Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/5345
Título: Nacionalidade como metáfora : fronteira (possíveis?) entre Literatura e História.
Autor(es): Souza Júnior, José Luiz Foureaux de
Palavras-chave: Narrativa
Leitura
Crítica
Identidade cultural
Data do documento: 2000
Referência: SOUZA JÚNIOR, J. L. F. de. Nacionalidade como metáfora : fronteira (possíveis?) entre Literatura e História. Revista Língua & Literatura, v. 2, n. 5, p. 13-29, 2000. Disponível em: <http://revistas.fw.uri.br/index.php/revistalinguaeliteratura/article/view/21/40>. Acesso em: 13 maio 2015.
Resumo: O presente texto defende a possibilidade de se delinear outras perspectivas da leitura da nacionalidade, considerada enquanto metáfora cultural de uma realidade político-social. O artigo não desenvolve em profundidade a análise das narrativas referidas, pela simples razão de que se quer apenas problematizar a questão. A teorização implícita refaz os encaminhamentos até aqui realizados pelos estudos de História e historiografia, apontando para possibilidades do exercício crítico dessa escrita no campo do literário numa perspectiva absolutamente independente dos parâmetros positivistas. Sem se deter em pormenores de ordem teórica, esse artigo apresenta pontos de vista diferenciados para a leitura do "cânone" tomado como uma construção discursiva da crítica, sem o poder de definir ou. mesmo legitimar a produção ficcional de qualquer autor. Assim, a leitura que se produz a partir desse operador, a "nacionalidade" não referenda o cânone já estabelecido, mas busca demarcar o campo de consolidação de cânones outros, que são fruto de leituras e releituras, a partir de "protocolos" que tornam a operacionalizar os mesmos conceitos. __________________________________________________________________________________________________________
ABSTRACT: The present text defends the possibility to delineate other perspectives to the reding of the nationality, considered while cultural metaphor of a political-social reality. The article doesn't develop in depth the analysis of the referred narratives, for the simple reason that is just wanted to problematize the subjetct. The implicit theorization re-does the directions here accomplished by the studies of History and historiography, appearing for possibilities of the critical exercise of that writing in the literary's filed, into a absolutely independent perspective of the positivistists parameters. Without stopping in details of theoretical order, that article presents point of view differentiated for the reading of the "canon" taken as a criticism’s discursive construction, without the power to define or to define or to legitimate any author fictional production. Like this, the reding that is produced to leave of taht operator, the "nationality" doesn't alredy countersign the canon established, but it looks for to demarcate the field of other canons consolidation, that they are fruit of readings and re-readings, starting from "protocols" that turn the operational utilization of the same concepts.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/5345
ISSN: 1984381X
Licença: Disponível sob Licença Creative Commons do tipo Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 3.0 Não Adaptada, que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que seja citado o autor e licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação desta. Fonte: Revista Língua & Literatura <http://revistas.fw.uri.br/index.php/revistalinguaeliteratura/index>. Acesso em: 06 maio 2015.
Aparece nas coleções:DELET - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_NacionalidadeMetáforaFronteira.pdf196,16 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.