Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10893
Title: Cinética de adsorção de manganês em zeólitas exauridas.
Other Titles: Manganese adsorption kinetics on exhausted zeolites.
Authors: Figueiredo, Rodrigo Santos
Leão, Samir Souza
Leão, Versiane Albis
Keywords: Leito fixo
Energia de ativação
Issue Date: 2018
Citation: FIGUEREDO, R. S.; LEÃO, S. S.; LEÃO, V. A. Cinética de adsorção de manganês em zeólitas exauridas. Tecnologia em Metalurgia, Materiais e Mineração, v. 15, p. 8-14, 2018. Disponível em: <http://www.tecnologiammm.com.br/files/v0n0/tmm1185.pdf>. Acesso em: 15 fev. 2019.
Abstract: Efluentes ricos em manganês, como os das indústrias extrativas, de vidro e cerâmicas, plantas de galvanização, entre outros, são considerados um problema ambiental devido principalmente ao seu poder toxicológico. O íon manganês é um poluente devido às suas propriedades organolépticas e é considerado um metal de difícil remoção devido à sua alta solubilidade, sendo usualmente encontrado em efluentes na forma do íon divalente Mn2+. Diversos métodos de tratamento têm sido aplicados a esses tipos de efluentes com objetivo de enquadramento dos mesmos à legislação ambiental vigente. Uma dessas alternativas é a adsorção/troca iônica tanto em batelada como em colunas de leito fixo, particularmente quando a concentração de metais é baixa. Visando o tratamento de efluentes que contêm o íon manganês, o presente trabalho descreve a remoção do íon pelo processo de adsorção/troca iônica utilizando uma zeólita exaurida. Foram realizados estudos cinéticos nas temperaturas de 25°C, 35°C, e 60°C, que revelaram uma alta remoção desde o início do contato entre a solução rica em manganês e a zeólita sendo que o equilíbrio foi atingido após percorridas 3 horas de experimento. Os dados experimentais se ajustaram melhor ao modelo de pseudossegunda ordem para adsorção do íon manganês na zeólita investigada. Além disso, observou-se nesses experimentos o aumento da temperatura eleva o carregamento e a partir do valor da energia de ativação calculada de 55,4KJ/mol tem-se indicação de que o processo de adsorção em questão é uma quimiossorção.
metadata.dc.description.abstracten: Galvanizing plants as well as the mining, glass and ceramics industries among others can produce manganese-laden effluents, which are considered an environmental issue mainly due to their organoleptic properties and because the highly soluble Mn2+ ion is difficult to remove from most wastewaters when only pH control is applied. Thus several treatment methods have been proposed to treat these effluents so that they can comply with environmental regulations. One of such treatments is adsorption/ion exchange (either batchwise or fixed bed) particularly when the metal concentration is low. Biosorbents, ion exchange resins, and zeolites have been investigated as potential sorbents for manganese. Aimed at treating manganese containing effluents, the current work describes manganese removal by adsorption/ion exchange in a spent faujasite zeolite used in the oil industry. Batch kinetic studies were carried out at 25°C, 35°C and 60°C with this spent zeolite and revealed that equilibrium was reached within 3 hours, whereas the experimental kinetic data could be described by the pseudo-second order model. It was observed that the loading rate increased with temperature with an activation energy of 55,4kJ/mol calculated from the rate constant values; an indication of chemisorption during manganese adsorption on the spent faujasite zeolite.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10893
ISSN: 21761523
metadata.dc.rights.license: Este é um artigo de acesso aberto distribuído sob os termos da licença Creative Commons CC BY-NC-ND (Attribution-NonCommercial-NoDerivs) - https:// creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/. Fonte: o próprio artigo
Appears in Collections:DEMET - Artigos publicados em periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ARTIGO_CinéticaAdsorçãoManganês.pdf844,42 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.