Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/11876
Title: Diversidade do zooplâncton entre hábitats aquáticos de Minas Gerais.
Authors: Souza, Vanessa Ferreira de
metadata.dc.contributor.advisor: Sant'Anna, Eneida Maria Eskinazi
Beirão, Marina do Vale
Keywords: Bacias hidrográficas
Lagoas
Organismos aquáticos
Biodiversidade - conservação
Issue Date: 2019
metadata.dc.contributor.referee: Sant'Anna, Eneida Maria Eskinazi
Bonecker, Cláudia Costa
Santos, Gleice Souza
Citation: SOUZA, Vanessa Ferreira de. Diversidade do zooplâncton entre hábitats aquáticos de Minas Gerais. 2019. 63 f. Dissertação (Mestrado em Ecologia de Biomas Tropicais) - Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2019.
Abstract: Estudos de padrões ecológicos e diversidade β da comunidade zooplanctônica podem ser fundamentais para a compreensão dos padrões de organização dos ecossistemas aquáticos. A organização das comunidades zooplanctônicas responde a vários aspectos dos habitats aquáticos, incluindo conectividade, distúrbios, origem e localização geográfica do corpo d’água. Neste estudo foram utilizados dados publicados sobre a comunidade zooplanctônica das principais bacias hidrográficas do estado de Minas Gerais (MG, Brasil). Foram analisados 31 trabalhos científicos publicados entre os anos de 2005 e 2019 e a riqueza, a composição e a diversidade beta da comunidade zooplanctônica foram avaliadas para quatro variáveis: (I) bacias hidrográficas (variação espacial); (II) tipo de corpo d’água (lagos, lagoas, reservatórios e rios); (III) altitude (menor que 800 m.a.n.m. – baixa – ou maior que 800 m.a.n.m. - alta); e (IV) hidroperíodo (permanente ou temporário). Espera-se que a riqueza, a composição e a contribuição da diversidade beta de zooplâncton de MG podem modificar em relação à todas as variáveis testadas, e que a diversidade β que contribui mais para a diversidade γ. Houve forte influência do efeito espacial sobre a diversidade zooplanctônica, em que sistemas fluviais representaram o tipo de corpo d’água com maior heterogeneidade na comunidade zooplanctônica, acumulando mais espécies que lagos, lagoas e reservatórios. Foi detectada também maior agregação da riqueza em ambientes categorizados como de baixa altitude, com 70,37% mais espécies que de altas altitudes, considerando que houve um esforço amostral de 74,14% para ambientes considerados de baixas altitudes, e apenas 25,86% de alta altitude. Os resultados indicaram que as bacias hidrográficas do Rio Doce, Rio Grande e Rio Pardo contribuem de forma decisiva para a diversidade beta do zooplâncton. O hidroperíodo não representou influência significativa na riqueza, considerando um esforço amostral de 88,8% para ambientes permanentes e apenas 11,2% para ambientes temporários. As análises para diversidade beta mostraram que todas as variáveis contribuíram significativamente para a diversidade γ. O tipo de corpo d’água contribuiu com 50%, a altitude com 29%, o hidroperíodo com 35%, e as bacias hidrográficas exerceram a maior contribuição: 61% da diversidade γ. A decomposição da diversidade beta sugeriu que 97% dos dados da diversidade beta são impulsionados por turnover, enquanto apenas 3% são por aninhamento, reforçando a importância da conservação de ambientes repositórios de espécies. Os resultados obtidos indicam a forte influência do efeito espacial sobre a diversidade zooplanctônica, e também para a necessidade de um maior esforço amostral em bacias hidrográficas pouco estudadas, em ambientes de altitude e temporários, os quais desempenham importantes papeis na estruturação da comunidade zooplanctônica de MG. Essas observações foram corroboradas pela análise de acumulação de espécies, que indica claramente a necessidade de mais pesquisas em bacias ainda muito pouco consideradas nos estudos da diversidade zooplanctônica em Minas Gerais, a despeito de sua importância estratégica para a biodiversidade aquática e desenvolvimento sócio-econômico do estado.
metadata.dc.description.abstracten: Studies of ecological patterns and β diversity of zooplankton community may be fundamental to understand the patterns of aquatic ecosystems’ organization. The organization of zooplankton communities react to many aspects of aquatic habitats, including connectivity, disturbance, origin and geographical location of the water body. In this study we used published data about the zooplankton community of the main watersheds of Minas Gerais (MG, Brazil). Thirty-one scientific papers published between 2005 and 2019 were analyzed, and the richness, composition and β diversity were evaluated for four variables: (I) watersheds (spatial variation); (II) type of water body (lake, shallow lakes, reservoirs and rivers); (III) altitude (less than 800 m.a.n.m. - low - or greater than 800 m.a.n.m. - high); and (IV) hydroperiod (permanent or temporary). It is expected that the richness, the composition and the β diversity contribution of MG zooplankton may change in relation to all tested variables and that the β diversity contributes most to the γ diversity. There was a strong influence of the spatial effect on the zooplankton diversity where river systems represented the water body with higher heterogeneity on the zooplankton community accumulating more species than lakes, shallow lakes and reservoirs. Greater aggregation of richness was also detected in low-altitude environments with 70,37% more species than at high altitudes, considering that there was a 74,14% sampling effort at low-altitude environments, and only 25,86% of species at high altitude. The results indicated that the Rio Doce, Rio Grande and Rio Pardo watersheds contribute decisively to the β diversity of zooplankton. The hydroperiod did not represent significant influence on richness, considering a sample effort of 88,8% of permanent and only 11,2% of temporary environments. The analysis of β diversity showed that all variables contributed significantly to γ diversity. The type of water body contributed to 50%, the altitude to 29%, the hydroperiod to 35%, and the watersheds showed the largest contribution: 61% of the diversity γ. The β diversity decomposition suggested that 97% of data were explained by turnover while only 3% were explained by nesting reinforcing the importance of the species repository environments conservation. The obtained results indicate the strong influence of the spatial effect on zooplankton diversity also the need of greater researches effort in zooplankton communities at short studied watersheds, as well as at high altitude and temporary environments, which play important roles structuring the zooplankton community of MG. These observations were corroborated by the analysis of species accumulation, which clearly indicates the need for further researches in basins yet shortly considered in zooplankton diversity studies in Minas Gerais although their strategic importance for aquatic biodiversity and socioeconomic development of this State.
Description: Programa de Pós-Graduação em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolução e Meio Ambiente, Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/11876
metadata.dc.rights.license: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 19/12/2019 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.
Appears in Collections:PPGEBT - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_DiversidadeZooplânctonHábitats.pdf1,62 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons