Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/4107
Título: Consumo alimentar e fatores de risco para doenças cardiovasculares em trabalhadores em turno alternantes, Minas Gerais.
Autor(es): Fajardo, Virgínia Capistrano
Orientador(es): Freitas, Silvia Nascimento de
Palavras-chave: Hábitos alimentares - padrão alimentar
Análise fatorial
Análise cluster
Trabalho noturno
Obesidade
Data do documento: 2013
Referência: FAJARDO, V. C. Consumo alimentar e fatores de risco para doenças cardiovasculares em trabalhadores em turno alternantes, Minas Gerais. 2013. 160 f. Dissertação (Mestrado em Saúde e Nutrição) - Escola de Nutrição, Universidade Federal de Ouro Preto, Escola de Nutrição, Ouro Preto, 2013.
Resumo: Introdução: As doenças cardiovasculares são responsáveis por 30% da mortalidade mundial. Dentre seus fatores de risco comportamentais a alimentação inadequada, especialmente com excesso de sódio e gordura saturada, contribuem com alterações na pressão sanguínea, níveis de colesterol, glicemia e sobrepeso e obesidade. Além disso, o tipo de escala de trabalho em turnos parece contribuir também com o aumento do risco para DCV. Então, quando o trabalho em turnos estiver associado com escolhas alimentares inadequadas poderá resultar no surgimento, ou agravamento, dos fatores de risco para DCV. Objetivo: Verificar a relação entre o consumo alimentar e fatores de risco para doenças cardiovasculares. Assim como, determinar o padrão alimentar dos trabalhadores em turnos alternantes de uma mineradora da região dos Inconfidentes, Minas Gerais, Brasil. Métodos: Estudo de delineamento transversal foi realizado em 574 trabalhadores em turnos alternantes. Foram investigados os perfis sociodemográfico, clínico, antropométrico, bioquímicos e comportamentais. Com a finalidade de verificar a relação entre o consumo alimentar e fatores de risco foram utilizados o teste qui-quadrado de Pearson e o qui-quadrado com correção de continuidade de Yates, com nível de significância de 5%. Além disso, o padrão alimentar foi determinado por duas técnicas classificatórias multivariada de análise de agrupamentos. Para a análise fatorial foi utilizado o método de componentes principais, e a rotação ortogonal- varimax. Além disso, verificou-se a aplicação deste tipo de estatística quanto sua validade através do teste de Kaiser-Meyer-Olkin (KMO) e Esfericidade de Bartlett. Enquanto que para a análise de Cluster foi usado o método de ligação Ward e para a escolha do número final de grupos utilizou-se como critério a similaridade mínima de 50%. Resultados: Participaram do presente estudo 574 homens adultos, entre 21 e 56 anos, com idade mediana de 34 anos. Todos eles com escala de trabalho em turnos alternantes (6h/12h), e com tempo mediano de trabalho em turnos de 7 anos. A maioria dos entrevistados vive com cônjuge, quase a totalidade dos indivíduos, 91,8% (n=527), possuía mais de oito anos de estudo, e mais de 60% declararam-se como não brancos. Quanto aos fatores de risco, quase um terço dos indivíduos foi classificado com pressão arterial aumentada, e em torno de 65% possuem excesso de peso. Aproximadamente 15% do grupo estudado possuíam glicemia e LDL-colesterol aumentados, e cerca de 30% deles alterações de triacilglicerol, colesterol total, o HDL-colesterol. Dentre as variáveis comportamentais investigadas, nota-se que a maioria dos indivíduos possuía nível ativo de atividade física, risco baixo para ingestão alcoólica e não faziam o uso de tabaco. Quanto ao consumo alimentar, as maiores frequências de adequação foram nos grupos das leguminosas e cereais, porém menos de 20% dos trabalhadores atingiam as recomendações de consumo para os grupos do leite e derivados e das frutas. Ao verificar a relação entre o consumo alimentar e os fatores de risco para doenças cardiovasculares, foram encontradas associações significativas (p < 0,05) entre o consumo de legumes e verduras, leite e derivados, gordura aparente das carnes ou pele de frango, peixes, tipo de gordura utilizada para cocção e, refrigerantes e sucos industrializados, com alterações da pressão arterial, índice de massa corporal, circunferência da cintura, glicose, triacilglicerol, colesterol total e LDL-colesterol. No presente estudo observou a formação de nove padrões alimentares quando utilizada o método fatorial, os quais representaram cerca de 60% de explicação total dos dados. Tal análise foi adequada para este conjunto de variáveis de acordo com os testes de Kaiser-Meyer-Olkin (0,538) e esfericidade de Bartlett (p=0,000). Enquanto que pela análise de cluster foi encontrada a formação de seis grupos heterogêneos entre si, e homogêneos internamente. Conclusão: A amostra de trabalhadores em turnos alternantes possui risco para o desenvolvimento de DCV, pois posuem frequências significativas de alterações clínica, bioquímicas e antropométricas, além de inadequação do consumo de alimentos e presença de outros fatores de risco comportamentais. No presente estudo foram encontradas associações significativas (p<0,005) entre algumas varáveis de consumo alimentar com os fatores de risco avaliados. Ao utilizar a determinação de padrões alimentares por métodos de agrupamento, verificou-se que a análise cluster foi melhor para os dados investigados. ______________________________________________________________________________________________
