Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/13456
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCota, Renata Guerra de Sápt_BR
dc.contributor.authorRocha, Flávia Arêdes-
dc.date.accessioned2021-08-04T22:51:25Z-
dc.date.available2021-08-04T22:51:25Z-
dc.date.issued2021pt_BR
dc.identifier.citationROCHA, Flávia Arêdes. Avaliação de RNAs não codificadores longos específicos de Schistosoma mansoni, como candidatos a biomarcadores da esquistossomose murina. 2021. 60 f. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) – Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2021.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/13456-
dc.descriptionPrograma de Pós-Graduação em Biotecnologia. Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Pró-Reitoria de Pesquisa de Pós Graduação, Universidade Federal de Ouro Preto.pt_BR
dc.description.abstractRNAs não codificantes longos (lncRNAs) possuem um importante papel na regulação transcricional e pós-transcricional. São classificados como transcritos maiores que 200 nucleotídeos, que não apresentam potencial de codificar proteínas, sendo observados tanto no núcleo como no citoplasma. Estudos recentes vêm demonstrado que, dependendo de sua localização e de suas interações específicas com DNA, RNA e proteínas, os lncRNAs podem modular a função da cromatina, alterar a estabilidade e a tradução de mRNAs citoplasmáticos e interferir nas vias de sinalização. Muitas dessas funções, em última análise, afetam a expressão gênica em diversos contextos biológicos e muito provavelmente estão relacionados aos mecanismos referentes à interação parasito-hospedeiro. Por outro lado, os padrões de expressão estágio-específico sugerem que os lncRNAs são biomarcadores em potencial para a detecção da esquistosomose, uma parasitose debilitante e de grande impacto socioeconômico no mundo, causada por platelmintos do gênero Schistosoma. Acredita-se que a complexidade dos programas de diferenciação e desenvolvimento observado entre os diferentes estágios evolutivos e ambientes onde o parasita vive seja dependente da regulação da expressão gênica, e neste cenário os lncRNAs seriam moléculas chave. As hipóteses desse trabalho são que o S. mansoni expressa um conjunto de lncRNAs de forma diferencial através da reprogramação de sua expressão gênica em determinados estágios evolutivos, e que esses lncRNAs são importantes na interação parasito-hospedeiro. Recentemente, nosso grupo de pesquisa identificou um conjunto de 170 novos lncRNAs em S. mansoni e deste conjunto, quinze mostraram expressão diferencial quando comparado os estágios larvais e adultos do verme, bem como entre machos e fêmeas. Continuando essa linha de investigação, o objetivo desse trabalho foi avaliar a expressão de 47 lncRNAs nos estágios de cercárias, esquistossômulos com 3,5h de cultivo in vitro, vermes adultos e ovos, bem como em amostras de fígado e sangue de camundongos BALB/c infectados e não infectados com S. mansoni. Do conjunto de 47 lncRNAs avaliados, 29 foram considerados como expressos em vermes adultos, utilizando a técnica de qRT-PCR. A seguir, este conjunto se mostrou diferencialmente expresso entre os estágios evolutivos avaliados. Posteriormente foram realizados testes qualitativos e quantitivos utilizando fígado e sangue de camundongos infectados e não infectados, apresentando detecção de lncRNAs específicos de S. mansoni no hospedeiro mamífero. Em conjunto, podemos concluir que os lncRNAs são diferencialmente expressões em S. mansoni e com potencial de biomarcador.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsabertopt_BR
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/us/*
dc.subjectEsquistossomosept_BR
dc.subjectSchistosoma mansonipt_BR
dc.subjectBiomarcadorespt_BR
dc.titleAvaliação de RNAs não codificadores longos específicos de Schistosoma mansoni, como candidatos a biomarcadores da esquistossomose murina.pt_BR
dc.typeDissertacaopt_BR
dc.rights.licenseAutorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 30/07/2021 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite a adaptação.pt_BR
dc.contributor.refereeCota, Renata Guerra de Sápt_BR
dc.contributor.refereeCabral, Fernanda Jankupt_BR
dc.contributor.refereeSilva, Glenda Nicioli dapt_BR
dc.description.abstractenLong non-coding RNAs (lncRNAs) play an important role in transcriptional and posttranscriptional regulation. They are classified as transcripts larger than 200 nucleotides, which have no potential to encode proteins, being observed both in the nucleus and in the cytoplasm of cells. Recent studies have shown that depending on their location and their specific interactions with DNA, RNA and proteins, lncRNAs can modulate chromatin function, alter the stability and translation of cytoplasmic mRNAs and interfere in the signaling pathways. Many of these functions, ultimately, affect gene expression in various biological contexts and are most likely related to mechanisms related to host-parasite interaction. On the other hand, stage-specific expression patterns suggest that lncRNAs are potential biomarkers for the detection of schistosomiasis, a debilitating parasitosis, of great socioeconomic impact in the world, caused by Schistosoma genus. It is believed that the complexity of the differentiation and development programs observed between the different evolutionary stages and environments where the parasite lives is dependent on the regulation of gene expression, and in this scenario the lncRNAs would be key molecules. The hypotheses of this work are that S. mansoni expresses a set of lncRNAs in a differential way through the reprogramming of its gene expression in certain evolutionary stages, and that these lncRNAs are important in the parasite-host interaction. Recently, our research group identified a set of 170 new lncRNAs in S. mansoni and of this set, fifteen showed differential expression when comparing the larval and adult stages of the worm, as well as between males and females. Continuing this line of investigation, the hypothesis of this work was to evaluate the expression of 47 lncRNAs in the stages of cercariae, schistosomules with 3.5 h of in vitro culture, adult worms and eggs, as well as in liver and blood samples from BALB / c mice, infected and not infected with S. mansoni. Of the set of 47 lncRNAs evaluated, 29 were considered to be expressed in adult worms, using the qRT-PCR technique. Next, this set was shown to be differentially expressed between the evolutionary stages evaluated. Subsequently, qualitative and quantitative tests were performed using liver and blood of infected and uninfected mice, showing detection of specific S. mansoni lncRNAs in the mammalian host. Together, we can conclude that lncRNAs are differentially expressed in S. mansoni stages and have a potential for being biomarkers.pt_BR
Appears in Collections:PPBIOTEC - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_AvaliaçãoRNACodificadores.pdf1,92 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons