Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10054
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorNovack, Kátia Monteiropt_BR
dc.contributor.advisorAssis, Paulo Santospt_BR
dc.contributor.authorCampos, Alex Milton Albergaria-
dc.date.accessioned2018-08-03T15:00:14Z-
dc.date.available2018-08-03T15:00:14Z-
dc.date.issued2018-
dc.identifier.citationCAMPOS, Alex Milton Albergaria. Influência da adição da casca e do rejeito da semente da Moringa oleifera após extração do óleo em carvões minerais utilizados para injeção em altos-fornos a coque. 2018. 86 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Materiais) – Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10054-
dc.descriptionPrograma de Pós-Graduação em Engenharia de Materiais. Departamento de Engenharia Metalúrgica, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.pt_BR
dc.description.abstractA Moringa oleifera é considerada, em muitos lugares, como a árvore da vida. Esta planta arbórea da família das Moringaceas possui inúmeras aplicações na área da saúde e na alimentação. Algumas de suas utilidades mais nobres estão relacionadas a remédios fitoterápicos e nutrição em países onde a desnutrição infantil é um problema, sendo utilizado desde suas folhas e frutos até sua raiz e caule, porém, o seu produto considerado mais nobre é o óleo. Para a extração do óleo pode ser usado o processo de extração mecânica (utilizando uma prensa mecânica) ou a extração por solvente. Durante este processo são gerados alguns rejeitos como a casca da semente e a torta da semente após a extração do óleo. Com isto, este trabalho tem o objetivo de caracterizar estes rejeitos para avaliar o seu uso em misturas de carvões minerais para a injeção em altos-fornos. Foram feitas análises imediata, elementar, TGA e poder calorífico da casca, do rejeito após extração do óleo e de uma mistura de carvões minerais própria para injeção em altos-fornos. Além disso, foram testadas em um simulador físico para a injeção de materiais pulverizados misturas contendo 20, 30 e 40% das biomassas na mistura de carvões. Foi possível constatar que a os rejeitos da moringa possuem maior teores de voláteis e de hidrogênio, além de um baixo teor de carbono e poder calorífico quando comparado com o carvão mineral. Apesar disso, o uso de 40% da casca da moringa na mistura de carvões minerais apresentou uma taxa de combustão melhor que a do taxa do carvão mineral puro, podendo ser utilizada na injeção de materiais pulverizados no alto-forno reduzindo as emissões de CO2 e gerando uma economia da ordem de 20 milhões de dólares anuais, quando a taxa de substituição é considerada 1, com a substituição parcial do carvão mineral neste processo.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsabertopt_BR
dc.rights.uriAn error occurred getting the license - uri.*
dc.subjectPulverizaçãopt_BR
dc.subjectBiomassapt_BR
dc.titleInfluência da adição da casca e do rejeito da semente da Moringa oleifera após extração do óleo em carvões minerais utilizados para injeção em altos-fornos a coque.pt_BR
dc.typeDissertacaopt_BR
dc.rights.licenseAutorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 11/07/2018 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite a adaptação.pt_BR
dc.contributor.refereeNovack, Kátia Monteiropt_BR
dc.contributor.refereeSilva, Guilherme Liziero Ruggio dapt_BR
dc.contributor.refereeAssis, Carlos Frederico Campos dept_BR
dc.contributor.refereeAssis, Paulo Santospt_BR
dc.description.abstractenMoringa oleifera is considered in many places as the life tree. This plant of the family of Moringaceas has numerous applications in the health and food industry. Some of its noblest uses are related to herbal remedies and nutrition, being used its leaves, fruits, root and stem, however, its product considered nobler is it oil. For the oil extraction the process of mechanical extraction (using a mechanical press) or the extraction by solvent (using a solvent) can be used. During this process some waste are generated, such as the seed husk and the seed “cake” after the oil extract. According with that, this work aims to characterize these waste and evaluate their use in blends of coals for injection in blast furnaces. Immediate, elemental, TGA and heat analysis of the husk, the waste after oil extraction and a mixture of coals for injection in blast furnaces were made. In addition, it was tested, in a physical simulator for injection of pulverized materials, mixtures containing 20, 30 and 40% of the biomasses in the coal mixture. It was possible to verify that the moringa rejects have higher volatile and hydrogen contents, as well as a lower carbon content and calorific value when compared to coal. In spite of this, the use of 40% of the moringa husk in the coal mixture showed a good combustion rate. It can be used in the injection of pulverized materials in the blast furnace, reducing the annual CO2 emissions and save around U$ 20 million, when it is considered the replacement rate of 1, yearly with coal.pt_BR
Appears in Collections:REDEMAT - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_InfluênciaAdiçãoCasca.pdf2,9 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons