Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/13712
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorMachado, Elaine Leandropt_BR
dc.contributor.authorJannuzzi, Jorge Henrique Kothe-
dc.date.accessioned2021-09-14T14:18:39Z-
dc.date.available2021-09-14T14:18:39Z-
dc.date.issued2021pt_BR
dc.identifier.citationJANNUZZI, Jorge Henrique Kothe. Fatores associados ao consumo abusivo de bebidas alcoólicas entre universitários durante a pandemia de COVID-19. 2021. 101 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Saúde da Família) - Escola de Medicina, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2021.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/13712-
dc.descriptionPrograma de Pós-Graduação em Saúde da Família. Departamento de Medicina de Família, Saúde Mental e Coletiva, Escola de Medicina, Universidade Federal de Ouro Preto.pt_BR
dc.description.abstractUm novo vírus surgiu na cidade chinesa de Wuhan e, rapidamente, se espalhou pelo mundo impondo medidas de contenção e mitigação nunca vistas. Medidas de isolamento e distanciamento social foram adotadas como forma diminuir a disseminação do vírus Sars-CoV2 e, consequentemente, dos casos de COVID-19. Uma preocupação levantada no início da pandemia foi a possível intensificação do abuso de bebidas alcoólicas durante o isolamento. Os universitários foram duramente atingidos com a suspensão das atividades presenciais, adaptação para aulas online, isolamento em relação aos amigos e a volta para a casa dos pais. Assim, este estudo investiga o consumo de bebidas alcoólicas por estudantes universitários durante o período de isolamento social imposto pela pandemia e a identificação de grupos de maior vulnerabilidade que necessitem de estratégias específicas. Para isso, foram coletados dados de estudantes de uma universidade do interior de Minas Gerais, nos meses de julho e agosto de 2020, por meio de questionário online, autoaplicado e confidencial, que abordou o uso abusivo de álcool, o perfil semanal de consumo de bebidas, características gerais, condições socioeconômicas, hábitos de vida e condições de saúde física e mental. A associação do uso abusivo de álcool com essas variáveis foi avaliada pelo teste Qui-quadrado de independência, Qui-quadrado de McNemar e modelo logístico binário. Os dados mostraram que a prevalência do uso de bebidas alcóolicas foi de 66,8%, e de uso abusivo de álcool, 35,1%. Durante a pandemia, 41,9% dos estudantes reduziram o número de dias / semana de consumo, 40% mantiveram e 18,1% aumentaram. Houve uma associação entre o uso abusivo de álcool e morar com outras pessoas (OR 1,706; IC 95% 1,140-2,590), exercer atividade remunerada (OR 1,435; IC 95% 1,052-1,954), ter parado de fumar (OR 2,594; IC 95% 1,823-3,696) ou fumar atualmente (OR 2,817; IC 95% 1,864-4,270), usar drogas ilícitas (OR 4,415; IC 95% 2,909- 6,823), praticar atividade física (OR 1,657; IC 95% 1,273-2,165) e relatar estresse severo ou extremamente severo (OR 1,634; IC 95% 1,167-2,290). Os achados sugerem que os estudantes estão consumindo menos bebidas alcoólicas na pandemia de COVID-19. Tal redução, embora possa ser vista como um fato positivo neste momento, pode sugerir a necessidade de maior atenção na volta às atividades presenciais nas universidades, com a exposição às situações que induzem o uso abusivo em interação com os fatores estressores pós-pandemia. Estratégias de conscientização e prevenção devem ser adotadas com grupos mais vulneráveis. A continuidade do Projeto de Ansiedade e Depressão em Universitários (PADu), com o monitoramento de fatores de risco é fundamental para compreender as relações causais do consumo de bebidas e os efeitos, a longo prazo, da pandemia COVID-19 no comportamento e saúde mental de estudantes universitários.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsabertopt_BR
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/us/*
dc.subjectÁlcoolpt_BR
dc.subjectBebidas alcoólicas - consumopt_BR
dc.subjectEstudantes universitáriospt_BR
dc.subjectCOVID-19pt_BR
dc.titleFatores associados ao consumo abusivo de bebidas alcoólicas entre universitários durante a pandemia de COVID-19.pt_BR
dc.typeDissertacaopt_BR
dc.rights.licenseAutorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 03/09/2021 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.pt_BR
dc.contributor.refereeMachado, Elaine Leandropt_BR
dc.contributor.refereeGontijo, Eliane Diaspt_BR
dc.contributor.refereeFigueiredo, Adriana Maria dept_BR
dc.contributor.refereeOliveira, Graziella Lagept_BR
dc.description.abstractenA new virus emerged in the Chinese city of Wuhan and quickly spread across the world demanding unprecedented containment and measures to attenuate the situation. Isolation and social distancing measures were adopted to reduce the contamination of the Sars-CoV-2 virus and, consequently, of the cases of COVID-19. A concern raised early in the pandemic was the possible intensification of alcohol abuse during isolation. University students were hit hard with the suspension of in-person activities, adaptation to online classes, isolation from friends, and imminent returning to their parents' home. Thus, this study investigates the consumption of alcoholic beverages by university students during the period of social isolation imposed by the pandemic and the identification of more vulnerable groups that need specific strategies to cope with this situation. For this, some data were collected from students at a university in the interior of Minas Gerais, in the months of July and August 2020, by means of an online, selfadministered and confidential questionnaire, which addressed the abusive use of alcohol, the weekly report of alcohol consumption, general characteristics, socioeconomic conditions, lifestyle and physical and mental health conditions. The association of alcohol abuse with these variables was assessed using the Chi-square test of independence, McNemar's Chi-square test, and binary logistic model. The data showed that the prevalence of alcohol use was 66.8%, and alcohol abuse, 35.1%. During the pandemic, 41.9% of the participants reduced the number of days/week of consumption, 40% maintained, and 18.1% increased their consumption. There were associations between alcohol abuse and living with other people (OR 1.706; CI 95% 1.140-2.590), engaging in paid work (OR 1.435; CI 95% 1.052-1.954), having stopped smoking (OR 2.594; CI 95% 1.823-3.696) or currently smoking (OR 2.817; CI 95% 1.864-4.270), use of illicit drugs (OR 4.415; CI 95% 2.909-6.823), exercising (OR 1.657; CI 95% 1.273-2.165), and reporting severe or extremely severe stress (OR 1.634; 95% CI 1.167-2.290). The findings suggest that students are consuming less alcohol during the COVID-19 pandemic. This reduction, although it can be seen as a positive fact at this time, may suggest the need for greater attention when returning to the normal interactions at universities, with people’s exposure to situations that induce abusive use associated to post-pandemic stressors. Some prevention measures must be adopted with the most vulnerable groups among the students. The continuity of the University Students Anxiety and Depression Project (PADu), with the monitoring of risk factors, is essential to understand the causal relationships of beverage consumption and the long-term effects of the COVID-19 pandemic on behavior and mental health of university students.pt_BR
Appears in Collections:PROFSAÚDE - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_FatoresAssociadosConsumo.pdf3,2 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons