Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/5323
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorMaia, Marta Regina-
dc.contributor.authorLelo, Thales Vilela-
dc.date.accessioned2015-05-14T19:32:52Z-
dc.date.available2015-05-14T19:32:52Z-
dc.date.issued2014-
dc.identifier.citationMAIA, M. R.; LELO, T. V. A morte de Vladimir Herzog: narrativas do trauma na memória coletiva. Estudos em Jornalismo e Mídia, v. 11, p. 21-33, 2014. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/article/view/1984-6924.2014v11n1p21>. Acesso em: 24 mar. 2015.pt_BR
dc.identifier.issn1984-6924-
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/5323-
dc.description.abstractEste trabalho faz uma discussão sobre a morte do jornalista Vladimir Herzog a partir daqueles que sofreram torturas no regime militar. O principal objeto de análise será o documentário “Vlado: 30 anos depois”, produzido pela TV Cultura e dirigido por João Batista de Andrade. A proposta metodológica se baseia em uma análise de conteúdo ancorada no paradigma indiciário, tomando o filme como um indicador da vida social (em diálogo com o contexto histórico no qual está inserido). As averiguações empreendidas indicam que as vítimas da ditadura narram suas histórias não por um desejo singular, mas por preocupação para com uma história que poderia ser esquecida em razão da ausência de imagens que pudessem expressar suas dores, o que, entretanto, não impede a sua lembrança pelos meios de comunicação e pelo jornalismo em especial.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectDitadurapt_BR
dc.subjectMemóriapt_BR
dc.subjectExperiênciapt_BR
dc.subjectDictatorshippt_BR
dc.subjectMemorypt_BR
dc.titleA morte de Vladimir Herzog : narrativas do trauma na memória coletiva.pt_BR
dc.typeArtigo publicado em periodicopt_BR
dc.rights.licenseOs trabalhos publicados na Revista Estudos em Jornalismo e Mídia estão sob licença Creative Commons que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação. Fonte: Revista Estudos em Jornalismo e Mídia <https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/about/submissions#copyrightNotice>. Acesso em: 26 jan. 2017.pt_BR
dc.description.abstractenThis paper performs a discussion about the death of journalist Vladimir Herzog starting from whose who have suffered tortures in the military regime. The main object of analysis is the documentary “Vlado: 30 anos depois”, produced by TV Cultura and directed by João Batista de Andrade. The methodology is based on a content analysis grounded in evidentiary paradigm, taking the film as an indicator of social life (in dialogue with the historical context in which it is inserted). Th e investigations undertaken indicate that the dictatorship’s victims narrate their stories not by a singular desire, but by concern for a story that could be overlooked because of the absence of images that could express their pain, which, however, does not preclude its remembrance by the media and journalism in particular.-
dc.identifier.doihttps://doi.org/10.5007/1984-6924.2014v11n1p21-
Appears in Collections:DEJOR - Artigos publicados em periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ARTIGO_MorteVladmirHerzog.pdf489,25 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.