Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/14460
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSouza, Melina Oliveira dept_BR
dc.contributor.advisorFreitas, Renata Nascimento dept_BR
dc.contributor.authorPena, Carina Cristina-
dc.date.accessioned2022-02-08T18:05:15Z-
dc.date.available2022-02-08T18:05:15Z-
dc.date.issued2021pt_BR
dc.identifier.citationPENA, Carina Cristina. Suplementação com polpa de açaí na dieta hiperlipídica materna durante a gestação e lactação modifica a concentração de ácidos graxos de cadeia curta nas mães e suas respectivas proles. 2021. 76 f. Dissertação (Mestrado em Saúde e Nutrição) - Escola de Nutrição, Universidade Federal de Ouro Preto, Escola de Nutrição, Ouro Preto, 2021.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/14460-
dc.descriptionPrograma de Pós-Graduação em Saúde e Nutrição. Escola de Nutrição, Universidade Federal de Ouro Preto.pt_BR
dc.description.abstractO consumo de uma dieta hiperlipídica pode desencadear o desenvolvimento e a progressão da doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA). Além disso, a literatura mostra que uma nutrição materna rica em gordura é capaz de promover alterações metabólicas precoces determinantes desta doença em sua prole. Atualmente, a conexão entre intestino e DHGNA tem atraído bastante atenção como forma de explicar a etiopatogenia e a adoção de estratégias terapêuticas. Nossa hipótese é que o açaí (Euterpe oleracea Martius), devido principalmente à sua composição química, rica em compostos fenólicos e fibras alimentares, pode modular a produção de ácido graxo de cadeia curta (AGCC) no intestino. Neste sentido, o presente estudo teve como objetivo avaliar o efeito da polpa de açaí suplementada na dieta materna hiperlipídica sobre a concentração de AGCC no conteúdo cecal de ratas e suas proles após o período de lactação. Foram utilizadas 32 ratas fêmeas, espécie Rattus norvegicus, linhagem Fischer, com 90 dias de idade, divididas em quatro grupos experimentais de acordo com a dieta recebida: grupo controle (C) (dieta padrão AIN-93G), grupo hiperlipídico (HF) (dieta hiperlipídica com 40% de banha de porco e 1% de colesterol), grupo açaí (A) (dieta padrão suplementada com polpa de açaí 2%) e grupo hiperlipídico + açaí (HFA) (dieta hiperlipídica suplementada com polpa de açaí 2%). Após um período de duas semanas recebendo as dietas experimentais, foi realizado o acasalamento aleatório poligâmico dessas ratas. Ao longo do período de gestação e lactação, sendo 21 dias para cada etapa, as fêmeas (geração G0) receberam suas respectivas dietas experimentais e água ad libitum. Após o nascimento, os filhotes (geração F1) permaneceram na gaiola junto com a mãe durante todo o período de lactação. No final do experimento as gerações G0 e F1 foram eutanasiadas e foi retirado o conteúdo fecal acumulado no ceco dos animais para análise da concentração dos AGCC (ácido acético, butírico e propiônico), utilizando a técnica de cromatografia líquida de alta eficiência. Foi avaliado também, a concentração hepática de TNF. Na geração G0, a dieta hiperlipídica (p<0,001), polpa de açaí (p<0,001) e interação (p<0,05) modificaram a concentração de ácido acético. Também foi encontrada uma redução na concentração do ácido acético nas mães do grupo HFA quando comparado ao grupo HF. A polpa de açaí (p<0,05) apresentou efeito sobre a concentração de ácido butírico e ácido propiônico. As mães do grupo HFA apresentaram uma concentração cecal de ácido propiônico menor que as mães do grupo HF. Na geração F1 a interação (p<0,05) apresentou efeito sobre a concentração de ácido acético. A dieta hiperlipídica (p<0,001) polpa de açaí (p<0,001) e da interação (p<0,05) apresentou efeito sobre a concentração de ácido butírico. A prole do grupo HFA apresentou um aumento na concentração de ácido butírico quando comparado ao grupo HF. Na prole, a polpa de açaí (p<0,001) e a interação (p<0,05) apresentaram efeito sobre a concentração de ácido propiônico. A prole do grupo HFA apresentou uma redução na concentração do ácido propiônico que a prole do grupo HF. Com relação ao resultado da concentração hepática de TNF, nas mães essa concentração foi influenciada pela polpa de açaí (p<0,05) e a interação (p<0,01) e nas proles sofreu influência da dieta hiperlipídica (p<0,001). Nossos achados podem ser úteis para ajudar na melhor compreensão do efeito de alimentos ricos em compostos bioativos sobre o trato intestinal de descendentes em um modelo de DHGNA induzida por dieta materna hiperlipídica. Entretanto, mais estudos de intervenção dietética são necessários para comprovar que o consumo de açaí é benéfico para a saúde intestinal e também indicado como estratégia terapêutica para a prevenção da DHGNA.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsabertopt_BR
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/us/*
dc.subjectAçaípt_BR
dc.subjectÁcidos graxospt_BR
dc.subjectDietapt_BR
dc.titleSuplementação com polpa de açaí na dieta hiperlipídica materna durante a gestação e lactação modifica a concentração de ácidos graxos de cadeia curta nas mães e suas respectivas proles.pt_BR
dc.typeDissertacaopt_BR
dc.rights.licenseAutorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 02/02/2022 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.pt_BR
dc.contributor.refereeSouza, Melina Oliveira dept_BR
dc.contributor.refereeAmaral, Joana Ferreira dopt_BR
dc.contributor.refereeMendes, Maria Carolina Santospt_BR
dc.description.abstractenConsumption of a high-fat diet can trigger the development and progression of non-alcoholic fatty liver disease (NAFLD). In addition, the literature shows that high-fat maternal nutrition is able to promote early metabolic changes that determine this disease in their offspring. Currently, the connection between the intestine and NAFLD has attracted considerable attention as a way to explain the etiopathogenesis and the adoption of therapeutic strategies. Our hypothesis is that açaí (Euterpe oleracea Martius), mainly due to its chemical composition, rich in phenolic compounds and dietary fiber, can modulate the production of short-chain fatty acid (SCFA) in the intestine. In this sense, the present study aimed to evaluate the effect of açaí pulp supplemented in the high-fat maternal diet on the concentration of SCFA in the cecal content of rats and their offspring after the lactation period. Thirty-two female rats, Rattus norvegicus, Fischer strain, 90 days old, were used, divided into four experimental groups according to the diet received: control group (C) (standard diet AIN-93G), hyperlipidic group (HF) ( high fat diet with 40% lard and 1% cholesterol), açaí group (A) (standard diet supplemented with 2% açaí pulp) and hyperlipidic + açaí group (HFA) (high fat diet supplemented with 2% açaí pulp ). After a period of two weeks receiving the experimental diets, polygamous random mating of these rats was performed. During the period of gestation and lactation, with 21 days for each stage, females (generation G0) received their respective experimental diets and water ad libitum. After birth, the offspring (F1 generation) remained in the cage together with their mother throughout the lactation period. At the end of the experiment, the G0 and F1 generations were euthanized and the fecal content accumulated in the cecum of the animals was removed to analyze the concentration of SCFA (acetic, butyric and propionic acid), using the technique of high performance liquid chromatography. The hepatic concentration of TNF was also evaluated. In the G0 generation, the high-fat diet (p<0.001), açaí pulp (p<0.01) and interaction (p<0.05) modified the acetic acid concentration. And a reduction in acetic acid concentration was found in mothers in the HFA group when compared to the HF group. The açaí pulp (p<0.05) had an effect on the concentration of butyric acid and propionic acid. The mothers in the HFA group had a lower cecal propionic acid concentration than the mothers in the HF group. In the F1 generation, the interaction (p<0.05) had an effect on the acetic acid concentration. The high-fat diet (p<0.001) açaí pulp (p<0.05) had an effect on the concentration of butyric acid. The offspring of the HFA group showed an increase in the concentration of butyric acid when compared to the HF group. In the offspring, the açaí pulp (p<0.0001) and the interaction (p<0.05) had an effect on the concentration of propionic acid. The offspring of the HFA group showed a reduction in the concentration of propionic acid than the offspring of the HF group. Regarding the result of the hepatic concentration of TNF, in the mothers this concentration was influenced by the açaí pulp (p<0.05) and the interaction (p<0.01) and in the offspring it was influenced by the high-fat diet (p<0.001). Our findings may be useful to help better understand the effect of foods rich in bioactive compounds on the intestinal tract of offspring in a model of NAFLD-induced maternal hyperlipidic diet. However, more dietary intervention studies are needed to prove that the consumption of açaí is beneficial to intestinal health and also indicated as a therapeutic strategy for the prevention of NAFLD.pt_BR
Appears in Collections:PPGSN - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_SuplementaçãoPolpaAçai.pdf2,18 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons