Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/13089
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCristiano, Maykon Passospt_BR
dc.contributor.advisorCardoso, Danon Clemespt_BR
dc.contributor.advisorSandoval Gómez, Vivian Elianapt_BR
dc.contributor.authorGomes, Flávia Carolina Simões-
dc.date.accessioned2021-02-08T13:36:02Z-
dc.date.available2021-02-08T13:36:02Z-
dc.date.issued2017pt_BR
dc.identifier.citationGOMES, Flávia Carolina Simões. Taxonomia, distribuição e inferências filogenéticas de duas espécies de formigas cortadeiras (Formicidae: Myrmicinae). 93 f. 2017. Dissertação (Mestrado em Ecologia de Biomas Tropicais) - Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2017.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/13089-
dc.descriptionPrograma de Pós-Graduação em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolução e Meio Ambiente, Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto.pt_BR
dc.description.abstractAs formigas são um dos grupos mais bem sucedidos da história evolutiva do planeta. Destacamse, nesse grupo, os gêneros de formigas cortadeiras, Acromyrmex e Atta, essas são consideradas um dos herbívoros dominantes na maioria das comunidades vegetais neotropicais. Entre as espécies de Acromyrmex, estão Acromyrmex striatus (Roger, 1863), Acromyrmex silvestrii (Emery, 1905) e Acromyrmex silvestrii bruchi (Forel, 1912), morfologicamente semelhantes entre si, porém diferentes de suas congêneres. Ambas as espécies são um mosaico de caracteres morfológicos dos dois gêneros de formigas cortadeiras. Tanto Ac. striatus quanto Ac. silvestrii apresentam de três a quatro pares de espinhos no dorso da região promesonotal (característica do gênero Acromyrmex) e gáster liso, sem tubérculos (característica do gênero Atta). A espécie Ac. striatus é uma formiga cortadeira encontrada em ambientes abertos de clima seco no sul do Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Bolívia, porém, pouco se sabe de sua distribuição fora do Brasil. Buscando estudar a distribuição recente de Ac. striatus, foram levantados dados publicados (oriundos da bibliografia) e não publicados obtidos através de coleta ativa (capítulo 1). Foram gerados mapas referentes a distribuição potencial da espécie usando como variáveis dados climáticos e de altitude, analisados em cinco diferentes modelos estatísticos compilados em um modelo consenso. Somando os dados publicados e não publicados foram registradas 386 colônias, distribuídas nos quatro países onde a sua ocorrência é conhecida. O consenso entre os modelos apontou que o estado do Rio Grande do Sul apresenta o habitat mais adequado para a presença da espécie indicando uma maior probabilidade para sua ocorrência. Fatores ambientais, bem como eventos geológicos e históricos climáticos que modificaram a superfície da Terra podem ter influenciado os padrões de distribuição da espécie. Estudos recentes com Ac. striatus demonstram que seu número cromossómico é o mesmo de espécies do gênero Atta e, filogeneticamente, a espécie agrupa como grupo irmão dos gêneros Acromyrmex e Atta. Esses dados fornecem indícios de que a Ac. striatus poderia ser um novo gênero de formiga cortadeira e, acredita-se, que o mesmo pode ocorrer com Ac. silvestrii e sua subespécie. Com o objetivo de entender a relação filogenética de Ac. striatus com as demais espécies de formigas cortadeiras, foram realizadas análises morfológicas e moleculares. Desse modo, propomos neste estudo uma nova filogenia para as formigas cortadeiras, além da descrição de um novo gênero dentro de Attini (Capítulo 2). A relação filogenética entre Ac. striatus, Ac. silvestrii e Ac. silvestrii bruchi e as demais formigas cortadeiras foi estimada a partir de quatro genes nucleares. Todas as três espécies formaram um clado separado das demais formigas cortadeiras. Para a descrição do novo gênero foram examinados vários espécimes, incluindo exemplares depositados em museus. Foram ainda realizadas análises morfométricas e a redescrição das espécies. Modelos evolutivos de substituição de nucleotídeos apropriados foram gerados e analisados com base em métodos Bayesianos. A árvore gerada apresentou um grupo bem apoiado estatisticamente, onde as espécies Ac. striatus, Ac. silvestrii e Ac. silvestrii bruchi formam um clado bem definido. Este clado constituindo o grupo irmão de Acromyrmex e Atta. Através da análise da filogenia e dos dados morfológicos foi proposta a sinonimização de Acromyrmex striatus e Acromyrmex silvestrii em Gen. nov. striatus (Roger, 1986) e a elevação do status de Acromyrmex silvestrii bruchi a espécie do novo gênero, Gen. nov. bruchi (Forel, 1912). Tendo em vista os dados encontrados, esse estudo contribuiu significativamente na ampliação dos conhecimentos taxonômicos das formigas cortadeiras, além de contribuir para a compreensão da história evolutiva do grupo.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsabertopt_BR
dc.subjectFilogeniapt_BR
dc.subjectEvolução - biologiapt_BR
dc.subjectFormiga-cortadeirapt_BR
dc.titleTaxonomia, distribuição e inferências filogenéticas de duas espécies de formigas cortadeiras (Formicidae: Myrmicinae).pt_BR
dc.typeDissertacaopt_BR
dc.rights.licenseAutorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 30/1/2019 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.pt_BR
dc.contributor.refereeCristiano, Maykon Passospt_BR
dc.contributor.refereeAraújo, Lucimar Soares dept_BR
dc.contributor.refereeMilanez, Cinthia Borges da Costapt_BR
dc.description.abstractenAnts are one of the most successful groups in the evolutionary history of the planet. Within this group, the leaf-cutter ants genera, Acromyrmex and Atta, stand out as the dominant herbivores in most neotropical plant communities. Among species of Acromyrmex, there are Acromyrmex striatus, Acromyrmex silvestrii and Acromyrmex silvestrii bruchi, which are morphologically similar to each other but distinct for their congeners. Both species are a mosaic of morphological characters of both genera of leaf-cutter ants. Both Ac. striatus and Ac. silvestrii have three to four pairs of spines on the dorsum of the promesonotal region (a characteristic of the Acromyrmex genus) and smooth gaster, without tubercles (a characteristic of the Atta genus). Ac. striatus is a species of leaf-cutter ant found in open environments of dry climate in southern Brazil, Argentina, Paraguay, Uruguay and Bolivia, but little is known about its distribution outside of Brazil. Aiming to study the current distribution of Ac. striatus, we gathered published (from scientific literature) and unpublished data (obtained via active collections) (Chapter 1). We produced maps of the species potential distribution using climate and altitude data analysed using five different statistical models compiled in a consensus model. Summing up published and unpublished data, there were 386 colonies recorded, distributed across four countries where its occurrence is known. The consensus between models pointed to the state of Rio Grande do Sul as the most suitable for the species occurrence. Environmental factors, as well as geological events and climatic history that modified Earth’s surface, may have influenced the distribution patterns of the species. Recent studies with Ac. striatus demonstrated that its chromosomic number is equal to species of the Atta genus, and phylogenetically, the species is positioned as a sister group of both Acromyrmex and Atta genera. These data provide indications that Ac. striatus could be a new genus of leaf-cutter ant, and the same could apply for Ac. silvestrii and its subspecies. With the aim to understand the phylogenetic relationship of Ac. striatus and the other species of leaf-cutter ants, we performed morphological and molecular analysis, proposing a new phylogeny for leaf-cutter ants, besides the description of a new genus within Attini (Chapter 2). The phylogenetic relationship between Ac. striatus, Ac. silvestrii and Ac. silvestrii bruchi and the other leaf-cutter ants was estimated based on four nuclear genes. All three species formed a clade separated from the other leaf-cutter ants. To describe the new genus, several specimens were examined, including exemplars deposited in museums. Morphometric analysis were also performed and the species were redescribed. Suitable evolutionary models of nucleotide substitution were generated and analysed using Bayesian methods. The generated three showed a statistically well supported group, where species of Ac. striatus, Ac. silvestrii and Ac. silvestrii bruchi formed a well defined clade. This clade constituted a sister group of Acromyrmex and Atta. Through analysis of the phylogeny and morphological data, we proposed to synonymize Acromyrmex striatus and Acromyrmex silvestrii into Gen. nov. striatus (Roger, 1986), and to raise Acromyrmex silvestrii bruchi to the status of species of the new genus, Gen. nov. bruchi (Forel, 1912). Considering the results obtained, this study contributed significantly to expand the taxonomic knowledge about leaf-cutter ants and the understanding of the evolutionary history of this group.pt_BR
Appears in Collections:PPGEBT - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_TaxonomiaDistribuiçãoInferências.pdf7,45 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons