Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10306
Title: Avaliação de lipoproteínas, índices aterogênicos e risco cardiovascular de mulheres no climatério em diferentes estágios do envelhecimento reprodutivo.
Authors: Lopes, Ana Cláudia Faria
metadata.dc.contributor.advisor: Lima, Angélica Alves
Keywords: Climatério
Menopausa
Apolipoproteínas
Dislipidemias
Issue Date: 2018
metadata.dc.contributor.referee: Bem, Daniela Amorim Melgaço Guimarães do
Veloso, Vanja Maria
Lima, Angélica Alves
Citation: LOPES, Ana Cláudia Faria. Avaliação de lipoproteínas, índices aterogênicos e risco cardiovascular de mulheres no climatério em diferentes estágios do envelhecimento reprodutivo. 2018. 90 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) – Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2018.
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar lipoproteínas, índices aterogênicos e risco cardiovascular de mulheres no climatério e a sua associação com os estágios de envelhecimento reprodutivo. Para isto, foram selecionadas 262 mulheres, na faixa etária de 40 a 65 anos, residentes em Ouro Preto, MG. As participantes foram entrevistadas para levantamento dos sintomas climatéricos e das características sociodemográficas e comportamentais. Coletas de sangue foram realizadas para avaliação de perfil lipídico, apolipoproteínas, Lp(a), FSH, estradiol e glicemia de jejum. Além disso, foram realizadas medidas de pressão arterial, de peso, altura e circunferência de cintura. A partir destas determinações foram calculados índice de massa corporal (IMC); índices aterogênicos [CT/HDL-c, LDL-c/HDL-c, apoB/apoA-I, índice aterogênico do plasma (AIP)] e escore de risco global (ERG). Também foram avaliadas as frequências de síndrome metabólica (SM) segundo os critérios do Joint Interim Statement (JIS) e de dislipidemia pela classificação laboratorial. As participantes foram classificadas de acordo com os estágios de envelhecimento reprodutivo (EER) em 3 grupos: fase reprodutiva (FR), transição menopausal (TM) ou pós-menopausa (PM). Os resultados mostraram que 42,4% (n=111) estavam na FR; 18,3% (n=48) na TM e 39,3% (n=103) na PM. Foi observado que as concentrações séricas de triglicerídeos (TG) e colesterol total (CT), a hipertrigliceridemia isolada, a estimativa de risco cardiovascular pelo AIP e pelo ERG e os sintomas climatéricos moderados/intensos foram significativamente menores (p<0,05) na FR do que na TM e na PM. Por outro lado, os níveis séricos de LDL-c, não HDL-c e apo B bem como os índices aterogênicos LDL-c/HDL-c e apoB/apoA-I foram estatisticamente menores (p<0,05) na FR e na TM do que na PM. O tipo de dislipidemia mais frequente foi HDL-c baixo isolado ou associado à hipertrigliceridemia e/ou hipercolesterolemia (n=87; 33,2%), sendo a alteração no analito isolado significativamente mais frequente na FR (25,2%; p=0,008), enquanto aquela do HDL-c associado foi mais encontrada na PM (21,4%; p=0,016). Comparativamente a FR, as mulheres na TM tiveram 2,6 a 3,3 vezes mais chance de apresentar maior concentração de CT e TG, hipertrigliceridemia isolada e AIP alterado, enquanto as participantes em PM exibiram risco de 2,0 a 5,3 vezes maior de apresentar níveis séricos maiores de CT, TG, LDL-c, não HDL-c, apo B, hipertrigliceridemia isolada, hipercolesterolemia isolada, hiperlipidemia mista, HDL-c baixo associado, SM, sintomas climatéricos moderados/intensos, maior risco estimado por CT/HDL-c, LDL-c/HDL-c, AIP e ERG. Este estudo apontou associação de baixas concentrações séricas de estradiol (≤40 pg/mL) com as alterações de lipoproteínas, índices aterogênicos e de risco cardiovascular encontradas nos EER. Lipoproteínas, índices aterogênicos e risco cardiovascular de mulheres climatéricas foram associados aos EER e aos níveis séricos de estradiol, com progressão para um perfil mais aterogênico e de maior risco de DCV da fase reprodutiva para a pós-menopausa, sendo a alteração nas concentrações de TG e de HDL-c mais precoce.
metadata.dc.description.abstracten: The objective of this study was to evaluate lipoproteins, atherogenic ratios and cardiovascular risk in climacteric women and its association with the stages of reproductive aging. For this, 262 women, aged 40-65 years, were selected in Ouro Preto, MG. Participants were interviewed to assess climacteric symptoms and sociodemographic and behavioral characteristics. Blood collections were performed to evaluate lipid profile, apolipoproteins, Lp (a), FSH, estradiol and fasting glycemia. In addition, measurements of blood pressure, weight, height and waist circumference were performed. From these determinations were calculated body mass index (BMI); atherogenic ratios [TC/HDL-c, LDLc/ HDL-c, apoB/apoA-I, atherogenic index of plasma (AIP)] and global risk score. We also evaluated the frequencies of metabolic syndrome (MS) according to the criteria of the Joint Interim Statement (JIS) and dyslipidemia by laboratory classification. The participants were classified according to the stages of reproductive aging in 3 groups: reproductive phase (RF), menopausal transition (MT) or post-menopause (PM). The results showed that 42.4% (n = 111) were in RF; 18.3% (n = 48) in MT and 39.3% (n = 103) in PM. Serum triglycerides (TG) and total cholesterol (TC), isolated hypertriglyceridemia, estimated cardiovascular risk by AIP and global risk escore, and moderate/severe climacteric symptoms were significantly lower (p <0.05) in the RF than in MT and PM. On the other hand, serum levels of LDL-c, non HDLc and apo B as well as atherogenic ratios of LDL-c/HDL-c and apoB/apoA-I were statistically lower (p <0.05) in RF and in MT than in PM. The most frequent type of dyslipidemia was low HDL-c isolated or associated with hypertriglyceridemia and/or hypercholesterolemia (n = 87; 33.2%), with alteration in the isolated analyte being significantly more frequent in RF (25.2%, p = 0.008), while low HDL-c associated was most frequently found in PM (21.4%; p = 0.016). Compared to RF, women in MT had 2.6 to 3.3 times more chance of having a higher concentration of TC and TG, isolated hypertriglyceridemia and altered AIP, while participants in PM had a risk of 2.0 to 5.3 times higher HDL-c, non HDL-c, apo B, isolated hypertriglyceridemia, isolated hypercholesterolemia, mixed hyperlipidemia, associated low HDL-c, MS, moderate/severe climacteric symptoms, TC/HDL-c, LDL-c/HDL-c, AIP and global risk escore. This study indicated the association of low serum estradiol concentrations (≤40 pg/mL) with changes in lipoproteins, atherogenic ratios and cardiovascular risk found in stages of reproductive aging. Lipoproteins, atherogenic ratios and cardiovascular risk of climacteric women were associated with the stages of reproductive aging and serum estradiol levels, progressing to a more atherogenic profile and a higher risk of cardiovascular disease from the reproductive phase to post-menopause, with changes in TG and HDL-c concentrations being earlier.
Description: Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas. CIPHARMA, Escola de Farmácia, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10306
metadata.dc.rights.license: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 01/10/2018 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.
Appears in Collections:CIPHARMA - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_AvaliaçãoLipoproteínaÍndices.pdf1,56 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons