Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2419
Title: Vida, uma experiência estética em Nietzsche.
Authors: Paglione, Marília Siqueira Gratão
metadata.dc.contributor.advisor: Pimenta Neto, Olímpio José
Keywords: Estética
Vida
Imanência - filosofia
Existencialismo
Corpo e alma - filosofia
Issue Date: 2012
Publisher: Programa de Pós-Graduação em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto.
Citation: PAGLIONE, M. S. G. Vida, uma experiência estética em Nietzsche. 2012. 116 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2012.
Abstract: O presente trabalho almeja compreender a afirmação do homem por meio de uma perspectiva estética. Tomando o corpo como obra de arte e artista criador, estudamos os principais caminhos propostos por Nietzsche em relação ao tema. Começamos mostrando como é possível, segundo O Nascimento da Tragédia, uma formação humana integral, na qual os aspectos lógico-racionais da nossa condição não são o principal. Em seguida, examinamos algumas figuras e tipos através das quais o filósofo reforça e aprofunda seu compromisso com a afirmação por meio da formação. Destacou-se aí a noção Übermensch, presente no terceiro período da obra. A partir desta reflexão, passamos ao estudo da crítica dos valores morais, dos ideais ascéticos e da crença no valor de verdade que lutam por perdurar em nossa cultura ocidental. Explicitadas as propostas do autor, chegamos à questão mais próxima de nós e mais difícil também: explorar o significado de “tornar-se aquilo que se é”. Recorrendo a ela, Nietzsche responsabiliza o homem como criador de si próprio enquanto obra de arte, o que confirma a possibilidade de outros tipos de formação humana, além do estabelecido culturalmente. Reluz sua posição a favor da afirmação da vida em sentido estético. Para enriquecer tal experimento do corpo como obra de arte e artista criador, fez-se necessária a pesquisa em torno da obra O Teatro e o seu Duplo, do teatrólogo Francês Antonin Artaud (1896-1948), o conceito de Corpo sem Órgãos de Gilles Deleuze e Félix Guatarri e a teoria da performance teatral contemporânea.
metadata.dc.description.abstracten: The present work aims to understand the assertion of man through an aesthetic standpoint. It takes the body as work of art and as creative artist we studied the main pathways proposed by Nietzsche in which take. We begin by showing how it is possible, according to The Birth of Tragedy, an integral human formation, in which the logical-rational aspects of our condition are not the principal formation. Then we look at some figures and types through which the philosopher strengthens and deepens its commitment to the assertion by means of training. Emphasis was placed around the notion Übermensch, present in the third period of the work. From this discussion, we criticize the study of moral values, ascetic ideals and belief in the value of fighting for truth that endures our Western culture. By explaining the proposals of the author, we come to the question closer to us and more difficult as well: exploring the meaning of "becoming what one is." Insight Nietzsche blames the man as the creator of himself as and work of art, which confirms the possibility of other types of 7 humans, beyond the ones already culturally established. Shine his position in favor of affirming life in the aesthetic sense. Such an experiment to enrich the body as work of art and as a creative artist, it was necessary to search around the book The Theatre and its Double, the French playwright Antonin Artaud (1896-1948), the concept of the Body without Organs
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2419
Appears in Collections:PPGEFA - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_VidaExperiênciaEstética.pdf550,87 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.