Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10489
Title: Decolonialismo e crítica à história única : possibilidades para a historiografia sobre os povos originários do Brasil.
Authors: Gomes, Geisiane Anatólia
metadata.dc.contributor.advisor: Mollo, Helena Miranda
Keywords: Brasil - história
Nativos
Davi Kopenawa, 1956
História
Issue Date: 2018
metadata.dc.contributor.referee: Lopes, Ana Mônica Henriques
Reis, Mateus Fávaro
Souza, Tatiana Ribeiro de
Mollo, Helena Miranda
Citation: GOMES, Geisiane Anatólia. Decolonialismo e crítica à história única : possibilidades para a historiografia sobre os povos originários do Brasil. 2018. 154 f. Dissertação (Mestrado em História) - Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2018.
Abstract: Ao longo da coexistência entre as populações originárias brasileiras e a sociedade envolvente, desde a invasão e colonização portuguesas, chegando à contemporaneidade, foi construída uma narrativa que optou por negativar e ou ausentar os povos originários da sua realidade dentro do território. Essa narrativa, se estruturou a partir da negação do não-europeu, desde o século XVI e sobre concepções de grupos letrados, principalmente historiadores e literários. Em mesma medida, ações do Estado incidiram sobre a existência dessa população. Entre não reconhecer suas identidades, tentar assimilá-las e exterminá-las, de forma sistematizada, a sociedade envolvente se propôs a excluir e silenciar as suas vozes. Este trabalho procura, a partir de reflexões decoloniais e críticas à história única, analisar essa relação nociva através do tempo, em sua forma narrada e a partir da incongruente política de proteção às populações originárias no Brasil. Procura-se, a partir das reflexões e argumentações propostas, uma saída para a escrita da história sobre essas populações e por uma forma de restituir a elas seu espaço enunciação e de diálogo.
metadata.dc.description.abstracten: Throughout the coexistence between the native Brazilian populations and the surrounding society, from the Portuguese invasion and colonization, arriving at the contemporaneity, a narrative was constructed that opted to deny and or absent the native peoples of their reality within the territory. This narrative was structured from the denial of the non-European, since the sixteenth century and on conceptions of literate groups, mainly historians and literary. In the same measure, actions of the State acted on the existence of this population. Between not recognizing their identities, trying to assimilate them and exterminate them, in a systematized way, the surrounding society proposed to exclude and silence their voices. This work seeks, from decolonial and critical reflections to the single history, to analyze this harmful relationship through time, in its narrated form and from the incongruous policy of protection to the original populations in Brazil. It is sought, from the reflections and arguments proposed, an exit for the writing of history on these populations and for a way to restore to them their enunciation and dialogue space.
Description: Programa de Pós-Graduação em História. Departamento de História, Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10489
metadata.dc.rights.license: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 30/10/2018 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.
Appears in Collections:PPGHis - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_DecolonialismoCríticaHistória.pdf2,5 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons