Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2202
Title: O sistema transcorrente da porção sudeste do orógeno Araçuaí e norte da faixa Ribeira : geometria e significado tectônico.
Authors: Silva, Cláudio Maurício Teixeira da
metadata.dc.contributor.advisor: Alkmim, Fernando Flecha de
Keywords: Geologia estrutural - Brasil
Tectônicas de placas
Issue Date: 2010
Publisher: Programa de Pós-Graduação em Evolução Crustal e Recursos Naturais. Departamento de Geologia. Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Citation: SILVA, C. M. T. O sistema transcorrente da porção sudeste do orógeno Araçuaí e norte da faixa Ribeira : geometria e significado tectônico. 2010. 221 f. Tese (Doutorado em Evolução Crustal e Recursos Naturais) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2010.
Abstract: A porção interna do Orógeno Araçuaí setentrional é marcada por um sistema de grandes zonas de cisalhamento, no qual se destacam as de Abre Campo, Manhuaçu-Santa Margarida, Guaçuí e Batatal. Visando ao entendimento da evolução e função tectônica dessas zonas foi realizada uma investigação estrutural numa área situada entre os meridianos 40º30’ e 43º e os paralelos 19º e 22º, nos Estados de Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro. Em função da sua conexão com as estruturas mencionadas, foi também investigado o segmento nordeste da Zona de Cisalhamento Além Paraíba do Orógeno Ribeira. A metodologia empregada foi a da análise estrutural clássica, com a descrição em campo das estruturas internas das zonas de cisalhamento, seguida de estudos de microscopia ótica, com vistas à caracterização petrológica e microestrutural dos litotipos envolvidos. A zona de cisalhamento de Manhuaçu-Santa Margarida, aqui denominada Feixe de Zonas de Cisalhamento Manhuaçu-Santa Margarida, possui uma largura média de 25 km e uma extensão total de 330 km. Constituído por diversas zonas de cisalhamento dúcteis discretas de direção preferencial NS, o feixe exibe, em mapa, uma trajetória sigmoidal, com as suas terminações defletidas para NE. O segmento norte é composto por zonas de cisalhamento reversas e, subordinadamente, por zonas transcorrentes dextrais. Os segmentos central e sul são dominados por zonas transcorrentes dextrais. Em sua terminação sul, o feixe rotaciona-se para NE até confundir-se com as estruturas da porção nordeste do Orógeno Ribeira. A Zona de Cisalhamento de Abre Campo segue o traçado do Feixe Manhaçu-Santa Margarida. Com uma largura média de 20 km, estende-se por cerca de 350 km na direção geral NS e também mostra deflexões para NE nos seus extremos norte e sul. É interpretada como a zona de sutura do Orógeno Araçuaí e, assumindo a direção geral NE-SW, continua pelo interior do Orógeno Ribeira, onde é conhecida como Zona de Cisalhamento Juiz de Fora-Jaguari-Taxaquara. A Zona de Cisalhamento Guaçuí, com extensão total de 320 km e orientação NE-SW, caracteriza-se por uma terminação em “rabo de cavalo” a norte e funde-se, a sul, com a Zona de Cisalhamento Além Paraíba do Orógeno Ribeira. Ao longo de toda sua extensão o sentido de cisalhamento observado é dextral e uma estimativa do seu rejeito horizontal resultou em um valor na casa dos 35 km. A Zona de Cisalhamento Batatal, orientada segundo NNE-SSW, possui traço sigmoidal e cerca de 70 km de extensão. Sua movimentação é dextral reversa a norte e dextral na extremidade sul, onde é obliterada pelo plúton granítico Rio Novo do Sul. Seu rejeito horizontal estimado fica em torno de 15 km. A extremidade nordeste da Zona de Cisalhamento Além Paraíba do Orógeno Ribeira estende-se por cerca de 300 km na direção NE-SW, até a zona de cobertura da margem continental. Com deslocamento horizontal estimado de 137 km, corresponde a uma zona dúctil de movimentação essencialmente dextral. As zonas de cisalhamento de Abre Campo e Manhuaçu-Santa Margarida formaram-se com zonas dúcteis reversas durante o estágio colisional principal do Orógeno Araçuaí entre 580-565 Ma. Posteriormente, com a instalação de um regime transpressional dextral na porção sul do Orógeno Araçuaí e no segmento nordeste do Orógeno Ribeira, foram rotacionadas para a posição vertical e orientação NE-SW, passando a funcionar como zonas transcorrentes dextrais. Neste mesmo episódio, que deve ter ocorrido no intervalo entre 560 e 530 Ma, formaram-se as zonas transcorrentes dextrais de Guacuí e Batatal. Em conjunto, todas as grandes zonas do Orógeno Araçuaí fundem-se ou são localmente obliteradas pelas grandes estruturas transcorrentes do Orógeno Ribeira.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2202
Appears in Collections:PPGECRN - Doutorado (Teses)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESE_SistemaTranscorrentePorção.pdf25,16 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.