Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2110
Título: Geologia estrutural do Supergrupo São Francisco ao longo da seção regional Coromandel - Três Marias • Conselheiro Mata, MG.
Autor(es): Bacellar, Luis de Almeida Prado
Orientador(es): Alkmim, Fernando Flecha de
Palavras-chave: Geologia estrutural
Supergrupo São Francisco
Seção regional Coromandel
Três Marias - Conselheiro Mata - MG
Engenharia geológica
Data do documento: 1989
Referência: BACELLAR, L. de A. Geologia estrutural do Supergrupo São Francisco ao longo da seção regional Coromandel - Três Marias • Conselheiro Mata, MG.1989. 128 f. Dissertação (Mestrado em Geologia) Departamento de Geologia, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 1989.
Resumo: O Supergrupo São Francisco, de idade proterozóica superior, consiste numa seqüência de mais de 900 m de carbonatos e terrigenos. Encontra-se depositado na bacia de são Francisco, que atinge grande parte do cráton homônimo e se estende para zonas onde se desenvolveram faixas de dobramento de idade brasiliana (por ex (Faixas Araçuaí e Brasília). O ciclo brasiliano afetou as rochas do Supergrupo São Francisco de tal modo que na região central das bacias estas mostram pouco ou nada perturbadas e, rumo às faixas marginais de dobramento apresenta magnitudes crescentes de deformação. Com o propósito de caracterizar o arcabouço estrutural da bacia do São Francisco, interpretá-lo do ponto de vista cinemático e investigar suas relações com as faixas de dobramento Araçuaí e Brasília realizaram se uma análise estrutural ao longo de uma seção regional leste-oeste, que passa por conselheiro mata – Três Maria – Coromandel, MG. Ao longo da seção, observa se um comportamento estrutural diferenciado dos setores leste oeste da bacia, que são separados por um setor central pouco deformado. No setor leste cuja deformação esta associada com a faixa de Dobramento Araçuaí, foi caracterizada uma assembléia de estrutura relacionável a duas fases, englobada num único evento de deformação progressiva e heterogênea. Nessas condições, desenvolveu se um cinturão de falhas e dobras com orientação preferencial N-S e vergencia para oeste. As falhas de empurrão obedecem a uma geometria em rampas e patamares, sendo responsáveis pelo cavalga mento das unidades do Supergrupo Espinhaço sobre as do Supergrupo do São Francisco. Como estruturas associadas, tem-e se um par um par conjugado de falhas direcionais (WNW e NNE) Foram distinguidos dois domínios estruturais, caracterizados por magnitude de deformação decrescente para o oeste. No setor oeste as rochas do setor canastra (faixa Brasília) foram envolvidas numa fase de deformação compressional antes da sedimentação das unidades do Supergrupo São Francisco. Alem disso existência evidencia que ao menos a base do Supergrupo São Francisco tenha se depositado simultaneamente a um episódio de tectônicas extensionais. Posteriormente, todas as unidades foram submetidas a uma nova fase compressional, que resultou n desenvolvimento de um cinturão de dobras e falhas orientadas conforme NNW-N-NME, vergentes para leste. A essa fase se deve o cavalga mento das unidades do Grupo Canastra sobre as do Supergrupo São Francisco, o desenvolvimento de falhas inversas de alto ângulo e a nucleação de um par conjugado de falhas direcionais (WNW e NNE). Apesar de algumas inversões locais de polaridade deformacional, devido a uma alto estrutural de rochas do grupo Canastras ou as zonas de cisalhamento no interior da bacia, os quatros domínios estruturais discriminados no setor oeste denotam uma intensidade de deformação decrescente para leste. A presença de um setor central, não deformado, impede qualquer tipo de correlação entre as fases deformacionais identificadas nos setores lestes e oeste. _______________________________________________________________________________________________ ABSTRACT: The São Francisco Supergroup is an Upper Proterozoic Sedimentary sequence deposited over the São Francisco Graton and, less frequently, over instable marginal areas, where the Brazilian fold belts developed later. Due to situation, the São Francisco Supergroup is strongly deformed by the Brazilian Cycle in the margins of the basin (São Francisco Basin), but this deformation decreases gradually toward the center. This work shows a regional section made with the purpose of setting the structural framework of the São Francisco Basin, interpreting it in a kinematic viewpoint, and establishing its relationship with the fringing units, like Espinhaço Supergroup ( at Araçuaí Fold belt) and Canastra Group ( at Brasilia Fold belt). The area so the travess was divided in three main regions: eastern a western, which deformation is related to the evolution of Araçuai and Brasilia fold belts respectively, and the very little deformed central region. In the eastern region, structures related with two phases integrated into one progressive and heterogeneous deformational event were indentified. Such event led to the development of north-south trending and westward verging fold-thrust belt. The thrusts seem to have a ramp-flat geometry, and are responsible for the emplacement of the Espinhaço Supergroup units over the São Francisco Supergroup ones. It also recognizes a conjugated pair of strikes-slip faults (WNW and NNE). This region can be subdivided into two structural domains, characterized by decreasing of the deformation intensity toward west. In the western region, the Canastra Group units (Brasilia fold belt) were subjected to a contractional phase before the sedimentation of the São Francisco Supergroup. Some evidences suggest that at least the base of the São Francisco Supergroup was deposited during a later extensional phases (De). After, all the region suffered other contractional phase, which is manifested by a NNW-N-NNE trending and eastward verging fold-thrust belt. This phase is responsible for the emplacement of Canastra Group rocks over the São Francisco Supergroup ones, for the development of inverse faults ( p.ex: João Pinheiro Fault) and for a conjugated pair of strike-slip faults. In spite of local deformational polarity inversions, due to basement highs or inverse faults, the four structural domains characterized in the region express a decreasing in the deformational intensity toward east. The non-deformed central domain, between the above-mentioned regions, did not allow any correlation between eastern and western deformational phases.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2110
Aparece nas coleções:POSGEO - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO_GeologiaEstruturalSupergrupo.pdf46,38 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.