Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/13841
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCipriano, Ricardo Augusto Scholzpt_BR
dc.contributor.advisorZincone, Stéfano Albinopt_BR
dc.contributor.advisorGraça, Leonardo Martinspt_BR
dc.contributor.authorFerreira, Gabriel Henrique Coelho-
dc.date.accessioned2021-10-06T23:04:35Z-
dc.date.available2021-10-06T23:04:35Z-
dc.date.issued2020pt_BR
dc.identifier.citationFERREIRA, Gabriel Henrique Coelho. Estudo da gênese dos carbonados relacionados com o Cráton do São Francisco. 2020. 94 f. Dissertação (Mestrado em Evolução Crustal e Recursos Naturais) – Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2020.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/13841-
dc.descriptionPrograma de Pós-Graduação em Evolução Crustal e Recursos Naturais. Departamento de Geologia, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.pt_BR
dc.description.abstractCarbonado é uma peculiar variedade policristalina de diamante, encontrada em depósitos pláceres no Brasil e na República Centro-Africana, cuja origem e história geológica não é um consenso. Os estudos cristalográficos usando microscópio eletrônico de varredura (MEV) e difração de elétrons retroespalhados (EBSD) foram conduzidos para uma amostra do Brasil. A mineralogia essencial inclui diamante (62,7 %), goyazita (14,5 %) e florencita (11,9 %). O zero solution registrou 10,8 % e representa porosidade com morfologia irregular inter e intra-granular. Os grãos de diamante registram limites irregulares com bordas interlobadas e ausência de orientação cristalográfica preferencial. As figuras de polo das fases diamante, florencita e goyazita mostram coincidências sistemáticas em todo carbonado investigado. Os resultados de EBSD revelaram que 59,0 % dos grãos de diamante são subestruturados, 24,5 % recristalizados e 16,5 % deformados. Embora os resultados tenham mostrado uma distribuição gradual de tamanho dos grãos de diamante, foi possível distinguir duas regiões, uma com predominância de grãos grossos subestruturados e outra de grãos finos deformados. Nossos resultados sugerem que a cristalização primária do agregado micrométrico de grãos de diamantes euédricos ocorreu no manto e, subsequentemente, um evento de deformação promoveu o cisalhamento de contorno de grão no agregado, gerando os limites irregulares dos grãos com bordas interlobadas, os grãos finos que compõem as bandas de cisalhamento e a alta concentração de poros. Um crescimento epitaxial de florencita e goyazita sobre o diamante também pode ser caracterizado em duas posições espaciais diferentes, como evidenciado pelas coincidências dos planos (0001) // (111) e (10-11) // (1-11). Reunindo nossos resultados e estudos prévios, propomos um novo modelo de desenvolvimento do carbonado que inclui a cristalização do agregado de grãos de diamante no manto, deformação, ascensão e colocação próxima a um reator nuclear natural e, por fim, a erosão e o retrabalhamento por fluidos hidrotermais.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsabertopt_BR
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/us/*
dc.subjectPetrogênesept_BR
dc.subjectDiamantes - carbonadopt_BR
dc.subjectDiamantes - cristalizaçãopt_BR
dc.subjectCrescimento de cristais - eptaxiapt_BR
dc.subjectDifração de elétrons retroespelhados - EBSDpt_BR
dc.titleEstudo da gênese dos carbonados relacionados com o Cráton do São Francisco.pt_BR
dc.typeDissertacaopt_BR
dc.rights.licenseAutorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 09/09/2020 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.pt_BR
dc.contributor.refereeCipriano, Ricardo Augusto Scholzpt_BR
dc.contributor.refereeBarbosa, Cassandra Terrapt_BR
dc.contributor.refereePenha, Ulisses Cyrinopt_BR
dc.description.abstractenCarbonado is a peculiar variety of polycrystalline diamonds found in placer deposits of non-consensual origin and geological history in Brazil and Central African Republic. For a Brazilian carbonado sample a crystallographic study was conducted using scanning electron microscope (SEM) and backscattered electron diffraction (EBSD). Essential mineralogy include diamond (62.7 %), goyazite (14.5 %) and florencite (11.9 %). The zero solution registered 10.8% and represent porosity with irregular inter- and intra- granular morphology. Diamond grains have irregular boundarys with interlobed edges and no preferred crystallographic orientation. Pole figures of the phases diamond, florencite and goyazite showed systematic coincidences throughout the investigated carbonado. EBSD result reveals that 59.0 % of the diamond grains are sub-structured, 24.5 % recrystallized and 16.5 % deformed. Although the results showed a gradual distribution of the diamond grain size, two regions could be distinguished, one with a predominance of sub-structured coarse grains and the other with deformed fine grains. Our results suggest that primary crystallization of micrometric euhedral diamond aggregate occurred in the mantle and a subsequent deformation event promoted grain boundary shearing in the aggregate, generating the irregular boundary of grains with interlobed edges, the fine grains that make up the shear bands, and the high pore concentration. An epitaxial growth of florencite and goyazite on the diamond could be characterized in two different spatial positions, as evidenced by the coincidence of the planes (0001) // (111) and (10-11) // (1-11). From this crystallographic result, in addition to previous studies, we propose a new model of carbonado development, which includes crystallization of the diamond grain aggregate in the mantle, deformation, ascension and emplacement near a natural nuclear reactor and, finally, erosion and reworking by hydrothermal fluid.pt_BR
Appears in Collections:PPGECRN - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_EstudoGêneseCarbonatos.pdf4,34 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons