os dados sugerem que nas mesmas doses, o albaconazol na forma livre é mais rapidamente liberado para o sangue e exerce seu efeito, ao passo que as nanocápsulas, provavelmente, retêem a droga a elas associadas por maior tempo, reduzindo a concentração que chega ao sangue e a velocidade de absorção, sendo nesse caso menos ativas. Entretanto, em doses maiores, 120mg/mL, as nanocápsulas foram mais ativas que o fármaco livre e muito menos tóxicas, indicando que são necessárias doses maiores para que a fração de dose liberada rapidamente reduza a parasitemia. Assim sendo, a fração retida nas NC é liberada mais lentamente causando o efeito supressivo sobre a parasitemia por maior tempo. A permanência do albaconazol no organismo parece ter sido alterada pelas nanocápsulas, ao mesmo tempo em que foi observada uma clara redução da toxicidade geral. Portanto, a vetorização desses compostos em sistemas nanoestruturados do tipo NC foi considerada positiva no presente trabalho uma vez que a farmacocinética da droga parece ter sido alterada pela encapsulação resultando em efeito de redução da parasitemia quando utilizados em doses mais altas.
metadata.dc.description.abstracten: In the present work, the pharmaceutical development and physicochemical characterization of nanostructured formulations containing different anti-Trypanosoma cruzi drugs, such as the imidazole and azole derivatives were undertaken. The biological evaluation of these new formulations were also studied in vitro, in epimastigotes cultures of T. cruzi, and in vivo, in a murine model infected with different strains of T. cruzi, in both phases of disease development, acute and chronic. The main objective of this work was the evaluation of the activity and efficacy of the different formulations, by different routes and posologic regimens. Formulations containing benznidazole, miconazole, ketoconazole, itraconazole and also a new triazole derivative, albaconazole (UR-9825), were developed. The physicochemical characterisation was also undertaken by means of the atomic force microscopy, photon correlation spectroscopy and laser doppler anemometry. Among the drugs used in the biological tests of efficacy, albaconazole was the drug that presented the best results concerning parasitaemia reduction. Thus, physicochemical and structural features of the albaconazole formulations were analyzed in detail. In the present work, a new assay method of albaconazole based in UV spectroscopy was developed and used for the determination of the loading yield, loading efficiency and release kinetic of the drug from poli-e-caprolactone nanocapsules. The results showed that albaconazole was efficiently entrapped in nanocapsules with high yielding (100%), indicating that the drug has high affinity for the nanocapsules. The release kinetic was biphasic, with an initial release lower than 40% after 2h and an incomplete and slow release after 10 hours of incubation. A burst effect was observed in the first 2 hours that was clearly related to the release of ABZ associated to NC surface, evidenced also by the zeta potential alterations with the increasing of drug concentration in NC formulation. Different routes of administration, and dose regimens were used in this work, especially with ABZ. The ability of drug retention in the inner core of nanocapsules was observed in vivo, especially by the subcutaneous route, since the nanocapsules were able to prolong the time for parasitaemia reactivation after treatment and increase the number of animals with negative parasitological exams, even after 120 days after treatment, when compared with the free drug. The efficacy data suggests that free albaconazole is promptly released from tissue to the blood circulation, while nanocapsules probably retain the albaconazole in tissues for a longer time, reducing the available concentration in blood and the absorption rate, being in this case less active in the same doses. On the other hand, at higher doses (120mg/Kg) the free fraction of ABZ rapidly released by NC was enough to decrease parasitemia, while the fraction retained by NC produce the sustained effect of parasitemia reduction at longer times. This hypothesis could explain why lower doses (20mg/Kg) failed to efficiently reduce parasitemia. In this way, a profile of drug distribution in the body seems to be modified by using nanocapsules, at the same time that a significant reduction in general toxicity was observed with albaconazole associated to nanocapsules formulation. A sustained effect and lower incidence of toxic side effects were observed especially when albaconazole was administered at higher doses by subcutaneous route. From our results, the vectorization of imidazole and triazole drugs in NC was considered interesting, because the pharmacokinetics profile was altered producing the parasitemia reduction.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2484
Appears in Collections:PPCBIOL - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_DesenvolvimentoAvaliaçãoBiológica.PDF2,09 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.