Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/15078
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorGonçalves, Clézio Robertopt_BR
dc.contributor.authorPires, Luís Ricardo Rodrigues-
dc.date.accessioned2022-08-04T19:43:27Z-
dc.date.available2022-08-04T19:43:27Z-
dc.date.issued2015pt_BR
dc.identifier.citationPIRES, Luís Ricardo Rodrigues. Um estudo sociolinguístico do uso da preposição “em” no município de Ouro Preto (MG). 2015. 77 f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2015.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/15078-
dc.descriptionPrograma de Pós-Graduação em Letras. Departamento de Letras, Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal de Ouro Preto.pt_BR
dc.description.abstractEsta dissertação analisa o uso da preposição “em” na fala de moradores do município de Ouro Preto (MG) a partir dos pressupostos teórico-metodológicos da Sociolinguística Variacionista. São, para tanto, abordados os seguintes temas: a) a análise da variação no uso da preposição “em” na fala de moradores de Ouro Preto (MG); b) a observação do uso da preposição “ni” como uma variante da preposição “em”; c) a discussão de algumas hipóteses relativas ao surgimento da variante “ni”, à sua incorporação ao Português Brasileiro, bem como à estigmatização linguística da qual é alvo. O estudo parte da análise do estatuto gramatical das preposições, em especial da preposição “em”, nas gramáticas normativa, histórica e descritiva. No plano dos estudos linguísticos, são analisados alguns trabalhos desenvolvidos na perspectiva da Sociolinguística Variacionista sobre o uso das variantes “em” e “ni”. As hipóteses sobre o surgimento da variante “ni” discutidas nesta dissertação foram identificadas em trabalhos realizados por Cunha (1960), Carvalho e Nascimento (1984) e Lucchesi, Baxter e Ribeiro (2009). O corpus é composto por 16 informantes nascidos no município de Ouro Preto (MG), os quais foram agrupados de acordo com as seguintes variáveis extralinguísticas: gênero, faixa etária e escolaridade. Após a coleta dos dados, a partir da gravação de entrevistas sociolinguísticas, transcrição e análise do corpus, foram identificadas 557 ocorrências da preposição “em” (e de suas formas contraídas com artigo ou pronome) e da forma “ni”. Constatou-se, a partir da análise, que o uso das variantes não é necessariamente condicionado por fatores extralinguísticos, mas, sim, por aspectos linguísticos, como o traço semântico e o tipo de verbo que ocorre na elocução. Quanto à forma “ni”, embora sua ocorrência no corpus tenha sido bastante reduzida, constatou-se que seu uso se dá em situações de maior informalidade e, consequentemente, menor monitoramento linguístico.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsabertopt_BR
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/us/*
dc.subjectPreposiçõespt_BR
dc.subjectLinguagem e línguas - variaçãopt_BR
dc.subjectOuro Preto - Minas Geraispt_BR
dc.titleUm estudo sociolinguístico do uso da preposição “em” no município de Ouro Preto (MG).pt_BR
dc.typeDissertacaopt_BR
dc.rights.licenseAutorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 11/05/2022 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.pt_BR
dc.contributor.refereeCoelho, Maria do Socorro Vieirapt_BR
dc.contributor.refereeRocha, Ana Paula Antunespt_BR
dc.contributor.refereeGonçalves, Clézio Robertopt_BR
dc.description.abstractenThis study analyzes the use of the Brazilian Portuguese preposition “em” in the speech of the inhabitants of the city of Ouro Preto, Minas Gerais, from the theoretical-methodological assumptions of the Variationist Sociolinguistics. The following themes are therefore addressed: a) the analysis of the variation in the use of the preposition “em” in the speech of residents of Ouro Preto ; b) the use of the preposition “ni” as a variant of the preposition “em”; c) the discussion of some hypotheses regarding the emergence of the variant “ni”, its incorporation into Brazilian Portuguese, as well as the linguistic stigma of which is targeted. The component of focus is the analysis of the grammatical status of the prepositions, in particular that of of the preposition “em” in the normative, historical and descriptive grammars. In terms of linguistic studies, some works developed in the perspective of variationist sociolinguistics on the use of the variants “em” and “ni” are also analyzed. The hypotheses about the emergence of “ni” discussed in this study were identified in work carried out by Cunha (1960), Carvalho and Nascimento (1984) and Lucchesi, Baxter and Ribeiro (2009). The corpus consists of 16 informants who were born in the town of Ouro Preto, which have been grouped according to the following extra linguistic variables: gender, age group and schooling. After collecting the data from the recording of sociolinguistic interviews, transcription and analysis of the corpus, 557 occurrences of the preposition “em” (and their contracted forms with article or pronoun) besides the “ni”. It was noted from the analysis that the use of variants is not necessarily conditioned by extra linguistic factors, but rather by linguistic aspects as semantic mapping and the type of verb that occurs in the elocution. As to “ni”, although its occurrence in the corpus has been greatly reduced, it was noted that its use is given in more informal situations, and therefore less language monitoring.pt_BR
Appears in Collections:PPL - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTACÃO_EstudoSociolinguísticoUso.pdf2,2 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons