Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/12459
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCardoso, Leonardo Máximopt_BR
dc.contributor.advisorDores, Rosana Gonçalves Rodrigues daspt_BR
dc.contributor.authorBraga, Daiane Cristina de Assis-
dc.date.accessioned2020-07-16T14:16:58Z-
dc.date.available2020-07-16T14:16:58Z-
dc.date.issued2019-
dc.identifier.citationBRAGA, Daiane Cristina de Assis. Efeitos do tratamento com suspensão de extrato de folhas de Psidium guajava L. (goiabeira) sob a pressão arterial e balanço hidroeletrolítico de ratos Wistar sob dieta com sobrecarga de sódio. 2019. 96 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2019.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/12459-
dc.descriptionPrograma de Pós-Graduação em Ciências Biológicas. Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Pró-Reitoria de Pesquisa de Pós Graduação, Universidade Federal de Ouro Preto.pt_BR
dc.description.abstractA hipertensão arterial (HA) é uma doença crônica multifatorial que tem grande prevalência na população mundial atualmente. Um dos fatores de risco é a alimentação com alto teor de sódio. Algumas classes de medicamentos já são destinados ao tratamento da hipertensão. Contudo, em decorrência de efeitos colaterais, falta de eficiência na redução dos níveis pressóricos e intolerância a estes medicamentos, tem aumentado a necessidade de descoberta para novos medicamentos. Estudos etnofarmacológicas têm apontado várias plantas como potenciais agentes anti-hipertensivos, dentre eles Psidium guajava L. (goiabeira). O objetivo desse trabalho foi investigar o potencial anti-hipertensivo da suspensão obtida a partir do extrato etanólico de folhas de Psidium guajava L. (SPs) em um modelo de hipertensão sódio-dependente e avaliar possíveis mecanismos correlacionados à ação hipotensora. Para tanto, ratos Wistar foram submetidos a uma dieta contendo 0,9% de Na+ - grupo High salt (HS) ou 0,27% de Na+ grupo controle do desmame até a 16ª semana. Nas últimas 4 semanas, com hipertensão já estabelecida no grupo HS, animais de ambos os grupos foram subdivididos para diferentes tratamentos. Consumo de ração, sódio, ingestão de água e medida de volume urinário foram feitos em gaiolas metabólicas na 12ª e 16ª semanas por 24 horas. A partir da 13ª semana pós desmame, os animais começaram a receber, via gavagem, suspensão de extrato de folhas de goiabeira (SPs, 100 mg.kg-1 ou 200 mg.kg-1 ), furosemida (20 mg.kg-1 ) ou 1 mL de água destilada (placebo) por 4 semanas. Ao final do tratamento, pressão arterial foi medida por método direto em animais com livre movimentação na gaiola (não-anestesiados) e um teste farmacológico para se avaliar “drive” simpático foi feito com hexametônio (20 mg.kg-1 ). SPs foi caracterizado quantitativamente por dosagens de compostos fenólicos, flavonoides e atividade antioxidante e qualitativamente por CLAE-UV. Os resultados mostram que o processo de extração preserva vários fitoquímicos com ação potencial no sistema cardiovascular. O tratamento com SPs foi efetivo em reverter o quadro de hipertensão nos animais HS sem produzir hipotensão em ratos controle. A dose efetiva para esse efeito foi a da 200 mg.kg-1 reduzindo os níveis pressóricos basais dos animais do grupo HS SPs 200 em 10% em relação ao grupo HS placebo. Os dados de balanço hidroeletrolítico sugerem que o SPs não produziu efeito diurético. Por outro lado, os experimentos com hexametônio sugerem um efeito sobre a atividade simpática que pode ser responsável por pelo menos parte dos efeitos anti-hipertensivos do SPs. Portanto, conclui-se que o SPs pode ser um agente anti-hipertensivo com uso potencial no tratamento da hipertensão arterial, em especial a origem sódio-dependente.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsabertopt_BR
dc.subjectHipertensãopt_BR
dc.subjectPlantas medicinaispt_BR
dc.subjectSódio - Metabolismopt_BR
dc.titleEfeitos do tratamento com suspensão de extrato de folhas de Psidium guajava L. (goiabeira) sob a pressão arterial e balanço hidroeletrolítico de ratos Wistar sob dieta com sobrecarga de sódio.pt_BR
dc.typeDissertacaopt_BR
dc.rights.licenseAutorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 28/03/2019 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.pt_BR
dc.contributor.refereeCardoso, Leonardo Máximopt_BR
dc.contributor.refereeHaibara, Andréa Siqueirapt_BR
dc.contributor.refereeLima, Wanderson Geraldo dept_BR
dc.contributor.refereeDores, Rosana Gonçalves Rodrigues daspt_BR
dc.description.abstractenHypertension (HA) is a chronic multifactorial disease that has a high prevalence in the world population today. One of the risk factors is high sodium diet. Some classes of medications are already intended for the treatment of hypertension. However, as a result of side effects, lack of efficiency in reducing blood pressure levels and intolerance to these drugs, the need for new drug discovery has increased. Ethnopharmacological studies have pointed to several plants as potential antihypertensive agents, among them Psidium guajava L. (guava). The objective of this study was to investigate the antihypertensive potential of the suspension obtained from the ethanolic extract of Psidium guajava L. (SPs) in a model of sodium-dependent hypertension and to evaluate possible mechanisms correlated to the hypotensive action. For this, Wistar rats were submitted to a diet containing 0.9% Na + - High salt group (HS) or 0.27% Na + wean control group until the 16th week. In the last 4 weeks, with hypertension already established in the HS group, animals from both groups were subdivided for different treatments. Feed intake, sodium, water intake, and urinary volume were measured in metabolic cages at 12 and 16 weeks for 24 hours. From the 13th week after weaning, the animals started receiving guava leaves suspension (SPs, 100 mg.kg-1 or 200 mg.kg-1), furosemide (20 mg.kg-1) ) or 1 mL of distilled water (placebo) for 4 weeks. At the end of treatment, blood pressure was measured by direct method in animals with free movement in the cage (non-anesthetized) and a pharmacological test to evaluate sympathetic drive was done with hexamethonium (20 mg.kg-1). SPs was characterized quantitatively by dosages of phenolic compounds, flavonoids, and antioxidant activity and qualitatively by HPLC-UV. The results show that the extraction process preserves several phytochemicals with potential action in the cardiovascular system. Treatment with SPs was effective in reversing the hypertension in HS animals without producing hypotension in control mice. The effective dose for this effect was 200 mg.kg-1 reducing basal blood pressure levels of the HS SPs 200 group by 10% compared to the HS placebo group. Hydroelectrolyte balance data suggest that SPs did not produce a diuretic effect. On the other hand, hexamethonium experiments suggest an effect on sympathetic activity that may be responsible for at least part of the antihypertensive effects of SPs. Therefore, it is concluded that SPs may be an antihypertensive agent with potential use in the treatment of arterial hypertension, especially sodium-dependent origin.pt_BR
Appears in Collections:PPCBIOL - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_EfeitosTratamentoSuspensão.pdf3,22 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons