Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/11621
Title: Investigação do potencial antitumoral do extrato polar in natura e veiculado de flores de Sambucus nigra L.
Authors: Pereira, Deise Inocêncio
metadata.dc.contributor.advisor: Souza, Gustavo Henrique Bianco de
Silva, Glenda Nicioli da
Keywords: Flavonoides
Plantas medicinais
Moléculas
Issue Date: 2018
metadata.dc.contributor.referee: Souza, Gustavo Henrique Bianco de
Costa, Daniela Caldeira
Vieira Filho, Sidney Augusto
Citation: PEREIRA, Deise Inocêncio. Investigação do potencial antitumoral do extrato polar in natura e veiculado de flores de Sambucus nigra L. 2018. 107 f. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) – Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2018.
Abstract: A espécie Sambucus nigra L. é originária da Europa e foi introduzida no Brasil devido seu disseminado uso na medicina popular na forma de infusão, pelas suas propriedades diuréticas e depurativas associadas a enfermidades como febre, doenças renais e gripe. Entretanto, há necessidade de expandir os estudos sobre essa espécie, principalmente com foco na sua atividade antitumoral. O câncer, atualmente, é uma doença que acomete grande parte da população mundial, por isso tornou-se frequente alvo de pesquisas. Para o Brasil, de acordo com as estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA), no biênio de 2018-2019, estimamse 6.690 novos casos de câncer de bexiga em homens e 2.790 novos casos em mulheres. O objetivo desse estudo foi avaliar a atividade antitumoral do extrato e frações das flores de S. nigra L. em células de carcinoma urotelial (linhagem T24) e sua seletividade utilizando células humanas de fibroblastos (MRC-5). Extrato Etanólico Bruto (EEB) e frações (hexânica, acetato de etila, butanólica e hidrometanólica) das flores de S. nigra L. foram obtidos por percolação e partição líquido:líquido, sendo posteriormente caracterizados por CLUE-DAD-EM/EM. Foram identificadas 9 moléculas de flavonoides na F-BuOH (rutina, isoquercitrina, isoramnetina-3-Orutinosídeo, canferol-3-O-glicosídeo, luteolina-7-O-rutinosídeo, luteolina-4'-O-rutinosídeo, isoramnetina-7-O-rutinosídeo, luteolina-7-O-glicopiranosídeo e selgin-7-O-glucoside). Na avaliação da atividade citotóxica, no tempo de 24 horas, observou-se atividade do EEB e da FBuOH nas menores concentrações avaliadas para linhagem T24. Entretanto, não houve redução da viabilidade das células MRC-5, indicando seletividade. Pelo estudo fitoquímico, observouse que a atividade da F-BuOH pode estar correlacionada majoritariamente com o alto teor de flavonoides totais presentes, principalmente a rutina. A F-BuOH foi veiculada em soluções micelares de F127 pelo método de dispersão a frio (DF), e os resultados da citotoxicidade observados para as formulações contendo a F-BuOH incorporada demonstraram que a formulação com maior concentração de F127 e menor concentração de F-BuOH foi citotóxica para as células T24. A formulação com menor concentração de F127 e maior concentração de F-BuOH não induziu redução na viabilidade celular em nenhuma concentração avaliada. Por meio desses resultados concluiu-se que o aumento da concentração de F127 na formulação potencializou os efeitos citotóxicos da fração. O ensaio de liberação in vitro da formulação com a fração butanólica incorporada utilizando a rutina como biomarcador demonstrou que as micelas liberam a fração em proporção similar e gradualmente ao longo do tempo, mas a quantidade liberada foi muito pequena, devido a uma possível interação dos flavonoides presentes na F-BuOH com as cadeias poliméricas do F127. Os resultados obtidos demonstram que os flavonoides presentes nas flores de S. nigra L. são os possíveis responsáveis pela atividade citotóxica nas células de carcinoma de bexiga, ademais as soluções micelares atuam conjuntamente para aumentar a ação da F-BuOH e podem se tornar uma abordagem interessante para um futuro tratamento do tumor de bexiga.
metadata.dc.description.abstracten: The species Sambucus nigra L. is native from Europe and was introduced in Brazil due to its widespread use in folk medicine in the continent of origin, for its diuretic and depurative properties associated with diseases such as fever, kidney disease and influenza. However, there is a need to expand studies on this species, mainly focusing on its antitumor activity. Cancer is currently a disease that affects a large part of the world's population, so it has become a major concern. According to estimates by the National Cancer Institute (INCA), in the 2018-2019 biennium, 6,690 new cases of bladder cancer are estimated in men and 2,790 new cases in women. Thus, the objective of this study was to evaluate the antitumor activity of extracts and fractions of S. nigra L. flowers on urothelial carcinoma cells (T24 line) and their selectivity using human fibroblast cells (MRC -5). S nigra L. gross ethanol extract (EEB) and fractions (hexanic, ethyl acetate, butanolic and hydromethanolic) were obtained by percolation and liquid:liquid partition, and were later characterized by CLUE-DAD-MS/MS where 9 flavonoid molecules were identified in the F-BuOH (rutin, isoquercitrin, isorhamnetin-3-O-rutinoside, kaempferol-3-O-glucoside, luteolin-7-O-rutinoside, luteolin-4'-O-rutinoside, isorhamnetin-7- O-rutinoside, luteolin-7-O-glucopyranoside e selgin-7-O-glucoside). In the evaluation of the cytotoxic activity in the 24 hours, the activity of the EEB and the F-BuOH was observed in the lowest concentrations tested in the T24 lineage but it is not reduced in the viability of MRC-5 cells, indicating selectivity. Through the phytochemical study, it was observed that the activity of the F-BuOH may be correlated mainly with the high content of total flavonoids present, mainly the rutin. The F-BuOH has been incorporated in micellar solutions of F127 by the cold dispersion method (DF), and the cytotoxicity results observed for the formulations containing the incorporated F-BuOH showed that the formulation with higher concentration of F127 and lower concentration of F-BuOH was cytotoxic for T24 cells. The formulation with lower concentration of F127 and higher concentration of F-BuOH no induced reduction in cellular viability at any concentration evaluated. By mean of these results it is concluded that increasing the concentration of F127 in the formulation potentiated the cytotoxic products of the fraction. The in vitro release assay of the formulation with the incorporated butanolic fraction using rutin as a biomarker demonstrated that the micelles release the fraction in a similar proportion and gradually over time, but the amount released was very small due to a possible interaction of the flavonoids present in the F-BuOH with the polymer chains of F127. The results obtained so far show that the flavonoids present in flowers of S. nigra L. are the possible responsible for cytotoxic activity in bladder carcinoma cells, in addition the micellar solutions act together to increase the action of the F-BuOH and can become an interesting approach to a future treatment of the bladder tumor.
Description: Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia. Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Pró-Reitoria de Pesquisa de Pós Graduação, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/11621
metadata.dc.rights.license: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 05/06/2018 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.
Appears in Collections:PPGSN - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_InvestigaçãoPotencialAntitumoral.pdf2,9 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.