Introduction: Cardiovascular diseases are responsible for 30% of global mortality among their behavioral risk factors to inadequate nutrition, especially with excess sodium and saturated fat, contributes to changes in blood pressure, cholesterol levels, blood glucose, overweight and obesity. Moreover, the scale type of shift work seems to contribute to this increased risk for CVD. So if associated with inadequate food choices could result in the emergence or worsening of the risk factors for CVD. Objective: To investigate the relationship between food consumption and risk factors for cardiovascular diseases. In addition to determining the dietary pattern of alternating shift workers of a mining region of the Inconfidentes, Minas Gerais, Brazil. Methods: A cross sectional study was conducted in workers on alternating shifts, adult males. We investigated the sociodemographic, clinical, anthropometric, biochemical and behavioral profiles. With the aim of verifying the relationship between food consumption and risk factors used were the chi-square test and the chi-square test with Yates correction for continuity, with a significance level of 5%. In addition to that, dietary patterns were determined through tests of factor analysis and cluster. For the factor analysis was used to principal components method and rotated by an orthogonal (Varimax) transformation. Furthermore, it has been the application of such statistical validity as by Kaiser–Meyer–Olkin (KMO) statistics and the Bartlett test of sphericity. While for cluster analysis was used a Ward method, and for the selection of the number of end groups was used as the similarity criterion of at least 50%. Results: The study included 574 adult men between 21 and 56 years, with a median age of 34 years. All of them work scale alternating shifts (6h/12h), and median time of shiftwork was 7 years. Most respondents living with spouse, had more than eight years of schooling, and more than 60% declared themselves as non-white. Regarding risk factors, nearly a third of the subjects was classified as increased blood pressure, and around 65% are overweight. Approximately 15% of the patients studied had blood glucose levels and increased LDL-cholesterol, and about 30% of them had triacylglycerol changes in total cholesterol, HDL-cholesterol. Among the behavioral variables investigated, we note that the majority of individuals had active level of physical activity, low risk for alcohol intake and did not use tobacco. As for food intake, the highest frequencies of appropriateness were in groups of legumes and cereals, but less than 20% of employees met the recommendations of consumption for groups of dairy products and fruits. To verify the relationship between food consumption and risk factors for cardiovascular disease, was found significant associations (p <0.05) between the consumption of vegetables, dairy products, meat and visible fat from chicken skin, fish, type of fat used for cooking and soft drinks and juices industrialized, with changes in blood pressure, body mass index, waist circumference, glucose, triglyceride, total cholesterol and LDL-cholesterol. In the present study the formation of nine dietary patterns used when the factorial method, which accounted for about 60% of total explanation of the data. This analysis was appropriate for this set of variables according to the testing Kaiser-Meyer-Olkin (0.538) and Bartlett's sphericity (p = 0.000). Whereas the cluster analysis found the formation of heterogeneous six groups with each other, and internally homogeneous. Conclusion: The sample of workers on alternating shifts have a risk of developing CVD because, besides having a significant frequency of clinical, biochemical and anthropometric changes, they also had an inadequate food intake and presence of other behavioral risk factors. The present study found significant associations (p <0.005) between some variables
Descrição: Programa de Pós-Graduação em Saúde e Nutrição. Escola de Nutrição, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/4107
Aparece nas coleções:PPGSN - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO_ConsumoAlimentarFatores.pdf3,46 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.